Assembleia aprova participação em ato nacional em defesa da previdência, dia 22/3

Os servidores do Judiciário Federal de São Paulo estarão presentes no dia nacional de protestos e paralisações contra a proposta de ‘reforma’ da Previdência de  Bolsonaro, na sexta-feira (22 de março). A participação da categoria foi aprovada na assembleia geral que aconteceu no último sábado, 16 de março. O dia 22 terá mobilização em todo […]

Foto: Claudio Cammarota

Os servidores do Judiciário Federal de São Paulo estarão presentes no dia nacional de protestos e paralisações contra a proposta de ‘reforma’ da Previdência de  Bolsonaro, na sexta-feira (22 de março). A participação da categoria foi aprovada na assembleia geral que aconteceu no último sábado, 16 de março.

O dia 22 terá mobilização em todo o país contra a retirada dos direitos e em defesa da democracia. Em São Paulo, o protesto acontece a partir das 17 horas, no vão do Masp. Os servidores do Judiciário Federal vão se concentrar um pouco antes, às 16 horas, em frente ao Fórum Pedro Lessa (Av. Paulista, 1682), para participar do ato unificado.

Durante a atividade, os servidores debateram as consequências da proposta que já é considerada por pesquisadores da área como a pior da história da seguridade social no país para a classe trabalhadora. “Estamos sob profundos ataques contra nossa categoria, o conjunto dos trabalhadores e a população. A proposta tem o objetivo de desmontar e acabar com a previdência pública, tornando inacessível a aposentaria para o conjunto da classe, mas principalmente, inacessível aos  servidores públicos, com criação de regras ainda mais rígidas”, afirmou Adilson Rodrigues, servidor da JF/Santos e coordenador da Fenajufe.

A necessidade de unidade com outras categorias para derrotar a ‘reforma’ também foi destacada durante a assembleia. Na opinião de Fabiano dos Santos, diretor do Sindicato e servidor do TRT-2, a união com trabalhadores de outros setores e a construção e participação de atividades em conjunto com as centrais sindicais e outras entidades é um passo importante para atingir a mobilização necessária para barrar este ataque.

“O Sintrajud está engajado na construção de um calendário de lutas e enfrentamento em defesa da Previdência, estamos correndo os locais de trabalho com um ciclo de debates para esclarecer todos os pontos desta proposta nefasta”, destacou Fabiano.

Além da ‘reforma’ da Previdência, os servidores destacaram outros ataques à organização dos trabalhadores, como a Medida Provisória 873, que tenta suspender o desconto das contribuições de sindicalização em folha e obrigar os trabalhadores a pagar suas mensalidades por boletos ou autorizações eletrônicas. “Esta Medida é um ataque frontal à organização sindical e, em nossa opinião, é inconstitucional, visa enfraquecer a organização dos trabalhadores em um momento em que o Governo tenta acabar com nossa aposentadoria”, esclareceu Fabiano, que também informou aos presentes as ações que o Sintrajud tem tomado buscando a manutenção da consignação em folha dos servidores.

Eleição de representantes para o Congrejufe

A assembleia também foi o momento de votar nos servidores de São Paulo que irão ao 10º Congresso Nacional da Fenajufe, acontece de 27/4 a 1°/5, em Águas de Lindóia, no interior do Estado de São Paulo.

Para garantir a pluralidade do debate, foi aberto espaço para divulgação de teses no site do Sindicato. Foram apresentadas três teses: A conjuntura e os desafios da categoria, da Fenajufe e de seus sindicatos – Contribuição ao debate (Diretoria do Sintrajud – Luta Fenajufe SP), É preciso RECONSTRUIR a Fenajufe – Uma Outra Fenajufe é possível!! (Coletivo Reconstrução)Pela valorização dos Oficiais de Justiça! (Marcos Trombeta/JFSP). Na assembleia, cada uma teve 10 minutos de exposição para debate.

A eleição dos representantes ao congresso aconteceu após a apresentação dos textos e a inscrição das três chapas representando as posições políticas apresentadas. Como a eleição é proporcional, o resultado foi:

Chapa 1: Luta Fenajufe SP – 23 delegados (direito a voz e voto) e 12 observadores (direito a voz);

Chapa 2: Oficiais em ação – 11 delegados (direito a voz e voto) e 5 observadores (direito a voz); e

Chapa 3: Reconstrução Sintrajud – 17 delegados (direito a voz e voto) e 9 observadores (direito a voz).

Homenagem ao lutador José Logullo

Os servidores também aprovaram por unanimidade que o novo auditório do Sintrajud será denominado de José Logullo¸após o fim do processo de reforma. A decisão é uma homenagem ao servidor que faleceu em 2017, vítima de um AVC. “O Zé foi um colega que esteve bastante ativo nas lutas, foi fundador do Sindicato, participou das caravanas, greves e lutas da categoria, e estamos propondo que o auditório seja denominado com o nome dele para simbolizar todos e todas que passaram pela história de lutas e vitórias da categoria”, afirmou Tarcisio Ferreira, diretor do Sintrajud e servidor do TRT-2.

Fechar Menu

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas