Atos nos Fóruns convocam paralisação no dia 28 de abril

Avenida Paulista, no dia 15 de março: no “ensaio” para a Greve Geral, trabalhadores deram uma demonstração de que não vão aceitar reformas de Temer

Para barrar os ataques do governo de Michel Temer aos direitos trabalhistas e previdenciários, centrais sindicais, sindicatos e movimentos populares planejam um dia de greve geral com atos, mobilizações e paralisações em todo o país no dia 28 de abril.

O objetivo é construir um dia em que o Brasil pare, mostrando que os trabalhadores não vão aceitar o ataque feito pela reforma previdenciária aos direitos de aposentadoria e pensão, a eliminação de direitos históricos proposta na reforma trabalhista e a precarização do trabalho imposta pela nova lei da terceirização, sancionada pelo presidente.

A paralisação dos servidores do Judiciário Federal de São Paulo foi aprovada na assembleia geral que aconteceu no dia 26 de março, no final do 8º Congresso do Sintrajud. Além disso, algumas categorias como metroviários de São Paulo, eletricitários, estivadores avulsos do porto de Santos e os petroleiros do litoral Paulista também já aprovaram a paralisação no dia 28.

Para reforçar a convocatória dos servidores para a Greve Geral, o Sintrajud já começou a passagem nos locais de trabalho para conversar com a categoria. Na última segunda-feira, 17, o Sindicato passou em todas as varas da Justiça Trabalhista de Cubatão convocando os servidores para cruzar os braços no dia 28 em defesa dos seus direitos. Na terça, 18, servidores do Judiciário Federal participaram de um ato na Praia Grande, em conjunto com outras categorias de servidores públicos federais, estaduais e municipais contra as reformas.

Ato no Fórum Ruy Barbosa

Na quarta-feira, 19, os servidores da JT participam de uma manifestação no Fórum Trabalhista Ruy Barbosa em defesa da Justiça Trabalhista, contra a Reforma da Previdência e a terceirização.

Jorge Luiz Souto Maior (Juiz do trabalho), Marcus Orione (Juiz Federal da 1ª Vara Previdenciária de São Paulo) e Roberto Parahyba (presidente da Associação Brasileira de Advogados Trabalhista – ABRAT), confirmaram presença no ato, que foi convocado pelo Sintrajud e pela Amatra-2.

Na opinião de Inês Leal de Castro, servidora da JT e diretora do Sintrajud, o ato é mais um passo para reforçar a convocatória para a Greve Geral de 28 de abril. “Esse é um ato de resistência aos ataques do Governo Temer, em particular, contra a Reforma Trabalhista que poderá causar o desmonte da Justiça do Trabalho, um ataque a direitos históricos dos trabalhadores e também à instituição”, afirmou.

A manifestação será às 13h, no Fórum Trabalhista Ruy Barbosa (Rua Marquês de São Vicente, 235).

Agitação em frente ao Pedro Lessa

Já os servidores da Justiça Federal e do TRF-3 vão fazer uma agitação na terça-feira, 25, às 13h, em frente ao Fórum Pedro Lessa. A categoria vai distribuir panfletos e convocar os servidores e a população para parar o Brasil no dia 28 de abril contra os ataques de Temer.

Baixada Santista

Em Santos, serão realizadas assembleias setoriais para convocar a Greve Geral. Na JF Santos, a assembleia será na quarta-feira, 19, às 12h. Já na JT, haverá panfletagem no dia 20 e a setorial acontece na terça-feira, 25, às 11h.

image_print