Ato-vigília contra o expediente presencial acontece às 13h desta 4ª em frente ao TRF-3

Categoria permanece em greve sanitária e exige respeito à vida; servidores vão denunciar desrespeito às regras sanitárias e ameaça de desvio de função contra oficiais de justiça.
Acesse aqui a página especial da campanha contra o expediente presencial, assine o abaixo-assinado e a lista de adesão e denuncie o assédio moral.

Para marcar a segunda semana de mobilização contra o retorno do expediente presencial no TRF-3 e na Justiça Federal sem que haja controle da pandemia do novo coronavírus no estado de São Paulo, os servidores fazem nova manifestação em frente ao Tribunal nesta quarta-feira, 5 de agosto, a partir das 13 horas. O protesto, com caráter de vigília, seguirá os protocolos de segurança, com distanciamento e uso de máscara.

A manifestação acontece no mesmo dia em que está marcada a reunião com o presidente do Tribunal, desembargador Mairan Maia, e o diretor do Foro da Justiça Federal, juiz Marcio Ferro Catapani. O objetivo é denunciar o risco a que estão expostos não apenas os trabalhadores da categoria, mas também terceirizados e estagiários, além da própria população.

Após o retorno de atividades presenciais o Sindicato já tomou conhecimento de dois casos de contágio por covid-19 – um no Anexo Presidente Wilson e outro no TRF. A direção da entidade cobrar na reunião com a administração relatório semanal de casos suspeitos e/ou confirmados de coronavírus na Justiça Federal em todo o estado e na sede do TRF-3.

Na opinião da diretoria do Sindicato, não há justificativa para impor o rompimento do isolamento social e colocar a vida das pessoas em risco, no momento em que o estado de São Paulo continua a bater recordes de contaminação e morte por Covid-19. Na primeira semana de retorno presencial, os servidores relataram vários casos desrespeito às medidas de segurança que os próprios tribunais definiram. “A situação é vergonhosa, não tem álcool em gel, separador de acrílico e as pessoas estão tendo que manusear processos físicos sem luvas”, afirmou Luciana Carneiro, diretora do Sintrajud e servidora do TRF.

Além dos servidores do TRF-3/JF e do TRE, os trabalhadores do Tribunal de Justiça de São Paulo também fazem greve sanitária em defesa da vida.  O Sindicato lançou um abaixo-assinado pela suspensão das medidas que determinam a retomada do trabalho presencial em todos os tribunais. Assine o documento aqui.