Solidariedade a vítimas da pandemia contra banalização da morte é tema da live de 2ª (6)

Debate terá a participação Iyá Adriana de Omulu e Paulo Pedrini, educadores e coordenadores da Rede de Apoio às Famílias das Vítimas da Pandemia

Em tempos nos quais até mesmo prestar solidariedade a familiares e homenagear mortos pela pandemia do coronavírus é alvo de polêmica e ataques, o movimento do qual os dois convidados para o próximo debate do Sintrajud participam ganha ainda mais relevância. Na segunda-feira, 6 de julho de 2020, a 34ª live do sindicato recebe Iyá Adriana de Omulu e Paulo Pedrini, ambos educadores e coordenadores da Rede de Apoio às Famílias das Vítimas da Pandemia, além dos dirigentes do Sindicato Fabiano dos Santos e Inês Leal.

Com o tema “Memorial Covid: solidariedade e homenagem às vítimas contra a banalização da morte”, a atividade terá a participação ainda de representante da diretoria do Sintrajud. A conversa será transmitida pelas páginas do Sindicato no Facebook e no YouTube, com retransmissão aqui pelo site. O Sintrajud apoia esta iniciativa de solidariedade organizada aos familiares, que inclui, também, o “Memorial Covid”, que presta homenagem a vítimas fatais da pandemia, contando um pouco da história delas e dando rostos a estatísticas que já alcançam mais de 60 mil mortes no Brasil.

Ao ouvir e dialogar com militantes de um movimento solidário e de respeito a vidas perdidas na crise sanitária, o debate promovido pelo Sintrajud inevitavelmente vai se deparar com o empenho de governantes e empresários pelo retorno à uma suposta normalidade – indiferentes a um quadro que registra mais de mil óbitos por dia. Critérios de ‘vida normal’ que geram insegurança e ameaçam a todos, inclusive trabalhadoras e trabalhadores do Judiciário Federal.

image_print