Servidores fazem greve de 24 horas por obras no “Fórum Bola de Fogo”

Os servidores do Fórum Trabalhista de Barueri paralisaram as atividades por 24 horas nesta quarta-feira, 27 de fevereiro, em protesto contra a postura da Administração do TRT nas negociações sobre o problema da refrigeração no prédio. O protesto teve adesão dos trabalhadores de quatro das cinco varas do Fórum, e contou com a participação e […]

Os servidores do Fórum Trabalhista de Barueri paralisaram as atividades por 24 horas nesta quarta-feira, 27 de fevereiro, em protesto contra a postura da Administração do TRT nas negociações sobre o problema da refrigeração no prédio. O protesto teve adesão dos trabalhadores de quatro das cinco varas do Fórum, e contou com a participação e apoio da OAB/Barueri.

Os trabalhadores reivindicam mais celeridade no andamento das obras de instalação de um sistema de ar condicionado no edifício, que seria a solução definitiva para as altas temperaturas que têm sido verificadas no local desde 2016. Também cobram a redução de jornada de trabalho enquanto o problema não é resolvido no prédio apelidado “Fórum Bola de Fogo”.

A greve foi aprovada depois de mais de um mês de protestos e reuniões com a Administração, sem que tenha sido possível um encaminhamento consensual para o funcionamento do prédio no período das obras. Na última semana, a Administração enviou ao Sintrajud o cronograma das obras, reivindicação dos servidores. E o prazo para encerramento dos serviços, que serão realizados sob responsabilidade da proprietária do prédio, será maio.

“A nossa manifestação é uma demonstração da nossa indignação. As medidas paliativas, que são os circuladores e ar condicionado portátil, não resolveram e nem amenizaram o problema do calor. Ainda ontem [terça-feira, 26/02] uma servidora passou mal durante uma audiência por conta do calor”, afirmou Camila Pereira, servidora do Fórum, referindo-se aos aparelhos instalados que não são suficientes para os espaços foram instalados.

Os trabalhadores também apontam desrespeito ao contrato. “Até agora, todos os ônus estão nas costas dos servidores, que há 4 anos enfrentam calor absurdo neste prédio, inclusive durante o inverno, o que queremos é saber quais são as sanções para a proprietária que não está cumprindo com o prometido contratualmente”, destacou a servidora do Fórum Iracema Espírito Santo.

Reunião com a presidente do TRT

No mesmo dia, o Sindicato e uma representação de servidores da JT/Barueri voltaram a se reunir com a desembargadora Rilma Aparecida Hemetério. A presidente do TRT-2 afirmou que as medidas cabíveis estão sendo tomadas, buscando uma solução em tempo hábil. “Já foi verificado que o problema do sistema de ar condicionado é estrutural do prédio e a proprietária se comprometeu a resolver, o cronograma já foi apresentado. É uma obra grande e temos que ser razoáveis. Não será resolvido de uma hora para outra, mas já está sendo encaminhado”, disse.

Durante a reunião, os representantes presentes voltaram a destacar a necessidade de garantir a saúde dos trabalhadores enquanto durarem as obras. A proposta, aprovada em assembleia da categoria, é a redução da jornada de trabalho para cinco horas diárias, das 8h às 13h (evitando o período da tarde, que é mais quente). No entanto, a presidente alega que as horas não trabalhadas devem repostas ou descontadas dos salários.

“Nosso pedido não se trata de não querer trabalhar. Estamos propondo que a jornada seja reduzida e a compensação seja feita por serviço, ou seja, se houver algum prejuízo ao jurisdicionado ou atraso no trabalho, que seja compensado para colocar o trabalho em dia”, esclareceu a servidora de Barueri Regina Aparecida.

Foto: Shuellen Peixoto

Diante do impasse, a presidente do Tribunal propôs que os servidores busquem diálogo com o Corregedor Geral, desembargador Luiz Antonio Moreira Vidigal, e com os juízes responsáveis pelas varas do Fórum, com objetivo de construir uma solução consensual entre eles. A diretoria do Sintrajud já solicitou uma reunião com o desembargador e buscará tratativas com os magistrados das varas.

“A situação dos servidores de Barueri é insustentável, foge à regra, por isso estamos buscando junto à Administração uma solução que seja menos onerosa tanto para os servidores quanto para os jurisdicionados”, ressaltou Tarcisio Ferreira, servidor do TRT e diretor do Sintrajud.

A próxima assembleia da categoria acontecerá dia 11 de março, segunda-feira, às 11 horas, e avaliará os avanços nas negociações próximos passos da mobilização.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL DO SINTRAJUD

A Diretoria Executiva do Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no Estado de São Paulo – SINTRAJUD, no exercício da competência que lhe confere o estatuto da entidade, por meio deste edital, CONVOCA todos(as) os(as) servidores(as) da Justiça Trabalhista em Barueri – SP a participarem de ASSEMBLEIA GERAL objetivando DEBATER E DELIBERAR SOBRE A REIVINDICAÇÃO DE MELHORES CONDIÇÕES DE TRABALHO, CONDIÇÕES DO PRÉDIO DA JUSTIÇA DO TRABALHO DE BARUERI, CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DO ALUDIDO EDIFÍCIO, ASSIM COMO TODOS OS ENCAMINHAMENTOS PERTINENTES, TAIS COMO ATOS, MOBILIZAÇÕES, PARALISAÇÕES, GREVE, ENTRE OUTRAS ATIVIDADES. Assembleia realizar-se-á no dia 11 (onze) de março de 2019 (dois mil e dezenove), às 11 horas, no saguão do Fórum Trabalhista de Barueri, localizado na Alameda Araguaia, 2096, em primeira convocação com a presença de pelo menos metade mais um dos(as) associados(as) quites com a tesouraria e, em segunda convocação, trinta minutos após, com qualquer número de presentes, sendo o quórum para deliberação por maioria simples.

São Paulo, 28 de fevereiro de 2019.

DIRETORIA EXECUTIVA DO SINTRAJUD/SP

image_print
Fechar Menu

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas