Presidente do TRE se compromete a analisar pedido do Sintrajud para adiar trabalho presencial

Desembargador Nuevo Campos se reuniu com diretores do Sindicato e servidores por teleconferência nesta quinta-feira, 30

O presidente do TRE, desembargador Waldir de Nuevo Campos, se comprometeu nesta quinta-feira, 30 de julho, analisar o pleito da categoria pelo adiamento do expediente presencial e postergar o que for possível no trabalho de preparação das eleições municipais.

O desembargador se reuniu por teleconferência com diretores do Sintrajud, o advogado Cesar Lignelli (coordenador do departamento Jurídico do Sindicato) e servidores do Tribunal. A conversa contou também com a participação do juízes Paulo Galizia (corregedor) e José Wellington Bezerra da Costa Neto (assessor da Presidência), além do diretor-geral, Claucio Corrêa, do médico George Meireles, da Coordenadoria de Atenção à Saúde (CAS), Leandro Tamashiro, pela Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP), e a assessora da Corregedoria Thaís Tirolli.

O Sindicato levou ao presidente a preocupação dos servidores com o risco sanitário envolvido na preparação das eleições e na própria votação, marcada para novembro. “Sabemos que o transporte público pode ser um vetor de contaminação para os colegas e para a população”, apontou o diretor do Sintrajud Tarcisio Ferreira. “Estamos preocupados também com os protocolos de segurança e quanto à viabilidade de implantação desses protocolos.”

Tarcisio informou que o Sintrajud recebeu relatos de que algumas unidades convocaram um número de servidores maior do que o estabelecido pelo Tribunal. O Sindicato reiterou o pedido para acompanhar as reuniões do comitê de crise, referido pelo desembargador como uma estrutura da administração, com o objetivo de que tais situações sejam solucionadas mais rapidamente.

Greve sanitária

“Não está sendo fácil para os servidores encarar esse momento de retorno ao trabalho presencial e o trabalho remoto tem atendido as necessidades do Tribunal”, afirmou a diretora de base Raquel Morel Gonzaga, servidora do TRE. Ela também destacou o risco a que estão expostos os trabalhadores terceirizados. “É preciso uma vigilância e fiscalização muito presente sobre a situação desses colegas e obter informações sobre casos de contágio”, declarou.

O advogado Cesar Lignelli observou que a reabertura de serviços públicos e atividades econômicas no estado se apoia no Plano São Paulo, do governo Doria (PSDB), mas ressaltou que o Plano tem sérias deficiências, apontadas por médicos e pesquisadores. A principal deficiência é o peso excessivo atribuído à disponibilidade de leitos.

“Ao mesmo tempo que se fala em regiões onde é possível uma reabertura, vemos o poder público tomar medidas como o adiamento do carnaval, que ainda é no ano que vem, mostrando que não há uma situação de normalidade”, observou a diretora do Sintrajud Inês Leal de Castro. “Nossa mobilização é pela vida; a greve sanitária não tem o objetivo de interromper o trabalho, mas de resguardar a saúde”, afirmou o diretor Henrique Sales, referindo-se ao movimento iniciado pela categoria na última segunda-feira, 27.

O presidente do TRE disse que considera legítima a preocupação do Sindicato com a saúde dos servidores e da população, embora tenha ponderado que a Justiça Eleitoral vê a necessidade de compatibilizar essa preocupação com a questão política “para não desestabilizar o Estado”. Segundo o desembargador, o Tribunal teve de adotar procedimentos diferentes dos outros regionais devido ao tamanho do colégio eleitoral paulista. “Como nossa realidade é muito específica, fica muito difícil utilizar outros estados como parâmetro”, declarou.

O diretor-geral Claucio Corrêa informou que cerca de 10% do quadro de pessoal da sede voltou ao trabalho presencial na sede do Regional nesta semana – em torno de 70 servidores. Além desses, o  retorno mobiliza um servidor em cada cartório, segundo o gestor.

Nesta sexta-feira (31), a partir das 17 horas, a categoria realiza assembleia geral, também por teleconferência por meio da plataforma Zoom (acesse o link aqui).

Plano de saúde

Os diretores do Sintrajud pediram ainda informações sobre o andamento da licitação do plano de saúde. No primeiro semestre, duas tentativas de licitar o plano fracassaram, primeiro por falta de propostas e depois por impugnação.
Segundo Claucio, o Tribunal terminou de analisar os questionamentos feitos pelas empresas e a nova versão do edital deve ser submetida ao presidente do TRE na próxima semana.

image_print