Entidades criticam governo Bolsonaro em lançamento da campanha ‘Vacinação já!’

Manifesto impulsionado pela OAB e assinado por mais de 400 entidades foi lançado em um ato ecumênico nesta quinta-feira, 21 de janeiro; documento também defende a democracia no país.

Nesta quinta-feira, 21 de janeiro, aconteceu o ato de lançamento do manifesto “Vacinação Já, Imediata, Gratuita e Para Todos”. O manifesto impulsionado pela seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil  conta com a adesão de mais de 400 entidades – entre elas o Sintrajud e a CSP-Conlutas, central sindical à qual o Sindicato é filiado.

O documento critica a falta de um plano efetivo de vacinação, enquanto mais de 50 países já estão vacinando suas populações. O Brasil ainda não tem doses suficientes para garantir sequer imunização de toda a população idosa e profissionais da saúde.

O manifesto também defende a democracia no país.  O ato aconteceu no dia “Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa”, e por isso foi uma cerimônia ecumênica com a participação de líderes religiosos de diversas confissões.

Durante o lançamento, os participantes fizeram críticas à política do governo Bolsonaro. Para o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, o presidente da República é responsável pelo elevado número de infectados e mortos vítimas da Covid-19. “Jair Bolsonaro trabalhou para boicotar o Ministério da Saúde, foi um desgoverno que agiu com falta de competência, compromisso e seriedade [diante da pandemia]”, afirmou Santa Cruz. “Estamos clamando por uma campanha de vacinação, clamando para que este país honre o fato de ser a 9ª economia do mundo. Vários países já estão vacinando e seguimos perdendo vidas diante da omissão do governo”, destacou o presidente da OAB.

Além dos líderes religiosos, o lançamento também teve a participação do presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Paulo Jerônimo, e do presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Ildeu de Castro Moreira. Ambos destacaram a necessária valorização da ciência e a defesa da democracia

“O nosso esforço que terá que ser redobrado, o coronavírus não é o nosso único inimigo, ao mesmo tempo que  lutaremos pela vacinação de todos temos que estar unidos na defesa da democracia e do estado democrático de direito. Não vamos permitir que nos roubem as esperanças de maneira tão infame, Fora Pazuello e Fora Bolsonaro”, afirmou Paulo Jerônimo.

Para Caio Augusto Silva dos Santos,  presidente da OAB São Paulo, reunir mais de 400 entidades em um manifesto é um primeiro passo para uma ampla campanha em defesa da vacinação gratuita e universal. “É chegado o momento de ter a compreensão de que sozinhos não somos capazes de realizar a décima parte do que pretendemos. Juntos, podemos realizar muito mais do que imaginamos”, ressalto Caio Augusto Silva dos Santos.

O Sintrajud já vem defendendo e participando desde o ano passado da luta para que os governos das esferas federal, estadual e municipal invistam e assegurem a imunização da população o mais breve possível. A certeza de que quanto antes isso ocorrer menos vítimas haverá da covid-19 é o principal motor dessa mobilização.

Neste sábado, 23 de janeiro, acontecerão carreatas em várias cidades brasileiras exigindo vacinação imediata para toda a população na rede pública e pedindo o impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Em São Paulo, a atividade terá início às 14 horas (concentração em frente à Assembleia Legislativa do Estado, na Avenida Pedro Álvares Cabral, 201, no Ibirapuera).

Veja a íntegra do ato ecumênico de lançamento do manifesto “Vacinação Já, Imediata, Gratuita e Para Todos”

 

Manifesto Vacinação Já, Imediata, Gratuita e Para Todos

Há um ano na China surgiram os primeiros sinais de uma nova doença, a Covid-19, provocada por um novo tipo de coronavírus. Em poucos meses, transformou-se numa pandemia mundial, provocando a maior e mais grave crise humanitária em tempos de paz, acentuando as condições de miserabilidade, especialmente entre aqueles mais expostos à vulnerabilidade, como os moradores em situação de rua, de comunidades periféricas e das comunidades tradicionais, todos com demandas urgentes de atendimento de saúde, atenção básica e renda para sobreviver.

A pandemia provocada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) impôs uma série de restrições no modo de vida da população, quer seja pelo isolamento social, quer seja pela adequação aos protocolos e cuidados para aqueles e aquelas que continuaram nas funções laborais fundamentais, para que as condições mínimas de vida fossem mantidas, mesmo com risco de contaminação, como os profissionais de saúde, de assistência social, de segurança pública e de serviços essenciais.

Os números de contaminados e mortes são catastróficos, no mundo e no Brasil. Somadas as duas ondas da doença, o mundo chega, neste terceiro dia de 2021, aos 84 milhões de infectados, com 1,83 milhão de mortos, e o Brasil soma 7,7 milhões de doentes, com 195 mil mortos.

A urgência por vacinas que interrompam essa escalada mortífera fez com que houvesse um enorme esforço científico mundial, de laboratórios, fundações, universidades, instituições públicas e privadas, com pesquisas, testes e produção das esperadas vacinas, que alimentam as esperanças da humanidade pela cura. Desde outubro de 2020, as primeiras vacinas começaram a ter sua liberação final para uso em escala mundial.

Na contramão desse esforço, o Governo Federal, desde o início, tem a postura de negação da doença, e tenta impedir que os governos estaduais e municipais protejam as suas populações com isolamento social e, em alguns lugares, com o uso da paralisação completa da economia. Esses governos estaduais e municipais tiveram dificuldades em comprar equipamentos essenciais, como os usados em UTIs, respiradores, para salvar vidas e evitar que a pandemia ficasse completamente fora de controle.

As vacinas, que trazem um alento ao combate mais efetivo da Covid-19, mais uma vez não são prioridade do Governo Federal. O Congresso Nacional aprovou, na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentária), uma autorização prévia de gastos não vinculados às receitas para permitir que o Governo possa gastar no esforço da vacinação ampla. O Governo Federal, entretanto, vetou essa previsão legal.

O Brasil é um dos últimos países do mundo em que não há plano de vacinação, nem mesmo de compromisso de compras dos insumos básicos necessários para essa imunização. O Instituto Butantan e a Fundação Fiocruz se somaram aos esforços de China e Inglaterra, respectivamente, nas pesquisas e agora produção de vacinas que podem salvar milhões de vidas. A Anvisa, no entanto, impôs condições inaceitáveis para a liberação da produção e/ou a importação dos insumos para a sua produção.

Constata-se, assim, objetivamente, que todos esses esforços em busca da vacina, e até antes, no combate à pandemia, causaram uma clara divisão no país. O Governo Federal não só nega a doença como age contra o seu combate, numa clara demonstração de irresponsabilidade com a saúde e a vida da população.

O veto aos gastos especiais para a aquisição das vacinas, decidido pelo viés ideológico do ajuste fiscal, não se sustenta, pois são de maior monta os gastos com hospitais, com UTIs, com remédios, com a paralisia da economia, além de, principalmente, o valor inestimável da perda de vidas humanas.

Neste momento em que há vacinas disponíveis no mercado, o governo brasileiro não apresenta nenhum plano factível de imunização, não fez os acordos de compras que possam cobrir a população e tem posto em dúvida a eficácia das vacinas, propondo inclusive uma série de medidas protelatórias que, se cumpridas, impedirão a imunização no Brasil em 2021.

São importantes as decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) de liberar a aquisição de vacinas disponíveis pelos governos estaduais, e, ao mesmo tempo, de que a Anvisa não pode dificultar a homologação das vacinas, seguindo a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS).

É preciso derrubar o veto, usar todas as instâncias e poderes para que se reverta essa decisão absurda do Governo Federal, que atenta contra a saúde pública e contra a vida.

Nesse sentido, as entidades que subscrevem esta nota entendem que é fundamental a mobilização da sociedade junto aos governos estaduais, como o de São Paulo, e aos prefeitos, para que a vacinação seja efetivada com urgência, sem qualquer empecilho que possa retardar o combate à doença, pois há novos picos diários de mais de 1.000 (mil) mortos e quase 50.000 (cinquenta mil) infectados, com hospitais e UTIs em risco de colapso.

Assim, as entidades defendem Vacinação, Já! Contra o veto presidencial sobre os gastos com a vacinação!

A Vacinação Já significa defender a vida, defender a Justiça social, o Direito Sanitário, a Democracia e o Estado de Direito, que são os compromissos basilares da advocacia e dos Direitos Humanos.

É urgente e é o que se precisa nesse momento tão grave.

Subscrevem o manifesto até o momento desta publicação:

Academia de Ciências de Pernambuco (ACP), Academia Paulista de Direito (APD),  Academia Paulista de Direito do Trabalho (APDT), Ação Educativa, Arrastão Movimento de Promoção Humana, [email protected]ções da Unifesp – Diadema/SP, Articulação Brasileira pela Economia de Francisco e Clara (ABEFC), Articulação de Mulheres Brasileiras, Associação Americana de Juristas – Rama Brasil, Associação Beneficente Estrela Dalva de Heliópolis, Associação Beneficente Irmã Edelfranca, Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (ABRAT), Associação Brasileira de Antropologia (ABA),Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciência (ABCMC),Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciência (ABCMC), Associação Brasileira de Ciência Ecológica e Conservação (ABECO),Associação Brasileira de Ciências Farmacêuticas (ABCF), Associação Brasileira de Ciências Farmacêuticas (ABCF), Associação Brasileira de Comunicação Pública (ABCPública), Associação Brasileira de Economistas Pela Democracia (ABED), Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC Brasil), Associação Brasileira de Educação Musical (ABEM), Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn), Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBenBio), Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo (ABEJ), Associação Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (Socine), Associação Brasileira de Estudos do Trabalho (ABET), Associação Brasileira de Estudos Sociais das Ciência e das Tecnologias (ESOCITE.BR), Associação Brasileira de Etnomusicologia (ABET), Associação Brasileira de Hispanistas, Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), Associação Brasileira de Limnologia (ABLimno), Associação Brasileira de Linguística (ABRALIN), Associação Brasileira de Literatura Comparada (ABRALIC), Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas (ABRACE), Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor), Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO), Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Associação Brasileira de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (Abrastt), Associação Brasileira Multidisciplinar de Estudos sobre Drogas- ABRAMD, Associação Cidade Escola Aprendiz, Associação Cultural da Comunidade do Morro do Querosene, Associação de Base dos Trabalhadores do Judiciário do Estado de São Paulo (ASSOJUBS), Associação de Direitos Humanos do Alto Tietê e Adjacências, Associação de Linguística Aplicada do Brasil (ALAB), Associação de Moradores do Jardim Casa Branca e Adjacências, Associação de Mulheres da Vila Pinheiros, Associação de Professores de Filosofia e Filósofos do Brasil (Aproffib), Associação de Professores de Filosofia e Filósofos do Estado de SP, Associação de Servidoras e Servidores da Defensoria Pública do Estado de São Paulo (ASDPESP), Associação dos Advogados Trabalhistas de SP, Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB), Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB), Associação dos Pesquisadores Científicos do Estado de São Paulo (APqC), Associação dos Procuradores do Estado de São Paulo (APET), Associação dos Professores de Ensino Superior de Juiz de Fora (APESJF), Associação Educacional e Assistencial Casa do Zezinho, Associação Franciscana de Solidariedade (Sefras), Associação Habitacional em Defesa da Moradia e Meio Ambiente, Associação Juízes para a Democracia (AJD), Associação Mineira de Advogados Trabalhistas (AMAT), Associação Nacional da Advocacia Negra (ANAN), Associação Nacional das Torcidas Organizadas do Brasil (Anatorg), Associação Nacional de História (ANPUH), Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (ANPARQ), Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo (ANPTUR), Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED), Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Geografia (ANPEGE),Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Geografia (ANPEGE), Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional (ANPUR), Associação Nacional de Pós-graduação em Filosofia (ANPOF), Associação Povo em Ação pela Qualidade Social e Vida Sustentável, Associação Prato Cheio, Associação Profissão Jornalista (APJOR), Associação Projetos Integrados de Desenvolvimento Sustentável de São Paulo, Associação Prudentina de Prevenção a AIDS (APPA), Associação Rede Rua, Associação Viva a Diversidade LGBT de Diadema, Bancada Hip Hop, Brigada pela Vida de São Paulo, Casa da Criança e do Adolescente Santo Amaro Grossarl, Casa Laudelina de Campos Mello – Organização da Mulher Negra
CEDECA Interlagos, Central dos Movimentos Populares (CMP), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central, Sindical e Popular Conlutas (CSP Conlutas), Centro Acadêmico 22 de agosto- Direito/PUC/SP, Centro Acadêmico XI de agosto- Direito/USP/SP, Centro de Direitos Humanos e Educação Popular do Campo Limpo (CDHEP), Centro de Direitos Humanos e Memória Popular, Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho do Instituto de Psicologia da USP (CPAT – IPUSP), Centro de Referência em Desenvolvimento e Humanidades da Universidade do Estado da Bahia, Centro Evangélico Brasileiro e Ecumênico de Pastoral (CEBEP), Centro Itaquerense das Famílias Amigas (CIFA/Itaquera), Centro Santo Dias de Direitos Humanos, Clube Brasileiro de Purinas (CBP), CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – Regional Sul1, Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE), Coletivo ALMA – Maiorca, Espanha, Coletivo Andes em Luta (CAEL), Coletivo Andorinha – Frente Democrática Brasileira de Lisboa, Coletivo Bar do Mutcho, Coletivo das Advogadas do Brasil, Coletivo de Assistentes Sociais Resistência e Luta de Sergipe, Coletivo de Mulheres e Gênero “Impacto Feminista” de Mogi das Cruzes, Coletivo de Negras e Negros de Taboão da Serra e Região, Coletivo Enfrente, Coletivo Flores pela Democracia, Coletivo Marielle Franco de Mulheres da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Coletivo Memória e Utopia, Coletivo Palmares – Bordeaux França, Coletivo por um Brasil Democrático (CPBD-LA) – Los Angeles, EUA, Coletivo Tecendo Democracia, Coletivo Terapeutas Solidários, Coletivo Transforma MP, Collectif Alerte France Brésil / MD18, Colletivo Marielle Franco- Ravenna Italia, Comissão da Advocacia Assalariada da OAB/SP, Comissão da Advocacia Pública OAB/SP, Comissão da Diversidade Sexual e Gênero OAB/SP, Comissão da Igualdade Racial OAB/SP, Comissão da Mulher Advogada da OAB/SP, Comissão da Verdade da Escravidão no Brasil da OAB/SP, Comissão das Sociedades de Advogados da OAB/SP, Comissão de Cultura e Eventos da OAB/SP, Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais da OAB/SP, Comissão de Direito Administrativo da OAB/SP, Comissão de Direito Constitucional da OAB/SP, Comissão de Direito do Terceiro Setor da OAB/SP, Comissão de Direito Eleitoral da OAB/SP, Comissão de Direito Militar da OAB/SP, Comissão de Direito Previdenciário da OAB-SP, Comissão de Direito Sanitário da OAB/SP, Comissão de Direitos Humanos da OAB/SP, Comissão de Direitos Humanos do Conselho Federal da OAB, Comissão de Igualdade Racial da OAB de Mogi das Cruzes-SP, Comissão de Justiça Restaurativa OAB/SP, Comissão de Política Criminal e Penitenciária da OAB/SP, Comissão de Processo Penal da OAB/SP, Comissão de Recepção e Visitas da OAB/SP, Comissão de Relacionamento com o TRF 3ª Região da OAB/SP, Comissão de Representação Junto à Área Contábil da OAB/SP, Comissão de Segurança Pública da OAB/SP, Comissão de Seleção e Inscrição da OAB/SP, Comissão Especial de Direito Desportivo da OAB/SP, Comissão Especial de Direito Penal da OAB/SP, Comissão Justiça e Paz de São Paulo, Comitê Defend Democracy in Brazil – New York, Comitê Lula Livre England Oxford, Comitê São Paulo da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Confederação das Mulheres do Brasil (CMB), Confederação dos Trabalhadores Municipais do BR Confetam-CUT, Congresso Nacional de Lutas Contra o Neoliberalismo, Conselho Estadual dos Direitos da Mulher do Rio de Janeiro (CEDIM-RJ), Conselho Federal da OAB – Presidente Felipe Santa Cruz, Conselho Federal de Serviço Social (CFESS), Conselho Nacional do Laicato Brasileiro (CNLB), Conselho Nacional do Laicato Brasileiro/Guarulhos (CNLB Guarulhos), Conselho Regional de Psicologia – Pernambuco (CRP 2ª região), Conselho Regional de Psicologia de São Paulo, Conspiração Socialista, Diadorim – Centro de Estudos de Gênero, Raça/Etnia e Sexualidade da Universidade do Estado da Bahia, Educafro, Escola de Cidadania da Zona Oeste – Butantã, Escola de Cidadania José de Souza Cândido da Diocese de Mogi das Cruzes, Escola de Fé e Política Waldemar Rossi, Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano (EPFCL-BRASIL), Espaço Cultural Jd Damasceno, Face Original, Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FeSBE), Federação dos Trabalhadores Municipais do Estado de São Paulo (Fetam/CUT-SP), Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Federação Nacional dos Metroviários (FENAMETRO), Federação Nacional dos Psicólogos, Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), Federación Internacional de Resistencia Migrante en España (FIRMES), Fórum da Cidade de Acompanhamento de Políticas Públicas da População de Rua, Fórum das Pastorais Sociais da Região 1 da Diocese de Campo Limpo, Fórum de Assistência Social da Cidade de São Paulo, Fórum de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Butantã (FoCA – BT), Fórum de Promoção da Liberdade Sindical no Estado do Espírito Santo, Fórum de Saúde do Campo Limpo, Fórum de Sustentabilidade do Butantã, Fórum Hip Hop do Município de São Paulo, Fórum Livre de Combate ao Racismo de São Bernardo do Campo, Fórum Municipal de Economia Solidária de Guarulhos, Fórum Nacional de Usuários do SUAS, FNU-SUAS, Fórum Popular de Saúde da Zona Leste – SP, Fórum Verde Permanente dos Parques, Praças e Áreas Verdes de São Paulo, Frente Ampla Democrática pelos Direitos Humanos (FADDH), Frente Ampla em Defesa da Saúde dos Trabalhadores, Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito, Frente Democrática Oxford, Frente Feminista de Esquerda do Alto Tietê, Frente Pela Vida – Mulheres de Presidente Prudente/SP, Geledés Instituto da Mulher Negra, Grupo de Fé e Política do ABC Paulista, Grupo Prerrogativas, Grupo Tortura Nunca Mais SP, Grupo Trabalho Pesquisa Capital da Faculdade de Direito USP (GTPC), Igreja Povo de Deus em Movimento (IPDM), Ile Àṣẹ Olú Aiye Ati Iya Omi, Iniciativa Direito à Memória e Justiça Racial, Instituto Brasileiro de Advocacia Pública (IBAP), Instituto Cultiva,Instituto de Defesa de Direito de Defesa (IDDD), Instituto dos Advogados Brasileiros, Instituto EcoVida – AP, AM, AC, PA, RR, PB, MA, PE, SE, SP, RJ, DF, RS, Instituto HaPHirma pelo Desenvolvimento Humano Integral, Instituto Macuco, Instituto Patrícia Galvão – Comunicação e Mídia, Instituto Paulo Freire, Instituto Pedro Henrique de Direitos Humanos, Instituto Trabalho, Indústria e Desenvolvimento (TID-Br), Instituto Vladimir Herzog de Direitos Humanos, Laboratório de Estudos do Imaginário do Instituto de Psicologia da USP (LABI – IPUSP), Levante das Mulheres Brasileiras – Mulheres Derrubam Bolsonaro, Linhas de Sampa/SP, Linhas de Santos/SP, Linhas do Horizonte/MG, Linhas do Itapeti/SP, Linhas do Mar/ Caraguatá SP, Linhas do Rio/RJ, Luta Popular, MNQRC- Movimento Nacional Quilombo Raça e Classe, Movimento Comunitário Trabalhista do Estado de São Paulo, Movimento da Advocacia Trabalhista Independente (MATI), Movimento da População em Situação de Rua do Rio Grande do Norte, Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos da Cidade de São Paulo (MOVA-SP), Movimento de Mulheres Judias Me dê sua Mão, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST/SP, Movimento em Defesa da Vida do ABC, Movimento Estadual da População em Situação de Rua de SP, Movimento Independente Mães de Maio, Movimento Mães de Maio
Movimento Mulheres em Luta (MML), Movimento Nacional da População em Situação de Rua
Movimento Nacional das Cidadãs PositHIVas (MNCP), Movimento Nacional de Direitos Humanos de SP – MNDH/SP, Movimento Nacional de Luta pela Defesa da População em Situação de Rua – MNLDPR, Movimento Nacional de Oposição Bancária (MNOB), Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR),Movimento Nacional dos Meninos e Meninas de Rua, Movimento Negro Unificado (MNU), Movimento Nosso Jardim Helena – Zona Leste de São Paulo, Movimento Parque Chácara do Jóquei, Movimento Sem Teto do Centro (MSTC), Mulheres na Luta Pela Democracia, Museu Bajubá, Nossa Igreja Brasileira – Igreja Batista/RJ, Observatório das Violências Policiais e dos Direitos Humanos (OVP-DH), Observatório Judaico dos Direitos Humanos no Brasil “Henry Sobel”, Observatório Nacional dos Direitos à Água e ao Saneamento (ONDAS), Ocupação Nove de Julho, Organização de Auxílio Fraterno (OAF), Paróquia Nossa Senhora Aparecida – Cocaia/Guarulhos, Paróquia Nossa Senhora de Fátima da Vila Fátima – Guarulhos/SP, Paróquia Nossa Senhora do Carmo de Itaquera/SP, Pastoral das Pessoas com Deficiências da Diocese de São Miguel Paulista, Pastoral de Educação do Regional Sul 1 da CNBB, Pastoral dos Idosos da Diocese de São Miguel Paulista, Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo, Pastoral Fé e Política da Diocese de Campo Limpo, Pastoral Fé e Política da Diocese de Guarulhos, Pastoral Fé e Política da Região Belém da Arquidiocese de São Paulo, Pastoral Fé e Política do Regional Sul 1 da CNBB, Pastoral Operária da Diocese de Campo Limpo, Pastoral Operária Metropolitana de São Paulo, Projeto Técnicos e Sociais (Projetech), Psicanalistas Unidos pela Democracia (PUD), Quilombo Dandara, Rede Brasileira de Redução de Danos e Direitos Humanos (REDUC), Rede de Apoio às Famílias das Vítimas do Covid, Rede de Entidades e Forças Sociais do Butantã (Rede Butantã), Rede de Escolas de Cidadania do Estado de São Paulo (REC-SP), Rede de Estudos e Monitoramento Interdisciplinar da Reforma Trabalhista (Remir), Rede de Historiadores e Historiadoras LGBTQIA+, Rede de Proteção e Resistência contra o Genocídio, Rede Irerê de Proteção à Ciência, Rede Nossa Mogi das Cruzes, Rede Social de Justiça e Direitos Humanos, Semana Tereza de Benguela da Baixada Santista, Sessão Sindical dos Docentes da Unioeste ADUNIOESTE), Sindicato das Psicólogas e Psicólogos do Estado de São Paulo, Sindicato das Sociedades de Advogados de SP e RJ (Sinsa), Sindicato do Procuradores do Estado, das Autarquias, Fundações e das Universidades Públicas de São Paulo (SINDPROESP), Sindicato dos Advogados de São Paulo (SASP), Sindicato dos Agentes Fiscais de Rendas do Estado de São Paulo (Sinafresp), Sindicato dos Bancários do Rio Grande do Norte (SEEB-RN), Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, Sindicato dos Funcionários Públicos de Diadema (SINDEMA), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Sindicato dos Nutricionistas do Estado de São Paulo (SindiNutri-SP), Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (SINDIPETRO/RJ), Sindicato dos Petroleiros do Pará, Amazonas, Maranhão e Amapá, Sindicato dos Procuradores do Estado, das Autarquias, das Fundações e das Universidades Públicas do Estado de São Paulo (Sindiproesp), Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco-APUBH, Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco-APUBH, Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (APEOESP), Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (APEOESP) – Sub-Sede Guarulhos, Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (APEOESP) – Subsede Poá/Ferraz de Vasconcelos, Sindicato dos Professores e Professoras de Guarulhos (Sinpro Guarulhos), Sindicato dos Químicos e Plásticos de São Paulo, Sindicato dos Técnicos Administrativos do Rio Grande do Norte (Sintest-RN), Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais do ABC, Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Estadual das Cidades de Caieiras e São Paulo (SINDJESP), Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no Estado de São Paulo (SINTRAJUD/SP), Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos do Judiciário Estadual na Baixada Santista, Litoral e Vale do Ribeira do Estado de São Paulo (SINTRAJUS), Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Estado de São Paulo (SINTAEMA), Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do RN (Sindsaúde-RN), Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência no Estado de São Paulo (SINSPREV SP), Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo (Sindsep/SP), Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação de São José dos Campos e Região (STA), Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal do Estado de São Paulo (Sindsef-SP), Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (CEDS-SP e DSSP), Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN), Sindicato Nacional dos Servidores do Ministério Público da União / Seção SP (SindMPU-SP), Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica e Profissional -Seção Sindical IFSC (SINASEFE-IFSC), Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário (SINPAF), Sindicato Nacional dos Trabalhadores do IBGE / Núcleo SP (ASSIBGE-SN/SP), Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), Sociedade Brasileira de Biofísica (SBBf), Sociedade Brasileira de Biologia Celular (SBBC), Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular (SBBq), Sociedade Brasileira de Economia Ecológica (ECOECO), Sociedade Brasileira de Ecotoxicologia (Ecotox.Br), Sociedade Brasileira de Eletromagnetismo (SBMAG), Sociedade Brasileira de Engenharia Biomédica (SBEB), Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos (SBEC), Sociedade Brasileira de Farmacognosia (SBFGnosia)m, Sociedade Brasileira de Farmacologia e Terapêutica Experimental (SBFTE), Sociedade Brasileira de Genética (SBG), Sociedade Brasileira de Geologia (SBGeo), Sociedade Brasileira de História da Ciência (SBHC), Sociedade Brasileira de História da Educação (SBHE), Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI), Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC), Sociedade Brasileira de Microbiologia (SBMicro), Sociedade Brasileira de Microeletrônica (SBMicro), Sociedade Brasileira de Ornitologia (SBO), Sociedade Brasileira de Ótica e Fotônica (SBFoton), Sociedade Brasileira de Pesquisa em Materiais (SBPMAT), Sociedade Brasileira de Química (SBQ), Sociedade Brasileira de Telecomunicações (SBrT), Sociedade Brasileira de Zoologia (SBZ), Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Sociedade de Arqueologia Brasileira (SAB), SOS Corpo – Instituto Feminista para a Democracia, SOS Fascism in Brazil: Press Reports, Uneafro Brasil, União Brasileira de Mulheres, União da Juventude Socialista (UJS), União dos Movimentos de Moradia de São Paulo (UMM), União Geral dos Trabalhadores (UGT), União Nacional dos Estudantes (UNE), União Nacional por Moradia Popular, Uniduniler Todas as Letras