“Dia de Luta” na Baixada teve ato na JT Santos e paralisação de petroleiros

Os servidores do Judiciário Federal na Baixada Santista marcaram com um ato na JT Santos a quinta-feira, 14 de setembro –  “Dia de Luta” contra os ataques do governo Temer (PMDB) aos serviço público e aos direitos dos trabalhadores.

A diretora do Sintrajud Lynira Sardinha, servidora da JT Cubatão, explicou aos colegas o contexto em que são apresentados, na Câmara e no Senado, os projetos de lei que pretendem eliminar conquistas históricas da classe trabalhadora. “Somente com união e luta poderemos evitar a perda de direitos, como a estabilidade, ou mesmo a demissão por avaliação de desempenho”, disse a servidora.

Já o servidor da JF Santos Adilson Rodrigues, coordenador da Fenajufe, condenou a proposta e reforma da Previdência. “Em hipótese nenhuma nós, servidores, podemos concordar com a reforma da reforma da Previdência, já que baseada em cálculos falaciosos”, afirmou.

Outro servidor da JF Santos, o diretor do Sintrajud Antonio Carlos Lauriano, alertou para a reforma administrativa, “que está em curso não só no TRT-2 e cujo grande vilão é a Emenda [Constitucional] 95, ou a PEC do Teto”. Ele advertiu que a JF também prepara sua reforma administrativa e que em breve poderá haver redução de número de varas.

Aulas abertas

Pela manhã, os petroleiros da Refinaria Presidente Bernardes, em Cubatão, fizeram uma paralisação na entrada do turno e do pessoal administrativo. Na Usiminas, que já foi uma das maiores usinas siderúrgicas do país, os trabalhadores que chegavam para trabalhar  eram recebidos pelos colegas sindicalistas com folhetos explicativos acerca das reformas do governo Temer.

Em Cubatão houve ainda aulas abertas no campus Jardim Casqueiro do Instituto Federal. “Foram na verdade conversas entre alunos e professores sobre a atual crise que o Brasil atravessa e sobre suas duras consequências na vida acadêmica e na futura vida profissional dos alunos”, disse Lynira Sardinha.

A diretora do Sintrajud participou do debate apresentando o cenário de ataques aos direitos dos trabalhadores e mostrando como isso se reflete nos servidores e no serviço público.

image_print