A “Reforma” Trabalhista já era!

  Não vou falar nem do ex-governo Temer, que sempre tratei como um desgoverno, preposto do capital estrangeiro. Falarei da confissão do relator da “reforma” na Câmara, deputado Rogério Marinho, feita, ontem, dia 17/05/17, em audiência pública, da qual eu também participava, no Senado, de que a “reforma” estava sendo conduzida por conta da “ruptura […]

 

Não vou falar nem do ex-governo Temer, que sempre tratei como um desgoverno, preposto do capital estrangeiro.

Falarei da confissão do relator da “reforma” na Câmara, deputado Rogério Marinho, feita, ontem, dia 17/05/17, em audiência pública, da qual eu também participava, no Senado, de que a “reforma” estava sendo conduzida por conta da “ruptura do processo democrático”!

Essa confissão de uma só vez revela tanto a ilegitimidade do governo quanto a dos seus principais objetivos: acabar com a Previdência Social Pública e destruir os direitos trabalhistas.

Em um país onde as instituições, apesar de tudo, ainda estão em funcionamento, isso é mais que suficiente para aniquilar a “reforma”.

É mais que suficiente também para se reconhecer que a “reforma” não é um projeto para o país e que o deputado não está representando o povo brasileiro, sendo tudo conduzido, conforme confessado expressamente, pelos interesses daqueles que apoiaram e estimularam a ruptura do processo democrático.

Pelo menos se tem a boa notícia de que com a confissão se chega ao fim dessa grave ameaça aos brasileiros. E tudo isso se revelou graças à forte resistência de todas e todos que não sucumbiram mesmo diante de ameaças e repressão.

Parabéns aos lutadores e lutadoras, mas é preciso manter e até aumentar a mobilização porque, claro, a luta continua!

image_print
Fechar Menu

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas