Cresce a reação contra o aumento da Amil

A reação dos servidores do TRF, da JF e do JEF contra o reajuste de até 47% nas mensalidades do plano de saúde, operado pela Amil, vem crescendo a cada dia.

O abaixo-assinado contra o aumento já tem mais de 1500 assinaturas. O objetivo é entregar o documento para a presidente do TRF-3, como mais uma demonstração da insatisfação da categoria.

Os servidores lutam para que o Tribunal busque crédito suplementar para assistência médica, bem como para obter maior transparência na negociação entre o Tribunal e a Amil, enquanto questionam o índice de reajuste.

Nesta quarta-feira, 16, eles voltam a paralisar o trabalho por duas horas e a fazer manifestação no TRF-3. Às 14h, a categoria realiza assembleia geral para discutir os próximos passos da mobilização contra o aumento abusivo da Amil.

A atividade também será parte do dia nacional de luta contra o desmonte do serviço público, convocado pelo Fórum Nacional dos Servidores Públicos Federais.

Uma comissão de servidores foi até a reunião do Órgão Especial, que acontecia no mesmo horário, e entregou requerimentos aos desembargadores presentes pedindo apoio à luta por mais verbas para a saúde.

“Fomos bem recebidos pelos desembargadores e continuaremos entregando o requerimento para os que não estavam presentes, nossa mobilização está pressionando o órgão e precisamos continuar para que a Administração atenda nosso requerimento”, ressaltou Maria Ires Graciano, servidora do JEF e diretora do Sindicato.

“Esta luta é uma bandeira de todos os servidores, somos todos atingidos, cada assinatura no abaixo-assinado expressa o tamanho do nosso descontentamento com este aumento abusivo”, afirmou Ana Luiza Figueiredo, diretora do Sintrajud e servidora aposentada do TRF.

A administração do TRF-3 ainda não respondeu ao requerimento do Sintrajud. Por isso, a assembleia deve organizar os próximos passos desta luta para pressionar a Administração e garantir mais verbas para a saúde.