Após demanda do Sindicato, TRT-2 remaneja verbas e absorve reajuste de ‘saúde’ até setembro

Sintrajud reivindica mais verbas para o custeio do plano de saúde, que terá reajuste médio de 10,33% para servidores.

O reajuste do plano de saúde dos servidores e magistrados do TRT-2 será subsidiado pela administração do Tribunal até setembro deste ano. A informação foi comunicada ao Sindicato nesta quarta-feira, 8 de julho. Segundo o informativo publicado há pouco na intranet, a administração aumentou o subsídio referente ao plano de saúde por meio de um remanejamento de recursos orçamentários. A demanda foi novamente apresentada pelo Sindicato na reunião em que o TRT fechou a negociação do reajuste retroativo a junho e prorrogou o contrato com a NotreDame.

O reajuste de 6,5% no valor do contrato foi firmado em reunião entre a Administração do TRT e NotreDame Intermédica, no dia 29 de junho. A diretoria do Sintrajud participou da reunião e se manifestou contrária ao reajuste considerado elevado e desproporcional em relação à inflação e à realidade salarial da categoria. O impacto médio para os servidores será de 10,33% – em razão do congelamento da contrapartida do Tribunal.

A defesa de mais recursos para saúde no Tribunal tem sido levada há meses às reuniões com a presidência e reuniões com o Diretor-Geral da Administração.  Em maio, o Sindicato apresentou novo requerimento pelo  reajuste do auxílio-saúde.

A garantia de maior custeio do contrato, na opinião da diretoria do Sindicato, precisa ser estendida, tendo em vista as economias de despesas com manutenção dos últimos três meses em que o Tribunal permaneceu sem funcionamento presencial nas unidades.

O valor a mais empregado pelo Regional na amenização do impacto do reajuste também será repassado ao auxílio pago aos servidores que utilizam contratos pessoais de assistência em saúde.

“O anúncio desse aporte é uma vitória, na medida em que absorve, ao menos parcialmente, os impactos deste reajuste bastante elevado e desproporcional à nossa capacidade financeira, como colocamos desde o início, quando foi apresentada a informação, e demonstra também o que a gente sempre defende: que o remanejamento é possível havendo vontade política das administrações. Agora, segue a luta para assegurar a elevação permanente do valor custeado pelo Tribunal, de modo que a administração do TRT e demais tribunais passem a arcar com uma proporção maior das despesas com saúde suportadas hoje por nossos salários congelados e até mesmo reduzidos”, ressalta Tarcisio Ferreira, dirigente do Sindicato e servidor do TRT-2.

Tarcisio ressalta que o Sintrajud vai ressaltar as demandas por reajuste definitivo do auxílio saúde no TRT e demais tribunais no estado.

image_print