Servidores e magistrados fazem ato ampliado em defesa da creche dia 28

Foto: Claudio Cammarota

Para dar continuidade à luta em defesa da manutenção e ampliação do atendimento do berçário do TRT-2, o Sintrajud e as associações de mães e pais e de magistrados (Amatra-2) vão realizar um novo ato em defesa da creche na quinta-feira, 28 de novembro. A manifestação acontece no átrio do Fórum Trabalhista Ruy Barbosa, às 13h, e terá a participação de representantes das centrais sindicais e outras entidades.

O protesto tem o objetivo de demonstrar a importância da manutenção do berçário, um direito garantido pelos servidores do TRT-2.  No mesmo dia, às 16h, está prevista a primeira reunião da comissão constituída pela presidente do Tribunal, desembargadora Rilma Aparecida Hemetério, para discutir alternativas que assegurem a permanência do espaço.

A princípio, a reunião da comissão aconteceria no dia 5 de novembro, mas a presidente adiou para o dia 26 e agora remarcada para próxima quinta-feira, 28. Na ocasião o Sindicato quer dialogar com a presidente do Tribunal a importância de que a administração não contraponha direitos. O colegiado será composto por representantes da administração, da Associação de mães e pais, da Amatra-2 e do Sintrajud.

Em outubro, após o agendamento da reunião, foi feita uma consulta quanto ao interesse pelo serviço da creche. Puderam participar servidores e juízes lotados no Fórum Ruy Barbosa e no Millenium, que têm filhos em idade compatível com o atendimento na creche, em período gestacional ou que pretendam ter filhos nos próximos dois anos. Ao todo, 152 pessoas manifestaram interesse em ter atendimento no berçário do Tribunal, mais de 40 já com filhos.

Isso significa que se as matrículas para o ano que vem forem reabertas e especialmente se for ampliada a idade de permanência das crianças para três anos de idade seria possível não só ter o quadro completo de vagas oferecidas como haveria excedente, mostrando a importância da garantia do direito.

21 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres

Além do ato em defesa da creche, para marcar os “21 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres”, vai acontecer a performance “NegrAlohAranhA – Tributo às Mulheres que Morreram de Violência”, com a artista Aloha’ De La Queiroz.

O período entre 25 de novembro, Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher, e 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos, é reconhecido pela ONU como sendo de mobilização para erradicar as múltiplas formas de violência que afrontam os direitos humanos das mulheres. No Brasil, o início da campanha foi antecipado para 20 de novembro, o Dia da Consciência Negra, formando os 21 dias de ativismo, já que as violências de gênero atingem ainda mais as mulheres negras.

A performance acontece logo após o ato, na quinta-feira, 28, no átrio do Fórum Ruy Barbosa. Ao longo da semana, o Sindicato preparou uma programação nos locais de trabalho que inclui apresentação teatral, performance, cine-debate e conversa sobre defesa pessoal (veja aqui).

image_print