Últimos preparativos para o Congresso da categoria: rumo à greve geral contra a ‘Nova previdência’ de Bolsonaro

Às vésperas do 10º Congresso da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e do Ministério Público da União (Fenajufe), as delegações se preparam para a maratona de cinco dias de debates que acontecerão em Águas de Lindóia, no interior do Estado, a partir deste dia 27 (confira aqui a programação).

A representação de São Paulo levará ao congresso propostas discutidas no último Conselho de Base e assembleia da categoria. Entre elas o indicativo de greve geral contra a ‘Nova previdência’ proposta pelo governo Bolsonaro, a ser construída para a primeira quinzena de maio. No dia 15 do mês que vem tem início a greve nacional de professoras e professores, e o movimento sindical de todo o país tem manifestado apoio à paralisação que pode ser o estopim de um dia nacional de luta de toda a classe trabalhadora.

“Nossa proposta, a partir do debate que fazemos aqui, é que apressemos o passo. Façamos um chamado à nossa Federação para que assuma seu papel, que o Fórum dos Federais também seja chamado a assumir o seu papel de articulação do conjunto dos servidores federais dos três poderes, um milhão e 200 mil servidores, e que as centrais sindicais, inclusive aquela que o Sintrajud tem a honra de reivindicar, que é a CSP-Conlutas, apressem o passo na definição de um calendário de lutas mais efetivo, que passa com certeza por uma greve geral no país para barrar esse ataque absurdo, sem precedentes, que é a ‘reforma’ proposta por Bolsonaro”, afirmou Adilson Rodrigues, servidor da JF em Santos e dirigente da Fenajufe durante a atividade preparatória do Congresso promovida pelo Sindicato no último dia 13. (Assista ao vídeo acima)

Estratégias para a luta por valorização da carreira também serão parte da discussão no Congresso, num cenário em que “o debate estritamente salarial está fora dos marcos do modelo deste governo”, como afirmou o servidor do TRE Démerson Dias, fundador do Sintrajud e da Fenajufe, na atividade realizada durante o Conselho de Base. (Assista ao vídeo)

A defesa do direito greve também será reafirmada, com duras críticas à cúpula do Poder, que em 2016 conferiu liminar possibilitando o desconto de dias parados por servidores públicos. Durante o debate, o advogado César Lignelli referiu-se ao último livro lançado pelo sociólogo Ricardo Antunes. “Face ao privilégio da servidão, nos resta, apenas e tão somente, lutar pelo desafio da emancipação.” (Assista ao vídeo)

A defesa de uma política salarial que assegure a reposição de perdas ao servidores também será parte dos debates no Congresso. Sobre esse tema, o assessor econômico do Sintrajud, Washington Moura Lima, também apresentou no evento realizado pelo Sintrajud, um histórico das conquistas da categoria e as possibilidades de valorização da carreira.

Confira a delegação de São Paulo atualizada, já com os nomes alterados a pedido das chapas. Houve sucessivas mudanças e, por isso o Sindicato republica as listas de acordo com as últimas informações consolidadas pelas chapas junto à secretaria do Sintrajud.

Chapa 1 – Luta Fenajufe/SP – Delegados: 1) Henrique Sales Costa, 2) Fabiano dos Santos, 3) Adilson Rodrigues Santos, 4) Maria Ires Graciano Lacerda, 5) Inês Leal de Castro, 6) Marcus da Silva Vergne, 7) Luciana Martins Carneiro, 8) Tarcisio Ferreira, 9) Maurício Rezzani, 10) Maria Angélica Olivieri, 11) Ivo Oliveira Farias, 12) Ronald de Carvalho Fumagali, 13) João Carlos Carvalho da Silva, 14) Marcos dos Santos Pereira, 15) Cláudia Sperb, 16) Raquel Morel Gonzaga, 17) Ana Luiza de Figueiredo Gomes, 18) Jean Carlos de Morais, 19) Cléber Borges de Aguiar, 20) Claudia Vilapiano Teodoro de Souza, 21) José Carlos Sanches, 22) Elizaldo Veríssimo da Silva e 23) Antonio Carlos Correia. Observadores/suplentes: José Dalmo Vieira Duarte, Pedro Lorenzi Breier, Maria Cecília Pereira, Lúcia Maria Souza de Andrade, Antônia Candida da Silva, Maria Francisca Lopes Rueda, Luiz Cesar de Paiva Reis, Ester Nogueira de Faria, Adão Sergio de Souza, Márcio Arnaldo Guimaraes Lóis, Marinilda Dias da Silva e Maria da Penha de Freitas.

Chapa 2 – “Oficiais em ação” – Delegados: 1) Erlon Sampaio de Almeida, 2) Marcos Renato Yamamoto Trombeta, 3) Beatriz Mazzei Nubie Massariol, 4) José Henrique Casselli, 5) Ana Silvia Poço, 6) Kátia Midori Koga Kawakame, 7) Matilde Gouveia, 8) Fábio Hiroshi Suzuki, 9) Ana Lúcia Prado Garcia, 10) Marcelo Tolaine Paffetti e 11) Maurício Itiro Sinzato. Observadores/suplentes: Luciana Schucht de Carvalho. * Esta chapa elegeu mais cinco (5) observadores/suplentes, mas houve impedimentos à participação de integrantes da delegação e esta é a última lista comunicada à secretaria do Sindicato.

Chapa 3 – “Coletivo Reconstrução”: 1) Alice Quintela Lopes Oliveira, 2) Ana Luiza Ferreira, 3) Anézio Henrique Junior, 4) Carolina dos Santos Marques, 5) Elaine Amaral, 6) Flávio Conrado Júnior, 7) Helena Pontes dos Santos, 8) João Luiz Mutaf, 9) Luciane Pianta Palhares, 10) Neemias Ramos Freire, 11) Sandra Regina Pestana Tirlone, 12) Thiago Duarte Gonçalves, 13) Valter Luiz Peluque, 14) Wagner Garcia Garcez, 15) Rodrigo Évora e 16) Geraldo Forte. Observadores/suplentes: Thiago da Costa Bezerra Cavalcanti, Cristine Maia de Assunção, Coaracy Caracas Soares Santos, Maria Helena Garcia Leal, Maria Gabriela Miccuci Pires. * Esta chapa elegeu 17 delegados/as e mais três observadores/suplentes, mas até a publicação deste texto ainda não havia informado à secretaria as substituições das vagas em aberto.

image_print