Assembleia setorial aprovou que a categoria acompanhará as mobilizações unificadas; proposta também deve ser discutida na assembleia geral, no dia 13 de abril.

Foto: Kit Gaion

Na tarde desta quarta-feira, 10 de abril, os servidores do Fórum Trabalhista Ruy Barbosa fizeram uma assembleia setorial e debateram o calendário de mobilização contra a ‘reforma’ da Previdência do Governo Bolsonaro (PSL).

Os servidores voltaram a discutir sobre a Proposta de Emenda Constitucional 06/2019, que acaba com o sistema previdenciário que conhecemos hoje no Brasil e institui regras que praticamente inviabilizam a aposentadoria, e sobre o calendário de lutas aprovado pelas centrais sindicais. “As centrais sindicais, os sindicatos e movimentos sociais estão construindo um calendário de iniciativas de mobilização unificada, penso que devemos conversar com cada colega e construir juntos, com objetivo de fazer uma greve geral para impedir a aprovação desta ‘reforma’”, afirmou Fabiano dos Santos, diretor do Sintrajud e servidor do TRT.

Foto: Marcus Vergne

Já estão marcados como dias de luta o dia 24 de abril, dia nacional de mobilização da educação, e o 1º de maio, que terá atos unificados em todo o país. Além disso, estão sendo colhidas assinaturas ao abaixo-assinado nacional contra a PEC 06/2019. Antes da atividade, a diretoria do Sintrajud montou uma banca e, em apenas duas horas recolheu mais de 400 assinaturas. “Há um interesse das pessoas no assunto, o abaixo-assinado é uma forma de conversar com a população sobre as consequências desta reforma e desmentir o discurso do governo sobre déficit do sistema previdenciário”, disse Tarcísio Ferreira, diretor do Sindicato e servidor do TRT. (Baixe aqui o abaixo-assinado e seja parte dessa mobilização)

Durante a setorial, os servidores discutiram a necessidade de a categoria somar-se ao calendário de lutas unificado, para fortalecer a construção de uma greve geral em defesa da previdência. “O governo Bolsonaro, mesmo envolvido em vários escândalos, está conseguindo dar andamento à PEC da Previdência, e só derrotaremos essa reforma com muita mobilização, neste sentido, iniciativas como abaixo-assinado são importantes, mas sozinhos são insuficientes, precisamos participar dos dias de lutas e pressionar as centrais para convocar um dia de greve geral no país, assim como aconteceu em 2017”, destacou Inês.

A proposta de unificação dos servidores do Judiciário Federal ao calendário unificado, junto a outras categorias, será discutida na assembleia geral que acontece neste sábado, dia 13 de abril, às 15h, no auditório do Sindicato (Rua Antônio de Godói, 88, 15º andar).

Fechar Menu

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas