Luta contra o expediente presencial no TRT e informes da Comissão de Estudos serão temas da live desta 5ª

Diretoria do Sintrajud conversará com os servidores sobre os informes da reunião que aconteceu nesta quarta; transmissão acontece a partir das 11h no Facebook, Youtube e aqui pelo site. Ouça neste texto o informe em áudio do diretor Tarcisio Ferreira.

A luta contra o retorno presencial precoce no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região será o tema da 45ª live do Sintrajud, que acontece nesta quinta-feira, 3 de setembro, às 11h, com transmissão FacebookYouTube e aqui pelo site do Sindicato. Os diretores  Henrique Sales e Tarcisio Ferreira, que participaram da reunião da Comissão de Estudos para Retorno Gradual às Atividades Presenciais, no fim da tarde desta quarta-feira (2), vão falar sobre os informes e encaminhamentos da reunião durante a transmissão online.

A diretoria do Sintrajud foi convidada a participar da reunião da Comissão de Estudos após reiteradas demandas da entidade e da categoria.  Os dirigentes ressaltaram junto à administração a deliberação da categoria contra o retorno enquanto não houver controle da pandemia (leia aqui).

Retomada em quatro fases

A reunião, presidida pelo juiz Sérgio Pinto Martins, debateu que haveria quatro etapas para a retomada, na proposta do Tribunal. A primeira delas começando pelo retorno de cerca de 20% dos servidores, em sistema de rodízio, seguida de retomada do atendimento ao público. O Tribunal informou que ainda não há prazos definidos para essa retomada, mas a corrida para debater o retorno ao invés do reconhecimento de que não há condições de segurança sanitária demonstra outra intenção – similar ao que ocorreu na Justiça Federal.

Em relação à retomada das audiências de instrução, elas apenas ocorreriam na terceira das quatro fases. “Está claro que esse é o cerne de toda a reabertura, seja por pressão do CNJ, seja por pressão da advocacia — que em realidade está sendo obrigada a fazer instruções virtuais, tendo para isso que levar as partes presencialmente aos seus escritórios, não restando para tais senão a reivindicação por instrução presencial. Na prática, obrigados a fazer as audiências de instrução virtual, já estão quebrando a quarentena”, explica Henrique. O Sindicato manifestou posicionamento veemente contra esse “plano”. “A quem interessa de fato retomar o trabalho presencial? E se alguém morrer?” coloca o dirigente.

#nãoseremoscobaias!

“Pontuamos que os diretores de secretaria, os secretários de audiência, os oficiais de justiça, agentes e terceirizados serão tratados como “cobaias” de um processo de reabertura no qual os magistrados apenas retornariam de fato na última etapa”, frisa Henrique. “Também ressaltamos que entre os diretores de secretaria é uníssona a contrariedade ao retorno presencial”, destaca o dirigente.

Em comunicado divulgado na manhã de hoje a presidência do TRT informou que a torre B da sede do Tribunal ficará fechada por três meses para obras. Enquanto isso, os trabalhadores na primeira instância ficariam expostos aos ainda altos índices de contágio.

Ouça abaixo o informe resumido do diretor Tarcisio Ferreira e acompanhe a live desta quinta para saber os detalhes da reunião e debater propostas de mobilização contra a exposição da saúde e da vida dos trabalhadores, advogados e jurisdicionados.

Durante a transmissão os servidores e servidoras podem fazer perguntas, apresentar sugestões e propostas. Por isso, participe e convide seus colegas. Desde o início da pandemia e com a necessidade de distanciamento social, os bate-papos virtuais têm sido a principal ferramenta do Sintrajud para manter o diálogo com a categoria e mobilizar em defesa dos direitos.

*Colaborou: Luciana Araujo