TRT-2 cobra proposta menor sobre o plano de saúde à NotreDame

O presidente do TRT-2, desembargador Wilson Fernandes, notificará a NotreDame Intermédica Saúde S/A, única empresa que se apresentou à licitação do plano de saúde dos servidores, magistrados, dependentes e agregados, para que apresente uma nova proposta com valores menores. A informação foi passada a representantes do Sintrajud em reunião ocorrida na tarde desta terça-feira, 13.

A reunião foi chamada em caráter de urgência na manhã desta terça-feira, após manifestação do Sindicato que alertou que, pelas condições postas quando do resultado do pregão, no plano básico o reajuste médio seria de 37% direto para os servidores caso Tribunal não aumente a sua contrapartida.

A NotreDame Intermédica foi considerada classificada no processo de licitação para contratação do novo plano de saúde no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, apresentando um lance que, mesmo após redução demandada durante o pregão, ficou em torno de 20% acima do valor das tabelas atuais.

No entanto, os valores espantaram a própria Administração do Tribunal. “O aumento de 20% no valor não é cabível, fizemos reduções no plano, retiramos procedimentos, para que o valor baixasse, e não aumentasse”, afirmou o presidente do TRT-2.

Ainda segundo o desembargador, a empresa escalonou os preços de acordo com a idade dos segurados. “O aumento para os servidores com mais de 59 anos é maior que 100%, e penaliza principalmente os trabalhadores mais velhos e que, em geral, precisam mais do plano”, destacou.

O presidente afirmou que irá notificar a NotreDame para que apresente uma proposta de menor valor no prazo de 10 dias e, ao mesmo tempo, irá procurar outras empresas administradoras de serviços de assistência médica. “O problema é que o mercado é cartelizado e nos dá menos possibilidades de negociações, mas queremos pressionar, este preço é inviável”, afirmou o desembargador Wilson Fernandes.

Durante a reunião, a diretoria do Sintrajud voltou a destacar que a melhor solução diante do cartel das seguradoras de saúde é um plano de saúde autogestionado, a exemplo do que ocorre no Tribunal Superior do Trabalho. “Devemos estudar esta proposta, com a criação de uma comissão de estudos, com representantes de todos os segmentos, para conseguirmos aplicar em um médio prazo”, afirmou Henrique Sales, diretor do Sintrajud e servidor do TRT-2.

Na opinião da diretoria do Sindicato, a reunião com o presidente demonstra um avanço no diálogo entre a Administração e os servidores, assim como as reuniões mensais.

Café para organizar demandas

Nesta sexta-feira, 16, o Sintrajud vai realizar novo café da manhã com os servidores no Fórum Trabalhista Ruy Barbosa. O objetivo é discutir o plano de saúde e as demandas que serão apresentadas na próxima reunião com o presidente do TRT-2, que acontece no dia 23 de março. O café da manhã será às 9h30, no átrio do Fórum.

image_print