SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL NO ESTADO DE SÃO PAULO
links do site antigo do Sintrajud

Notícias do site antigo

10/10/2016

Temer dá festa com verba pública pela PEC que corta até da saúde

Jantar no Palácio reuniu 210 deputados e familiares para defender PEC 241

Temer teria dito aos convidados que é inadmissível a existência de movimentos contrários à PEC

O presidente Michel Temer (PMDB) recebeu cerca de 210 deputados, a maioria deles acompanhados de familiares, na noite de domingo, 9, para convencê-los a votar favoravelmente a PEC 241/2016, que derruba recursos de áreas sociais como a saúde e a educação.

O jantar oferecido com verbas públicas aos parlamentares é parte do operativo do governo para tentar aprovar proposta de emenda constitucional que congela o orçamento dos serviços públicos por 20 anos. A PEC 241 levará a cortes bilionários nas previsões orçamentárias destinadas a áreas como saúde e educação. Nota da Procuradoria-Geral da República, enviada ao Congresso Nacional, afirma que a proposta é inconstitucional e pode inviabilizar o funcionamento do sistema judicial.

Ao lado da primeira-dama, Marcela Temer, o contestado presidente recebeu os convidados, cujos carros oficiais fizeram fila na entrada do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República, em Brasília. O presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), também compareceu.

De acordo com os jornais, Temer teria dito que é inadmissível a existência de movimentos contrários à PEC 241 – frase que pode reforçar o clima repressivo já instalado nos últimos dias na Câmara dos Deputados por conta da votação da proposta na comissão especial. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), convocou sessões para esta segunda-feira, 10, para tentar aprovar a PEC 241 em Plenário.

O Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais organiza mobilizações nos aeroportos, para abordagem inicial dos parlamentares, e no Congresso. Todos os servidores estão “convocados” a ajudar na pressão contra a aprovação da proposta que pode inviabilizar os serviços públicos gratuitos no Brasil. Quem desejar participar, deve contatar a sua entidade sindical para saber onde haverá atividades.




Voltar