CSP Conlutas Sintrajud Fenajufe
SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL NO ESTADO DE SÃO PAULO
12/mar/2019

Sintrajud conversa com magistrados das varas do Fórum de Barueri

Diretores do Sindicato procuraram juízes para cobrar um posicionamento quanto às propostas de redução de jornada aprovada pelos servidores enquanto o problema do calor no prédio não é resolvido.

Shuellen Peixoto

Foto: Gero Rodrigues

Diretores do Sintrajud procuraram os magistrados de todas as varas do Fórum Trabalhista de Barueri para conversar sobre a proposta dos servidores, aprovada em assembleia, de redução de jornada enquanto o problema do sistema de ar condicionado do prédio não é resolvido. Servidores, magistrados, advogados e usuários sofrem com as altas temperaturas do edifício, que apresenta problemas no sistema de ar condicionado desde a sua inauguração, em 2016.

Nesta segunda-feira, 11 de março, os servidores discutiram os resultados da última reunião com a presidente do TRT-2, desembargadora Rilma Aparecida Hemetério, no dia 27 de fevereiro, mesmo dia em que os servidores paralisaram as atividades do Fórum por 24 horas. A presidente rejeitou a proposta dos servidores de reduzir a jornada de trabalho para cinco horas diárias, das 8h às 13h (evitando o período da tarde, que é mais quente), mas propôs que os servidores buscassem diálogo com o Corregedor Geral, desembargador Luiz Antonio Moreira Vidigal, e com os juízes responsáveis pelas varas do Fórum, com objetivo de construir uma solução consensual entre eles.

Após a reunião, a desembargadora enviou comunicado a todas as varas do Fórum orientando que, nos dias de altas temperaturas e que fosse verificada a impossibilidade de seguir com as atividades, os magistrados poderiam pedir a suspensão do expediente.

Esta solução, no entanto, não foi considerada viável pelos servidores. “É uma orientação subjetiva e que gera mais ônus e transtornos, imagina que as partes compareceram ao Fórum e não teve audiência, por exemplo, para nós não resolve”, afirmou Camila Pereira, servidora do Fórum. “Queremos uma solução que garanta nossas condições de trabalho e que seja uma regra geral, para todas as varas”, completou a servidora.

Reunião entre juízes e Corregedoria

A diretoria do Sintrajud se reuniu com o Corregedor Geral do TRT-2 na quinta-feira, 7 de março, levando a proposta dos servidores. O desembargador Vidigal convocou os juízes das varas de Barueri para uma reunião nesta terça-feira, 12 de março, com o objetivo de formalizar uma solução para a questão enquanto durarem as obras e o problema não for resolvido definitivamente.

“Nós buscamos cada juiz das varas de Barueri para conversar antes da reunião, acreditamos que este problema atinge a todos, é uma situação excepcional que afeta a saúde de todos que utilizam este prédio, é preciso criar uma regra objetiva que garanta o minimo de condições de trabalho enquanto as obras não terminam”, afirmou o diretor do Sindicato Gilberto Terra, servidor do JF/Fórum Previdenciário. Apenas o juiz titular da 3a vara não conversou com os diretores, informando que não poderia interromper as audiências.

O Sintrajud seguirá acompanhando as reuniões e buscando uma solução que garanta condições de trabalho e a saúde dos servidores. Na quarta-feira, 20 de março, acontece uma nova assembleia setorial para discutir os próximos passos da mobilização da categoria.

 

*Matéria atualizada às 18h49, no dia 13 de março

Compartilhar: