Sintrajud cobra que TRF-3 siga as medidas adotadas em todo o país

TRF-1 adia volta do trabalho presencial para setembro e isola a Terceira Região no retorno precoce; reunião com o Sindicato será no dia 5.

O Sintrajud voltou a pedir a suspensão das atividades presenciais no TRF-3 e na Justiça Federal em requerimento encaminhado na noite desta terça-feira, 28 de julho, ao presidente e à corregedora do Tribunal, logo após a Primeira Região divulgar ato prorrogando o trabalho remoto até 31 de agosto. O pedido reitera a petição apresentada no dia 24, quando o Sindicato já apontava os riscos à saúde dos servidores da volta do trabalho presencial em meio aos números ainda elevados de contaminações e de óbitos pelo novo coronavírus.

Participe da mobilização contra o retorno presencial: assine o abaixo-assinado

A presidência do Tribunal respondeu nesta quarta-feira que o assunto será tratado em reunião com o Sintrajud agendada para 5 de agosto. O Sindicato cobra antecipação desse encontro.

Servidores fizeram ato diante do TRF-3 na segunda-feira, 27, primeiro dia da greve sanitária. (Fotos: Cláudio Cammarota).

O TRF-3 e a JF iniciaram a retomada das atividades presenciais na última segunda-feira. A diretoria do Sintrajud e a equipe de reportagem percorreram o prédio do Tribunal e verificaram que não estão sendo respeitadas nem as medidas sanitárias propostas pela Nota Técnica do próprio Tribunal e da Seção Judiciária.

“Não foram instaladas barreiras físicas para o atendimento ao público; não há sinalização no chão, notadamente nas filas para elevadores, protocolos etc.; não foram visualizados os filtros de ar de alta eficiência nos ambientes; não foram consolidadas mudanças no sistema de ventilação das unidades”, denuncia o requerimento apresentado pelo Sintrajud.

“Ainda foi identificado, em diversos locais, ausência de álcool em gel e aglomerações em alguns setores, notadamente aqueles em que ficam os trabalhadores terceirizados e central de digitalização”, acrescenta o documento.

O Sindicato também manifestou preocupação com a notícia da contaminação pelo novo coronavírus de um servidor do Anexo Administrativo Presidente Wilson. De acordo com as informações recebidas pelo Sintrajud, uma das atribuições desse servidor “era a separação e envio de material de equipamentos de proteção para as demais unidades da Justiça Federal”.

Denuncie aqui se sofrer assédio moral

Expediente voltou só na 3ª Região

Ainda na noite desta terça-feira, o TRF-1 adiou para setembro o retorno ao trabalho presencial que estava programado para a próxima segunda-feira, 2 de agosto. A medida atende a um pedido da Diretoria do Foro da Bahia e segue o exemplo do TRT baiano e da justiça estadual, após o falecimento de uma servidora vítima da covid-19.

Com isso, o TRF-3 ficou isolado em sua decisão de manter a volta das atividades presenciais a partir desta semana, já que as outras quatro regiões da Justiça Federal adiaram a retomada. No STF, onde há o registro de 64 casos de contaminação, não se sabe se os ministros voltarão do recesso, conforme noticiou a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

Também foi adiada, para 15 de agosto, a volta gradual do trabalho presencial nos TREs da Bahia e de Alagoas. Em ambos os estados, os servidores se mobilizaram contra o retorno precoce: os da Bahia já estavam em greve sanitária e os de Alagoas cogitavam deflagrar o movimento.