Sindicato e Fenajufe atuam no Senado para frear a “Nova previdência”

Sintrajud protocolou ofício conjunto com a Federação nos gabinetes dos senadores paulistas; dirigente da Fenajufe da base de SP participou de reuniões com assessorias dos legisladores.

Em meio ao esforço governamental e de sua base no Senado para aprovar a ‘reforma’ da Previdência, o Sintrajud e a Fenajufe atuam para buscar barrar o sucesso do Planalto na obtenção dos 49 votos necessários em dois turnos para que a proposta de emenda constitucional  (PEC) 6/2019 se efetive.

Da esq. à dir: Marcos Trombeta, Maria Ires, Claudia Sperb, Fabiano dos Santos, Maria Helena Leal, Thiago Duarte e Flávio Conrado.

Na semana passada, durante a caravana que atuou na Câmara dos Deputados, o Sindicato formalizou ofício junto aos gabinetes dos três senadores por São Paulo – José Serra (PSDB), Major Olímpio (PSL) e Mara Gabrilli (PSDB) – ressaltando os malefícios da “Nova previdência” e cobrando voto contrário à retirada de direitos. Um dos caravaneiros paulistas, o oficial de justiça da JF Marcos Trombeta cumpriu o trabalho de pressão junto aos senadores enquanto os demais colegas atuavam junto aos deputados. “Foi importante nossa divisão de tarefas para reafirmar a posição do Sintrajud e da Fenajufe junto aos senadores de São Paulo antes mesmo da ‘reforma’ chegar ao Senado”, relata Fabiano dos Santos, servidor do TRT-2 e dirigente do Sindicato e da Federação que coordenou a caravana do Sintrajud a Brasília na semana passada. Participaram das atividades os colegas Erlon Sampaio, Marcos Trombeta, Maria Ires Gaciano Lacerda (também diretora do Sindicato), Claudia Sperb, Fabiano dos Santos, Maria Helena Leal, Thiago Duarte e Flávio Conrado.

Acima, da esq. para a dir: o assessor do senador Wellington Fagundes, a diretora da Fenajufe Juscileide Kliemaschewsk e Erlon Sampaio. Abaixo: Erlon, Fernando Freitas (também da direção da Fenajufe) e a assessora da senadora Mara Gabrilli.

Outro dirigente da Fenajufe e servidor da base do Sintrajud, Erlon Sampaio integrou a equipe da Federação que se reuniu com as assessorias dos  senadores Wellington Fagundes (PL/MT) e Mara Gabrilli. Nas duas oportunidades foram demandadas audiências com os próprios parlamentares e apresentada a nota técnica produzida pela Federação contra a ‘reforma’. Os diálogos giraram “em torno da reafirmação da posição contrária da Fenajufe à PEC 6/2019”, destaca o site da Federação, que traz também a informação de que o assessor do senador, Ananias Martins Souza Filho, afirmou aos dirigentes que “a reforma chegou blindada ao Senado e sem espaço para alterações, ficando possíveis mudanças para a PEC paralela a ser originada na Casa.” Governo e base aliada já articulam novas mudanças pós PEC 6 para destruir o que sobrar da Previdência – por exemplo retomando o sistema de capitalização.

Nesta quarta-feira  (14) a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) realiza audiência pública para debater os impactos da ‘reforma’, na sala 6 da Ala Nilo Coelho, às 11 horas. O evento será transmitido por meio do link http://bit.ly/audienciainterativa.

Os servidores que integram a quarta caravana organizada pelo Sintrajud à capital federal vão acompanhar a audiência e dar seguimento à busca de diálogo com os gabinetes dos senadores e pedido de agendamento de reuniões nos escritórios políticos no estado. Participam das atividades nesta semana, além dos dirigentes Fabiano dos Santos e Maria Ires Graciano Lacerda, os aposentados Marcio Arnaldo Guimarães Lóis (TRE) e Maria Helena Garcia Leal (TRF).

image_print
Fechar Menu

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas