Setorial na JF/JEF de São Vicente discute ataques do governo ao funcionalismo

As investidas do governo contra os direitos dos servidores públicos, os quintos e a necessidade de mobilização da categoria foram os principais assuntos debatidos na assembleia setorial que os servidores da JF e do JEF de São Vicente fizeram na última sexta-feira, 18.

“Eles também apresentaram propostas sobre a questão do plano de saúde e manifestaram preocupação com a falta de servidores”, disse Lynira Sardinha, oficial de justiça da JT Cubatão e diretora do Sintrajud, que conduziu a atividade juntamente com o diretor Antonio Carlos Lauriano, servidor da JF Santos.

Também na sexta-feira, esses temas foram debatidos na reunião entre diretores do Sindicato e o diretor do Foro da Seção Judiciária de São Paulo, juiz federal Paulo Cezar Neves.

Lynira destacou que a assembleia reuniu número expressivo de servidores da JF e do JEF de São Vicente, que têm um quadro reduzido frente à quantidade de trabalho.

“Informamos a eles nossa posição em relação aos ataques do governo, a situação dos projetos que retiram direitos e a dos quintos”, relatou a diretora do Sintrajud.

“É justamente em momentos como esse, de tantos ataques à classe trabalhadora, que precisamos reunir forças, nos unir e agir de forma organizada e eficaz”, declarou Lauriano. “A conversa com os colegas da JF e do JEF São Vicente foi bastante produtiva, tanto que estamos construindo a possibilidade de realizarmos o nosso ato do próximo dia 30 de agosto na entrada do Fórum de São Vicente”.

Setorial de oficiais na JT Santos

Na próxima quarta-feira, 23, os oficiais de justiça da JT da Baixada Santista vão se reunir às 13h na principal central de mandados da região, a da JT Santos. A assembleia setorial será realizada em meio à greve do segmento contra a decisão do TRT de deslocar os oficiais para o trabalho nas varas (Ato GP/CR 5/17).

“Convocamos todos os oficiais da região, inclusive os que não puderam comparecer à atividade na capital”, disse Lynira Sardinha, referindo-se à assembleia que os oficiais realizaram na sexta-feira no Fórum Ruy Barbosa. “São insustentáveis os prejuízos causados por esse ato, somados a outras medidas em curso, sobre as quais conversaremos na assembleia.”

image_print