Semana de mobilização em Brasília associa luta contra a PEC 32 e combate ao racismo no Brasil


17/11/2021 - Helcio Duarte Filho
'Reforma' administrativa de Bolsonaro é apontada como também racista, ao desenhar um futuro no qual os setores mais vulneráveis da sociedade perderão acesso a direitos sociais assegurados pelos serviços públicos.

Ato em frente ao Palácio do Planalto denunciou genocídio bolsonarista (Fotos: Valcir Araújo).

A ‘reforma’ administrativa que o governo Jair Bolsonaro tenta aprovar no Congresso Nacional é também racista. Esta afirmação permeou o conjunto de manifestações da campanha Contra a PEC 32 realizadas nesta semana da Consciência Negra, em Brasília, a décima consecutiva de atos presenciais nacionais e em boa medida simbólicos do funcionalismo na capital do país.

“O genocídio do povo negro já matou mais do que todas as guerras juntas”, disse George Angelo dos Santos, diretor musical do Grupo Cultural Obará, no ato em frente à Câmara dos Deputados, em Brasília, na tarde desta quarta-feira (17).

Organizada pela campanha Contra a PEC 32, a atividade teve manifestação cultural com referências diretas à Semana da Consciência Negra, que terá protestos em todo o país no Dia 20 de Novembro – manifestações abraçadas pela campanha ‘Contra a PEC 32’ e conjuntas com o movimento ‘Fora Bolsonaro e Mourão’.

A mobilização dos servidores e servidoras em defesa dos serviços públicos se uniu à luta contra a discriminação racial – a população negra, afirmaram os manifestantes, será ainda a mais prejudicada caso a ‘reforma’ que ameaça os serviços públicos passe na Câmara. “É uma PEC que atinge diretamente a essa população em vulnerabilidade em nosso país”, disse um manifestante.

A delegação do Sintrajud em Brasília participa das mobilizações, que teve ainda, pela manhã, ato na Praça dos Três Poderes, após caminhada na Esplanada dos Ministérios, e visita a gabinetes de deputados. Nesta quinta (18), o protesto será no Senado Federal, às 10h, contra a PEC 23, a chamada PEC do Calote, a PEC 32 e em defesa de políticas emergenciais e permanentes de auxílio social.

“Nesta semana os nossos atos e nossas manifestações têm sido pautando a PEC 32 e colocando um corte de raça por conta do Novembro Negro. Ontem [terça 16], recepcionamos os parlamentares com músicas do povo negro, com máscaras e totens representando personagens negras da história deste país”, relatou, em vídeo, a servidora Luciana Carneiro, diretora do Sintrajud e que integra a delegação da categoria em Brasília.

“Hoje, mais uma vez saimos do Espaço do Servidor e nos dirigimos para a Praça dos Três Poderes, onde fizemos uma encenação do massacre do povo negro. À tarde, mais uma vez fizemos uma vigília [na Câmara] e, depois, entramos para acessar alguns gabinetes de parlamentares. No ato, tivemos falas permeadas com [a denúncia] do racismo neste país”, concluiu, chamando o conjunto da categoria a participar também das mobilizações presenciais, sempre seguindo os protocolos de segurança sanitária, como uso de máscaras e distanciamento. “Vamos para a luta até derrotar essa PEC que destrói os serviços públicos”, disse.

Ato em frente à Câmara.

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas