“Se votar, não volta”, dizem manifestantes a deputados no aeroporto de Brasília

Servidores do Judiciário Federal e do Ministério Público da União participam do protesto, iniciado às 7h30 desta segunda-feira (5), no Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, contra a reforma da Previdência. Há trabalhadores de diversas categorias na manifestação.

Atividades similares “recebem” deputados e senadores em outros aeroportos das capitais. “Estamos aqui recepcionando os parlamentares desde cedo; e muita gente está chegando e engrossando o ato”, relata o servidor Erlon Sampaio, da Justiça Federal em São Paulo e integrante da direção da Fenajufe. Deputados e senadores se dirigem ao Congresso Nacional para a abertura do ano legislativo, em sessão simbólica prevista para a partir das 17h.

A concentração na porta do desembarque começou pouco depois das 7h e foi ganhando corpo à medida que chegavam militantes de várias categorias, que se dirigem a Brasília para participar da semana de pressão sobre deputados. “Este primeiro ato reuniu muita gente e abordamos vários parlamentares”, disse Denise Carneiro, dirigente do Sindjufe-BA.

A mobilização nos aeroportos deve se repetir na manhã de terça-feira (6), quando também haverá audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Cidadania do Senado, a partir das 9h, sobre a CPI da Previdência. “É parte do calendário de mobilização contra a PEC 287. São duas semanas fundamentais para enterrar de vez a reforma da Previdência e derrubar [as demais] reformas que estão colocadas e [retiram] direitos dos trabalhadores”, disse Saulo Arcangeli, que participa do ato no aeroporto na capital federal.

Servidores do Judiciário Federal e do MPU participaram, no fim de semana, em Brasília, da reunião ampliada conjunta do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Federais (Fonasefe) e do Fórum Nacional Permanente das Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), que aprovou uma série de atividades em defesa do direito à aposentadoria e contra as reformas de Temer para as próximas semanas.

As principais atividades são as seguintes:

5 e 6 de fevereiro:

Atos nos aeroportos nos estados e em Brasília

6 de fevereiro:

Ato na CDH – Audiência no Senado sobre a CPI da Previdência, às 9h, organizada pela Frente Parlamentar em Defesa da Previdência Social

De 6 a 16 de fevereiro:

Assembleias de base nos estados para construção do dia 19/2

19 de fevereiro:

Dia Nacional de Luta dos servidores públicos federais com greves, paralisações e mobilizações, nos estados

-Lançamento da Campanha Salarial dos servidores públicos federais – Brasília

2 de março:

Ato em defesa do Sistema Único de Saúde e hospitais públicos – “Fora Barros”

8 de março:

Participação nas atividades internacionais e nacionais da luta das mulheres.