Professores analisam a situação do país e avaliam desafios para 2021 em live do Sindicato


16/12/2020 - Shuellen Peixoto
A 57ª transmissão do Sintrajud, nesta terça-feira, 15 de dezembro, e teve a presença de Plinio de Arruda Sampaio e Maria Orlanda Pinassi.

Os resultados das eleições municipais e os desafios para a luta contra a retirada de direitos no próximo ano foram debatidos na última live do Sintrajud em 2020. A transmissão aconteceu nesta terça-feira, 15 de dezembro, e teve a presença dos professores Plínio de Arruda Sampaio Junior, aposentado da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e economista, e Maria Orlanda Pinassi, do Departamento de Sociologia da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Os palestrantes ressaltaram que o cenário imposto para 2021 não é animador, diante do agravamento da crise econômica, social e sanitária no país, combinado com as tentativas do governo Bolsonaro e do Congresso Nacional de avançar na retirada de direitos dos trabalhadores. Plínio de Arruda Sampaio Júnior afirmou que “2020 foi ano em que a humanidade viu o fim do mundo, enxergou o que significa a crise do capitalismo. Isso quer dizer que  ‘nada será como antes amanhã’, não é nem o novo normal e nem o velho normal”.

A situação é agravada pela falta de política pública para salvaguardar a economia e a população. Nove meses depois do início da pandemia no país, o governo Brasileiro segue com recordes de infecção e morte, sem políticas consequentes de combate à crise sanitária e sem um plano de vacinação da população. “O plano do estado é vacinar o grupo de risco e o resto que vá para rua se vacinar naturalmente”, destacou Plínio.

A professora Maria Orlanda Pinassi destacou também o aprofundamento da crise social no país. “Este ano que estamos fechando foi um ano em que explodiu a pobreza no Brasil, pessoas, principalmente mulheres com seus filhos, passando por situação de miséria absoluta, é parte das tarefas do movimento dos trabalhadores também pensar nesta população que está nas favelas e periferias, em estado de vulnerabilidade”, disse a professora.

Os palestrantes destacaram que o resultado das eleições municipais contribui para o aprofundamento do projeto do governo Bolsonaro e Congresso Nacional, que é avançar no desmonte do serviço público e na retirada de direitos dos trabalhadores durante a pandemia. Para os professores, mesmo com o crescimento de alguns partidos de esquerda, a direita foi a maior vitoriosa das eleições, ampliando suas bancadas municipais e suas prefeituras.  “O objetivo do governo Bolsonaro é desmanchar o serviço público e ele vai fazer isso com muita intensidade no ano que vem”, afirmou Plinio.

Tarcisio Ferreira, diretor do Sindicato e mediador da live, ressaltou que o cenário difícil no ano que vem exigirá muita mobilização e unidade dos trabalhadores do funcionalismo público e privado para impedir o desmonte dos serviços públicos. “Os desafios para o ano que vem são muito grandes, é um processo de tentativa de retirada de direitos históricos, precisamos de uma mobilização forte nas bases”, finalizou o sindicalista.

Esta foi a 57ª live do Sintrajud desde o início das orientações de isolamento social para contenção da pandemia de coronavírus no Brasil. As transmissões foram a forma encontrada pelo Sindicato para manter o diálogo e aproximação com categoria, respeitando os cuidados necessários a saúde. De março até agora, a diretoria buscou debater assuntos sobre o dia a dia da categoria, as medidas do governo, a pandemia, entre outros assuntos, sempre com a presença de especialistas.

As lives retornam à programação normal em janeiro, após o recesso judiciário. Todos os vídeos das lives estão disponíveis no Facebook e no YouTube.

 

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas