Para avançar, Fórum Permanente de Carreira precisa do envolvimento coletivo da categoria


14/07/2021 - Helcio Duarte Filho
É o que defende dirigente do Sintrajud e da Fenajufe, Fabiano dos Santos, que relata o desenvolvimento das discussões e desafios imediatos e urgentes, como a questão salarial .

Crédito: arquivo Fenajufe

A terceira reunião do Fórum Permanente de Gestão da Carreira dos Servidores do Poder Judiciário, que reúne representantes sindicais da categoria e das direções dos tribunais superiores, ocorrerá no dia 4 de agosto de 2021. Na reunião realizada no dia 7 de julho, foram apresentados os resultados iniciais dos grupos temáticos formados para analisar com mais cuidado cada um dos assuntos definidos como prioritários.

Houve acordo quanto à constatação de que a questão salarial exige mais urgência e precisa ser tratada imediatamente. Isto por conta dos prazos legislativos para apresentação de quaisquer propostas que envolvam o Orçamento da União para 2022. O que se busca é aproveitar uma janela orçamentária dentro da legislação altamente restritiva para buscar reduzir as perdas decorrentes da inflação acumuladas pela categoria.

É essa urgência que faz o servidor Fabiano dos Santos, da direção do Sintrajud e da federação nacional (Fenajufe), ressaltar a necessidade de que as entidades sindicais atuem no sentido de imediatamente buscar envolver o conjunto da categoria nessa discussão e nesta luta.

“No Sintrajud a gente vai fazer a assembleia no dia 17 de julho justamente para que se possa fazer um acúmulo sobre a questão salarial e toda a pauta que está sendo tratada no Fórum”, ressalta Fabiano, que vem participando das reuniões junto com outros coordenadores da Fenajufe. “É muito importante que a categoria se aproprie deste debate e ajude na construção da estratégia desta luta, teremos que tomar decisões ao longo desse caminho”, observa.

Há outro aspecto que precisa ser ressaltado: todas as mesas de diálogo e negociação instaladas no âmbito do Poder Judiciário Federal nas últimas décadas que tiveram êxito contaram com um envolvimento e participação expressivas das servidoras e servidores em São Paulo e nos demais estados.

O dirigente sindical considera, ainda, indispensável associar a iniciativa em curso no Fórum Permanente com a luta pela rejeição da ‘reforma’ Administrativa, que tramita na Câmara dos Deputados. Isto porque, avalia, é preciso tratar de temas que envolvem a carreira do servidor sob uma ótica que se oponha às mudanças que o governo tenta impor aos serviços públicos, que atacam duramente conquistas da categoria. “É um espaço que também tem que ser construído com base no enfrentamento à reforma”, defende.

Como foi a discussão na última reunião em torno de cada um dos grupos temáticos:

 

Box Cinza

Grupo 1: Estruturação de cargos, revisão de normas e Portarias conjuntas, desenvolvimento na carreira e qualidade de vida no trabalho

Esse grupo temático foi subdividido, a partir do início das discussões, em três frentes de trabalho: a) NS; b) Polícia Judicial; e c) Adicional de Qualificação. Os relatórios sobre cada um desses temas serão apresentados até 22 de julho, para serem analisados na reunião do grupo marcada para o próximo dia 29.

Grupo 2: Recomposição e questões salariais

Definiu-se no grupo como parâmetro inicial para essa discussão trabalhar com a proposta de um reajuste emergencial de 14,74% — como consta em estudo apresentado pela Fenajufe, com base na inflação desde janeiro de 2019. A ideia sugerida é que se trabalhe em cima do Vencimento Básico (VB) e Gratificação de Atividade Judiciária (GAJ), dentro do que a margem existente permitir.

Além disso, se solicitou às administrações de cada órgão que apurassem a margem orçamentária disponível para concessão de reajuste. Pelas administrações, Renata Mansur, do TSE, José Railton Silva Rego, do TST, Octávio Barbosa Nenevê e Paula Ramalho Nóbrega Sant’Ana, do STJ, e Ana Cristina Pimentel, do STM, expuseram as bases dos estudos iniciais de cada órgão.

Não há ainda uma proposta fechada e consensual sobre o percentual a ser defendido. Aguarda-se, ainda, a conclusão dos levantamentos. Porém há consenso no Fórum quanto à necessidade de se chegar a um denominador comum e atuar pela elaboração de um projeto e posterior envio ao Congresso Nacional dentro dos prazos legislativos. Sobre isso, o conselheiro Luiz Fernando Bandeira, segundo divulgou a Fenajufe, concordou que o prazo é exíguo e exige celeridade para o tema, na busca de um desenho uniforme a ser apresentado e defendido.

Grupo 3: Reenquadramento dos auxiliares e VPNI dos Oficiais de Justiça

O grupo apresentou a proposta de minuta de Projeto de Lei – sugerida pela Fenajufe – que altera a Lei 11.416/2006 (Plano de Cargos e Salários dos Servidores do PJU), estendendo o enquadramento já previsto no Art. 5º da Lei 8.460/92 aos demais servidores que ocupam a categoria de Auxiliar Operacional de Serviços Diversos, Artífices e Auxiliares Judiciários. A princípio, não há controvérsia quanto a isso e a proposta deve ser encaminhada ao Congresso Nacional.

A situação do pagamento da VPNI aos oficiais de justiça foi debatida e contextualizada pela Fenajufe. Após os relatos dos representantes do STM e do CSJT, Bandeira de Mello Filho disse que avaliaria a questão internamente no CNJ e no Tribunal de Contas da União.

Os servidores querem que o CNJ se pronuncie reconhecendo que não há nenhum problema no pagamento da VPNI e da GAE, por serem duas verbas de origens diferentes: uma referente a função comissionada e a outra tampouco foi instituída para substituir a VPNI.

Outra demanda abordada por este grupo temático foi o aproveitamento na Justiça do Trabalho dos candidatos aprovados em concurso. O coordenador do Fórum se comprometeu a encaminhar a questão. Ficou de buscar, inclusive, contato com o relator da consulta sobre as nomeações feita pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho ao CNJ, conselheiro Rubens de Mendonça Canuto Neto (consulta nº 0004334-72.2021.2.00.0000).

 

 

Quem participou

Participaram desta segunda reunião virtual, pela Fenajufe, a coordenadora Lucena Pacheco e os coordenadores Charles Bruxel, Fabiano dos Santos, Luis Cláudio Correia, Roberto Policarpo e Thiago Duarte; e a assessora sindical Vera Miranda, especialista em Carreira Pública. Pelo CNJ, os conselheiros Luiz Fernando Bandeira de Mello Filho, coordenador do Fórum, e Mário Augusto Figueiredo de Lacerda Guerreiro.

Assembleia

A assembleia das servidoras e servidores do Judiciário Federal em São Paulo, no dia 17 de julho, sábado, a partir das 14 horas, traz na pauta as propostas em discussão no Fórum Permanente de Gestão da Carreira, incluindo o percentual do próximo reajuste salarial da categoria.

Também integra a pauta a mobilização da categoria para garantir a proteção à saúde em meio à pandemia, as condições de trabalho e a luta contra a proposta de ‘reforma’ administrativa do governo Bolsonaro (PEC 32/2020). Para participar da assembleia, por meio da plataforma Zoomclique aqui.

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas