Nesta sexta, 18, nova assembleia reúne oficiais de justiça do TRT-2

Foto: Joca Duarte

No início da noite desta quinta-feira, 18, o TRT-2 publicou notícia informando que pretende iniciar a lotação de um oficial de justiça por vara de trabalho a partir da próxima semana. Segundo o comunicado, apenas 30 servidores optaram pela lotação em vara. Para preenchimento das vagas restantes, o Tribunal diz que usará “o critério de antiguidade, removendo-se os mais novos, em ordem crescente, até o preenchimento de todos os postos”.

A mobilização e a possível retomada da greve dos oficiais de justiça contra essa medida, prevista no Ato GP/CR nº 05/2017, será discutida na assembleia que acontece nesta sexta-feira, 13h, no Fórum Trabalhista Ruy Barbosa, em cumprimento à decisão tomada na assembleia de hoje (17).

Havia circulado a informação de que a medida passaria a ser implementada a partir do dia 18/8, mas até esta tarde não havia determinação oficial de relotação de oficiais. Por esse motivo, ficou deliberado que uma nova assembleia seria convocada caso o tribunal adotasse alguma providência em relação a isso, nesta sexta ou na próxima semana.

Desde a publicação do Ato, o Sindicato tem tentado negociar com a Administração, que se recusa a marcar uma reunião para tratar do assunto. As propostas de negociação apresentadas não foram respondidas. Mesmo com a greve dos oficiais de justiça, que teve grande adesão do segmento, o Tribunal seguiu intransigente.

Na opinião da oficiala de justiça Cláudia Morais, diretora do Sintrajud, a medida tende a gerar distorções em relação à gestão do trabalho, atribuições dos servidores e irá deixar os oficiais sobrecarregados e expostos a desvio de função e possíveis riscos funcionais e remuneratórios. “Há um total desrespeito e falta de diálogo da Administração com os oficiais, isto é a institucionalização do assédio moral”, declarou.

image_print