Movimento em Defesa da Justiça do Trabalho realiza live sobre direitos sociais e democracia

Transmissão acontece na terça-feira, 7 de julho, a partir das 18h, e será um debate sobre os ataques aos direitos sociais e à democracia, com a presença do desembargador Jorge Souto Maior e da juíza Valdete Souto Severo.

Na terça-feira, 7 de julho, às 18h, o Movimento em Defesa da Justiça do Trabalho (MDJT), vai realizar uma live para debater os ataques aos direitos sociais e à democracia durante a pandemia. O objetivo é discutir as medidas do governo Bolsonaro e do Congresso Nacional que atacam direitos históricos dos trabalhadores e colocam a vida da população em risco. A live será transmitida nas páginas do Movimento no Facebook, Youtube e Instagram.

O diretor do Sindicato Henrique Sales participará do debate, que terá as presenças do professor Jorge Luiz Souto Maior, desembargador do TRT-15 e professor da USP, e da juíza do trabalho Valdete Souto Severo, presidenta da Associação Juízes para a Democracia (AJD). Os professores vão discutir o avanço de medidas antidemocráticas, a retirada de direitos e a falta de políticas públicas no combate a pandemia. Outras entidades que integram o MDJT também estarão representadas.

A diretoria do Sindicato convida todos os servidores para participar da live.

MDJT

O MDJT é um movimento criado em 2018, diante das declarações do presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre o objetivo de extinguir a Justiça do Trabalho. O Sintrajud é parte da fundação do Movimento que já realizou manifestações em todo o estado de São Paulo, reuniões com os tribunais superiores e se mantém ativo durante a pandemia na luta em defesa dos direitos sociais e da democracia.

Além do Sintrajud, integram o MDJT em São Paulo a Associação dos Advogados Trabalhistas (AAT-SP), a Associação Brasileira dos Advogados Trabalhistas (Abrat), o Sindicato dos Advogados (Sasp), a seccional paulista da OAB, a Associação de Magistrados da Justiça do Trabalho Segunda Região (Amatra-2), a Fenajufe, associações de oficiais de justiça, a Federação Nacional dos Advogados (FenAdv), o Ministério Público do Trabalho, a Associação Brasileira de Advogados (ABA) e o Instituto de Advogados do Brasil (IAB).

image_print