Mostra de Artes do Sintrajud une servidores em jornada de descontração e talentos

Fotos: Joca Duarte

 

Com muita música, dança, humor, teatro, poesia e principalmente com muito talento e alegria o Sintrajud realizou no último sábado, 19 de outubro, a 8ª Mostra de Artes. Retomado no ano passado, o evento apresenta a produção artística da categoria e revela também vocações nas áreas de música instrumental, canto, teatro, desenho, pintura e artesanato. Na edição deste ano, ainda houve espaço para apresentações de capoeira e para uma paródia de artistas da MPB.

“A Mostra de Artes aconteceu pela primeira vez no ano 2000, ficou alguns anos sem ser realizada, mas voltou com mais participantes e com uma programação mais extensa”, observa o servidor do TRE e diretor do Sintrajud Maurício Rezzani. “Temos de torná-la ainda maior, trazendo mais artistas dos tribunais”, defende.

Maurício cantou músicas do álbum “Tudo enquanto o almoço não sai”, lançado em 2001, incluindo a música de mesmo nome e a romântica “Doutora Renata”, sucesso entre os colegas do Eleitoral e de outros tribunais.

“A própria organização da Mostra foi uma obra de arte”, avalia a servidora do JEF e diretora do Sintrajud Maria Ires Lacerda. “Todos se engajaram de forma que tudo funcionou como uma engrenagem e se encaixou perfeitamente com a descontração do público”, acrescentou.

O servidor Elizaldo Veríssimo, do TRE (foto), abriu o evento fazendo o público rir com imitações de artistas da MPB, ao mesmo tempo em que lembrava greves da categoria e o cotidiano do Tribunal.

Estreantes e veteranos

A diversidade de estilos e de gêneros artísticos conseguiu agradar a servidores de todas as idades, da ativa e aposentados. A parte musical, por exemplo, foi do violão clássico ao punk rock, passando por samba, bolero, bossa nova, sucessos do pop internacional e produções próprias dos artistas que subiram ao palco.

O teatro teve seu espaço com o Grupo Erga Omnes, que fez uma apresentação baseada na trajetória de Carolina de Jesus, autora do livro clássico “Quarto de Despejo”, entre outros. O grupo teatral do Sindicato, formado por servidores da ativa e aposentados, ensaia semanalmente na sede da entidade.

Entre as atrações, a 8ª Mostra reuniu estreantes no evento, como a servidora do TRT Scheilla Brevidelli, e veteranos como Aldy Carvalho, que participou de todas as edições. Scheilla apresentou poemas do seu primeiro livro, Flores que voam, lançado neste ano pela Desconcertos Editora.

Scheilla Brevidelli

“Reservo o final de semana para escrever, a menos que a inspiração me imponha a escrita no horário em que volto para casa”, diz Scheilla. “Com a Mostra, temos a possibilidade de conhecer o talento de outros colegas, socializar, fazer novos vínculos de afeto com base na arte.”

O servidor do TRE Aldy Carvalho, por sua vez, levou o livro  “Memórias de Alforje (5 contos de cantador)” e cantou uma seleção de músicas de uma obra que já rendeu quatro álbuns, falando do sertão e do universo popular. “Memórias de Alforje” foi lançado no ano passado e já está na segunda edição.

O Espaço Êxitos, na Barra Funda, recebeu também quadros dos servidores Wladimir Wagner, do TRF, e da servidora aposentada da Justiça Federal Ruth Sarkis. Além das mandalas de Clau Sperb, do TRE (que também cantou e participou da paródia musical).

No final, a Band’Oré, banda formada em janeiro por servidores do Fórum Trabalhista Ruy Barbosa, animou ainda mais o público com clássicos da música baiana e outros sucessos. As rodas de capoeira, de samba e de axé levantaram a plateia numa grande celebração, deixando no ar a expectativa para as próximas edições da Mostra.

Veja mais fotos da 8ª Mostra de Artes do Sintrajud na galeria (clique para ampliar).

Nos próximos dias divulgaremos os vídeos com as apresentações.