Morte de colega na JT/Santo André causa comoção em todo o Regional

No início do expediente deste dia 20 de fevereiro, os trabalhadores do Fórum Trabalhista de São André e jurisdicionados atendidos no momento foram surpreendidos com a morte por suicídio de Roberson Silva dos Santos (foto). O servidor do Regional desde 1994 já tinha atuado em diversos fóruns e unidades da Segunda Região, deixando como marca a simpatia e amizade. Foi o que se refletiu nas mensagens trocadas por colegas nos grupos de WhatsApp organizados pelo Sindicato ao longo de todo o dia.

Atualmente o servidor estava lotado no Centro Judiciário de Solução de Conflitos-ABC. O diretor do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Disputas (NUPEMEC-JT2), Luiz Antonio Loureiro Travain, também prestou “agradecimentos e homenagens pela amizade, companheirismo e por todo labor realizado em prol do NUPEMEC-JT/CEJUSC-JT ABC” em nota de condolências distribuída aos colegas de trabalho. O expediente foi suspenso por volta das 11 horas.

Acompanhamento e solidariedade

Dirigentes do Sindicato e colegas de TRT-2, Inês Leal de Castro e Tarcisio Ferreira estiveram em Santo André nesta quinta. “Fomos buscar complementar as informações, nos colocar à disposição e nos solidarizar com os colegas. O pessoal da segurança estava reunindo as imagens do circuito de câmeras para fornecer à delegacia que vai apurar o caso”, relatou Tarcisio.

O Setor Médico do Tribunal divulgou que uma psicóloga atenderá aos servidores nesta sexta-feira (21), das 9h às 18h, no 10° andar do Fórum, na sala ao lado do auditório.

“O Sindicato vai demandar à administração que garanta o acompanhamento psicológico aos colegas [que trabalhavam no Fórum]. Porque foi suspenso o expediente hoje, mas é preciso adotar medidas para o retorno ao trabalho desses servidores. Tanto no sentido da assistência às pessoas quanto em relação à estrutura do prédio para a prevenção a situações como essa”, ressalta Tarcisio.

Compreender o problema e atuar na prevenção e posvenção

“Existem três tipos de sobreviventes: os enlutados, que sofrem a perda de alguém importante; os tentantes, que são as pessoas que têm ideações suicidas, planejam ou chegam a tentar o suicídio; e existe também o sobrevivente testemunha, que mesmo não tendo nenhum vínculo com a pessoa que se suicidou estava por perto na ocasião ou viu a situação. Os transeuntes que viram a pessoa cair, por exemplo. Porque essas pessoas, após assistirem a um quadro desse, não serão as mesmas e certamente deveriam receber atendimento psicológico pois o grau de impacto é muito grande”, explica Ivo Oliveira Farias. Oficial de justiça aposentado e ex-dirigente do Sindicato, Ivo é ativista em prol da prevenção e posvenção ao suicídio desde que uma de suas filhas foi vítima dessa morte. O servidor, que hoje atua como representante dos aposentados no Conselho de Base do Sintrajud, sugere que se busque apoio do Centro de Valorização da Vida (CVV) e outras instituições que atuam na prevenção e posvenção.

A diretoria do Sindicato busca ainda medidas de preservação da saúde mental dos colegas, incluindo a tentativa de estender a dispensa de ponto neste dia 21, tendo em vista que não acontecem audiências às sextas-feiras e os servidores ainda estão abalados. A manutenção do expediente suspenso, no entanto, foi negada pela presidente do Tribunal, desembargadora Rilma Hemetério. Nesta sexta-feira, dirigentes do Sintrajud voltarão ao Fórum.

A entidade também vai dialogar com a Diretoria-Geral do TRT, em reunião nesta sexta, sobre a necessidade de a administração implementar medidas de prevenção e posvenção ao suicídio.

O trabalho no serviço público exige o permanente envolvimento dos servidores com litígios e conflitos – envolvendo pessoas em busca de direitos, aquelas que estão tentando minimizar a precarização da vida ou diretamente como a presença ativa do Estado no enfrentamento a crimes. Essa realidade, associada ao assédio moral e ao esgarçamento do tecido social que se tem verificado no país, impacta a vida e a saúde mental desses trabalhadores. E cabe às administrações também atuar no sentido de responder a esse cenário, como parte das política de garantia da qualidade de vida. Roberson é o terceiro colega vítima de suicídio em local de trabalho no TRT-2 em cinco anos.

O Sintrajud vem tentando atuar nesse sentido, pautando o tema especialmente no período do Setembro Amarelo, mês internacional da prevenção e posvenção ao suicídio.

Confira abaixo o vídeo da última roda de conversa promovida pelo Sindicato sobre o tema:

image_print