Mobilização emergencial no PJU e MPU: ‘Não votem a reforma trabalhista’

Em um esforço emergencial para ampliar a mobilização contra a reforma trabalhista, os servidores do Judiciário Federal e do Ministério Público da União devem promover três dias de atividades como assembleias, atos e mesmo paralisações nos estados no período de 10 a 12 de julho.

A proposta saiu da reunião ampliada da direção da federação nacional da categoria, a Fenajufe, realizada no sábado (8), em Brasília, no Hotel Carlton. Aprovou-se ainda a ida de delegações dos sindicatos a capital federal, para participar da pressão conjunta sobre os senadores. Outros setores que integram as campanhas contra as reformas trabalhista e previdenciária prometem também enviar representações.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), agendou a votação da proposta para terça-feira (11). É nessa data que devem ocorrer as principais manifestações tanto do Judiciário Federal e MPU quanto de outros setores.

Em alguns estados, como São Paulo e Rio Grande do Sul, os sindicatos da categoria já convocaram atividades para o dia. Em outros, há uma articulação mais ampla de organizações dos movimentos sindical e social preparando os protestos. É o caso do Rio de Janeiro, onde uma plenária de mobilização aberta propôs ato público unificado para o fim da tarde, em frente à Assembleia Legislativa, na capital fluminense.

Em São Paulo, os servidores decidiram em assembléia realizada pelo Sintrajud promover ato em frente ao Fórum Trabalhista Ruy Barbosa, na Barra Funda, o maior do país. Outras entidades sindicais vão participar. A manifestação acontece nesta terça-feira, 11, às 13h.

Em Porto Alegre (RS), a manifestação convocada pelo sindicato da categoria (Sintrajufe-RS) será em frente ao prédio das varas trabalhistas, a partir das 13 horas. Participam da organização a Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da IV Região (Amatra IV) e a Associação Gaúcha dos Advogados Trabalhistas (Agetra).

‘Fora Temer e Todos os Corruptos’

A resolução aprovada pela reunião ampliada referente às mobilizações emergenciais contra a reforma trabalhista, proposta por servidores que integram o coletivo LutaFenajufe, reafirma ainda a campanha “Fora Temer e Todos os Corruptos”, posição política já aprovada anteriormente pela categoria.

 

image_print