Dia 30 de junho o Judiciário Federal de São Paulo vai parar

Foto: Joca Duarte

Com o grito de “Greve Geral já”, servidores do Judiciário Federal de São Paulo encerraram a assembleia geral que aprovou a participação da categoria na greve geral, convocada pelas centrais sindicais para esta sexta-feira, 30. A data de mobilização será um dia de luta unificado contra as reformas da Previdência e trabalhista e para colocar para fora Temer e todos os corruptos do congresso.

A assembleia aconteceu na tarde deste sábado, 24, na sede do Sindicato. Além dos eixos gerais, a greve dos servidores também terá como pauta a luta contra o desmonte do serviço público e do Judiciário Federal. “Os problemas que estamos enfrentando no judiciário, como o corte do orçamento e a proposta de extinção das zonas eleitorais, não são isolados, fazem parte da política do Governo Temer de retirada de direitos dos trabalhadores, é preciso resistir e lutar”, afirmou Ana Luiza Figueiredo, servidora aposentada do TRF e diretora do Sintrajud.

Durante a assembleia, os servidores também ressaltaram a necessidade de passar nos locais de trabalho convocando a base para fazer um grande dia de paralisação no dia 30. Para Tauff Ganem, servidor da JT e diretor do Sintrajud, a construção de um dia de greve geral forte, assim como no dia 28 de abril, tem o objetivo de mostrar ao Governo Temer e ao Congresso a força dos trabalhadores nas ruas.  “Essa semana temos que passar nas varas e em todos os locais de trabalho possíveis convidando todos os colegas e relembrando a necessidade e importância de construir um dia de Greve Geral neste momento em que temos nossos direitos atacados pelo Governo Temer”, destacou Tauff.

Além dos servidores do Judiciário Federal de São Paulo, várias categorias já aprovaram a participação na greve geral, são exemplo: petroleiros do Litoral Paulista, metalúrgicos de São José dos Campos, metroviários de São Paulo, trabalhadores da construção civil de Fortaleza e Belém, dentre entre outros.

Eixos de convocação da Greve Geral  do dia 30 de Junho no Judiciário Federal de São Paulo

Contra as reformas trabalhista e previdenciária;

Fora Temer e todos os corruptos;

Contra o desmonte do serviço público e do Judiciário Federal

Anulação da lei de terceirização e todas as contrarreformas;

Prisão dos corruptos e corruptores com confisco dos bens, expropriação e estatização de todas as empresas envolvidas em corrupção, sob o controle dos/as trabalhadores/as.

Contra a extinção das Zonas Eleitorais

A campanha contra a extinção das Zonas Eleitorais também foi ponto de discussão na assembleia. Servidores ratificaram a importância da campanha #NenhumaZEAMenos e a necessidade da sua ampliação, devido ao tamanho do ataque que representa para o conjunto da categoria.

O servidor da Justiça Eleitoral de Osasco Marcos Pereira falou sobre a resolução 23522, que além de determinar a extinção de zonas eleitorais, e a resolução 23518, que introduz a figura do atendente na Justiça Eleitoral para realização dos procedimentos internos de cartório, o que servirá para ampliar a terceirização na categoria. “O ataque é muito grande, por isso precisamos da união de toda a categoria para conseguir combater”, afirmou Marcos.

Desta forma, ficou definido que o Sintrajud irá buscar o apoio de juízes das Zonas Eleitorais, prefeitos, vereadores, deputados estaduais/federais, associação de juízes, OAB-SP, Ministério Público Estadual e Federal, além de Procuradores Gerais Estaduais, e solicitará audiências públicas na Câmara Municipal ou Assembleia Legislativa para debate o tema. Além disso, a campanha visual será ampliada, com a fixação dos cartazes contra a extinção das zonas eleitorais e entrega da carta aberta à população, que estão disponíveis no site do Sindicato.

Todo apoio a manutenção da regionalização dos fóruns trabalhistas da Zona Sul e Zona Leste

A regionalização do TRT também foi pauta de debate durante a assembleia. Em nota, a administração do TRT-2 afirmou que, diante dos problemas orçamentários, deve defender o retorno à centralização da JT, ou seja, acabar com os fóruns da Zona Sul e Zona Leste.

A notícia preocupou os servidores da Zona Sul e Zona Leste. “Não queremos sair da zona sul, entendemos que servidores se mudaram para lá, adquiriram imóveis, mudaram filhos de escola e seria muito difícil mudar isso agora, seria uma nova revolução na vida dos servidores”, declarou Vanderson Nunes, servidor da JT Zona Sul. “Inauguramos um novo fórum e agora já estamos adaptados, temos relação com a população, além de afetar nossa vida seria prejudicial aos próprios jurisdicionados da região”, destacou Vanderson.

Ainda segundo o servidor, o valor pago no aluguel do prédio da Zona Leste está dentro do valor de mercado e o proprietário está disposto a negociar. No caso da Zona Sul, há uma comissão de juízes empenhados na procura novos imóveis na região. Os servidores estão se organizando e, na Zona Sul, já prepararam um abaixo assinado para entregar a administração, e esperam conseguir uma reunião lá.

Para discutir este assunto com a categoria, o Sintrajud irá realizar nos próximos dias assembleia setoriais nos fóruns da Zona Sul e Zona Leste.

Reunião Ampliada da Fenajufe

A assembleia também elegeu os representantes da categoria que irão participar da Reunião Ampliada da Fenajufe, no dia 8 de julho, e da 3º Reunião do Coletivo Nacional da Fenajufe de Técnicos do Judiciário e do MPU – CONTEC, no dia 9 de julho, em Brasília. Para participar do CONTEC foram eleitos, respeitando os critérios estabelecidos na convocatória da Fenajufe,  Maurício Rezzani (T.R.E), Maria Ires Graciano Lacerda (Justiça Federal), Henrique Sales Costa (TRT) e Carlos Roberto Braga Lima (Justiça Militar).

image_print