Coletivo de Mulheres tem última reunião do ano nesta quarta, 16


15/12/2020 - Luciana Araujo
Atividade terá início às 18h, via plataforma Zoom, vai discutir balanço do ano e iniciativas para 2021.

Após um ano com diversas atividades, avanços ainda limitados nos debates sobre o combate ao assédio moral e sexual nos tribunais e a intensificação das iniciativas de formação e combate ao machismo, o Coletivo de Mulheres do Sintrajud – Mara Helena dos Reis realiza a última reunião do ano nesta quarta-feira (16 de novembro), às 18h, via plataforma Zoom.

Clique aqui para participar

Ao longo de 2020, mesmo com o distanciamento social necessário em razão da pandemia, o Coletivo de Mulheres do Sindicato realizou uma dezena de atividades. Transmissões ao vivo debateram como a pandemia e as propostas de ‘reforma’ administrativa do governo Jair Bolsonaro atingem mais as mulheres (a PEC 32/2020 dificulta o acesso a funções comissionadas e cargos de direção e gerenciamento, reduzindo salários, ameaçando a estabilidade, além de favorecer o apadrinhamento). Também esteve na pauta o combate a violências relacionadas às desigualdades de gênero, e o Coletivo realizou quatro seminários para debater o tema sob diferentes perspectivas – incluindo a participação de homens, submetidos a uma noção hegemônica de masculinidade que é tóxica e incentiva a violência.

As influências das condições de raça e identidade de gênero também foram parte dos debates promovidos pelo Coletivo, abordando como para as mulheres negras, lésbicas, bissexuais e transexuais ou travestis as violências de gênero são potencializadas pelo racismo e a LGBTfobia.

Pela primeira vez na história do Sindicato, a existência do Coletivo, constituído em novembro de 2017, mostrou também a importância da organização das mulheres para fortalecer a luta por direitos iguais na sociedade de casos concretos. Diante de um episódio de machismo ocorrido durante as eleições do Sintrajud, foi constituída a primeira comissão de combate às opressões, com participação de especialistas em Direito e Direito das Mulheres, representantes de entidades sindicais como a Fenajufe e a CSP-Conlutas, além de movimentos de mulheres. O colegiado emitirá parecer sobre o ocorrido e apresentará propostas à categoria para tornar o ambiente sindical menos hostil à parcela feminina da categoria.

O Coletivo

O Coletivo de Mulheres Mara Helena dos Reis foi criado em novembro de 2017 e é aberto a todas as mulheres da categoria, trabalhadoras terceirizadas que atuam nas unidades judiciárias e funcionárias do Sindicato. O colegiado realiza ações de formação e campanhas contra o machismo e o assédio sexual — tendo produzido a cartilha ‘Assédio Sexual: a culpa nunca é da vítima’ (disponível para download aqui).

Denúncias sobre violações de direitos na atividade profissional relacionadas ao fato de a servidora ser mulher também são recebidas e acompanhadas pelo Coletivo e o Jurídico do Sindicato. Se você sofreu violência machista, especialmente sob a forma do assédio sexual, clique aqui e encaminhe sua denúncia com garantia de sigilo.

O nome do Coletivo homenageia a servidora da Justiça Federal em São Bernardo do Campo e ex-diretora de base do Sintrajud assassinada pelo homem com quem vivia na noite de Natal de 2018.

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas