Coletivo de Mulheres realiza primeira reunião do ano nesta segunda, 8 de fevereiro


04/02/2021 - Shuellen Peixoto
Reunião será momento de preparar atividades para o dia Internacional de Lutas da Mulher e eleger a nova coordenação do coletivo.

Para abrir o ano e já preparar a participação do Sindicato nas atividades do 8 de março, Dia Internacional de Luta das Mulheres, o Coletivo de Mulheres do Sintrajud – Mara Helena dos Reis convida as servidoras, estagiárias e trabalhadoras terceirizadas que atuam no Judiciário Federal no estado de São Paulo para a reunião que acontecerá na segunda-feira (8 de fevereiro), a partir das 19h, via plataforma Zoom.

Clique aqui para participar.

Além de planejar as atividades do mês de luta da mulher, a reunião também será o espaço para eleger a nova coordenação do Coletivo — as responsáveis por dar andamento às pautas e iniciativas aprovadas nas reuniões gerais.  Qualquer servidora sindicalizada poderá ser parte da nova coordenação. “Embora não seja uma instância deliberativa, a coordenação tem um papel importante de ajudar no encaminhamento das propostas, na organização das reuniões com o conjunto do coletivo, trazendo pontos de partida para tornar as discussões ainda mais produtivas”, afirmou Luciana Carneiro, diretora do Sindicato e integrante do Coletivo de Mulheres.

Dia 10 tem roda de conversa sobre comunicação não violenta

Na quarta-feira, 10 de fevereiro, às 19h, o coletivo realiza a primeira atividade aberta do ano, será uma roda de conversa sobre “Comunicação não violenta”. A atividade, que acontecerá na plataforma Zoom, será conduzida pelas integrantes do Coletivo e será um momento de interação, diálogo e troca de experiências entre as colegas.

O Coletivo de Mulheres, criado em novembro de 2017, reúne servidoras de todos os tribunais do Judiciário Federal no estado de São Paulo, além das funcionárias do Sindicato, e é aberto também às trabalhadoras terceirizadas e estagiárias que realizam suas atividades nos fóruns e demais unidades judiciárias.  Desde a fundação, o Coletivo já realizou diversas atividades, seminários de formação e debates para envolver o conjunto da categoria no combate ao machismo. O nome do Coletivo homenageia a servidora da Justiça Federal em São Bernardo do Campo e ex-diretora de base do Sintrajud assassinada pelo homem com quem vivia na noite de Natal de 2018.

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas