Centrais e setor de transportes intensificam “esquenta” para a greve geral em SP

As dez centrais sindicais brasileiras que estão convocando a greve geral contra a ‘reforma’ da Previdência para o próximo dia 14 de realizam nesta semana o chamado “esquenta” para ampliar a mobilização. As atividades de coleta de assinaturas ao abaixo-assinado contra a ‘reforma’ seguem, e até o dia 31 a proposta é reunir o máximo possível de manifestações de brasileiras e brasileiros contra o desmonte do sistema de aposentadorias

A orientação é que todas as pessoas conversem com amigos, familiares e vizinhos. As folhas preenchidas podem ser enviadas ao Sintrajud por correspondência (Rua Antônio de Godói, 88, 16º andar, Centro, São Paulo, SP, CEP 01034-902) ou retirada nos locais de trabalho da capital e da Baixada Santista. Baixe aqui o formulário.

Metrô e ônibus vão parar no dia 14

Doze entidades representativas de trabalhadores do setor de transportes estiveram reunidas nesta segunda-feira no Sindicato dos Metroviários de São Paulo e aprovaram uma série de atividades preparatórias à paralisação contra a ‘reforma’. A CSP-Conlutas, central à qual o Sintrajud é filiado e que participou da plenária, informou que estavam presentes, além dos metroviários, representantes dos sindicatos dos rodoviários da capital, de Guarulhos, Santos, Sorocaba e ABC, o Sindicato dos Trabalhadores Ferroviários da CPTM, o Sindicato dos Trabalhadores com Aplicativos de Transporte Terrestre Intermunicipal do Estado de São Paulo, Sindicato dos Trabalhadores da Fiscalização dos Transportes de SP, Sindicato de Trabalhadores em Transporte de Carga, a Federação dos Trabalhadores dos Transportes, a Federação Nacional dos Metroviários, a Confederação Nacional dos Trabalhadores dos Transportes Rodoviários e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte Terrestre e Logística. Além do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e as centrais sindicais CSP-Conlutas, CTB, Força Sindical, CUT, Intersindical, CGTB e NCST.