Atendimento presencial suspenso na subsede nesta sexta-feira, 31 de janeiro

Em virtude da participação dos funcionários em um programa de treinamento que será realizado na sede da entidade, informamos que não haverá atendimento presencial na subsede do Sindicato em Santos nesta sexta-feira (31 de janeiro).

Questões emergenciais poderão ser demandadas pelo WhatsApp da subsede: (13) 99208-2661, ou diretamente pela mesma ferramenta de comunicação geral do Sindicato, clicando aqui.

Na segunda-feira (3), o funcionamento da subsede será retomado normalmente, das 9h às 19h.

 

 

 




Convites para a festa em Santos estão disponíveis até este dia 11

Depois do sucesso da festa de fim de ano na capital, sua última chance de confraternizar com colegas da categoria o fim de 2019 será neste sábado (14 de dezembro), em Santos, na comemoração organizada pela subsede. Como no ano passado, o evento será realizado no Estrela de Ouro Esporte Clube – que fica na Avenida Rei Alberto I, 372 – Ponta da Praia, em Santos – com início às 17 horas. Os convites são limitados em razão do espaço de realização do evento, a fim de garantir segurança e conforto aos participantes.

Para facilitar a participação de servidores de todo o estado, mais uma vez está disponibilizada a emissão de vouchers eletrônicos de ingresso na festa, e haverá transporte fornecido pelo Sindicato saindo da sede, no dia 14 de dezembro às 13h30. Os interessados devem se cadastrar até quarta-feira (11) às 19 horas pelo telefone (11) 3222-5833 ou pelo e-mail <cadastro@sintrajud.org.br>.

Emita seu voucher clicando aqui

Os ingressos são gratuitos para servidores e servidoras sindicalizados. Para levar acompanhantes é necessário indicar a quantidade de convidados e depositar os valores em uma das contas bancárias listadas abaixo.

O primeiro acompanhante de cada sócio, com a presença deste na festa, paga R$ 20,00. A partir do segundo acompanhante e de servidores não sindicalizados é cobrado R$ 100,00 por pessoa. Os trabalhadores terceirizados pagam R$ 50,00. Crianças maiores de 12 anos pagam os mesmos valores de convidados (R$ 20,00 se for a única pessoa a acompanhar o associado e R$ 100,00 por pessoa nos casos em que mais de um convidado será levado à festa). Os menores de 12 anos não pagam entrada.

Se tiver qualquer problema, entre em contato com o deptº de Cadastro do Sintrajud: (11) 3222-5833 ou pelo e-mail <cadastro@sintrajud.org.br>.

Contas para depósito do pagamento de convites de acompanhantes

Banco do Brasil: agência 0018-3, conta corrente 535.500-1
Caixa: agência 1004, conta corrente 1019-6 operação 003

O comprovante de pagamento deve ser anexado no sistema de emissão dos vouchers, no campo abaixo do número de acompanhantes.




Emissão de convites de festa da Baixada estará disponível a partir deste sábado, 7

Os convites para a festa de fim de ano da subsede na Baixada Santista estarão disponíveis para emissão eletrônica a partir deste sábado, 7 de dezembro.  O objetivo é facilitar o acesso dos servidores do Judiciário Federal de todo o Estado de São Paulo. Mas corra, porque os ingressos são limitados, devido à lotação do espaço. A emissão dos vouchers será possível até esta quarta-feira (11) às 18 horas.

A festa da subsede na Baixada Santista será realizada no dia 14 de dezembro a partir das 17 horas, no Estrela de Ouro Esporte Clube (que fica na Avenida Rei Alberto I, 372 – Ponta da Praia, em Santos). Assim como na festa da capital, associados e crianças de até 12 anos não pagam, primeiro acompanhante paga R$ 20,00. A partir do segundo convidado e não sindicalizados, R$ 100,00 por pessoa. Trabalhadores terceirizados pagam R$ 50,00. A entrada de acompanhantes somente será permitida com os titulares dos respectivos convites presentes à festa.

Haverá transporte fornecido pelo Sindicato saindo da sede. Os interessados devem se cadastrar até quarta-feira (11) às 19h pelo telefone (11) 3222-5833 ou pelo e-mail <cadastro@sintrajud.org.br>.

Além da emissão dos vouchers para ingresso no local da festa, o Sindicato também está entregando convites nos locais de trabalho e na subsede (Rua Dr. Adolfo Assis, 86 – Vila Belmiro) que seja atingida a lotação do espaço contratado.

Para mais informações, entrar em contato com a subsede, de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h, pelo telefone (13) 3271-9114 ou (13) 99135-9190.

*Atualizado em 09/12/2019 às 12h07.




Servidores da Baixada terão transporte para festa do Sindicato na capital

O Sintrajud vai disponibilizar transporte gratuito para os servidores da Baixada Santista que queiram participar da já tradicional festa de fim de ano do Sintrajud. O evento acontecerá nesta sexta-feira, 6 de dezembro, a partir das 20h30, no Tênis Clube Paulista (Rua Gualaxos, 285, no bairro da Aclimação).

Quem tiver interesse deve mandar e-mail  para <sintrajudsantos@sintrajud.org.br> ou mensagem no WhatsApp para o telefone (13) 99135-9190 com nome, RG e lotação. As inscrições devem ser feitas até a quarta-feira, 4 de dezembro, às 16 horas.

Emita seu voucher

Como no ano passado, o voucher de entrada na festa pode ser emitido clicando aqui – informando seu CPF.

Para levar acompanhantes é necessário informar a quantidade de convidados e depositar os valores em uma das contas bancárias do Sindicato listadas abaixo. Crianças maiores de 12 anos pagam os mesmos valores de convidados (R$ 20,00 se for a única pessoa a acompanhar o associado e R$ 100,00 por pessoa nos casos em que mais de um convidado será levado à festa). Os menores de 12 anos não pagam entrada.

Se tiver qualquer problema, entre em contato com o deptº de Cadastro do Sintrajud: (11) 3222-5833 ou pelo e-mail <cadastro@sintrajud.org.br>.

Contas para depósito do pagamento de convites de acompanhantes

Banco do Brasil: agência 0018-3, conta corrente 535.500-1
Caixa: agência 1004, conta corrente 1019-6 operação 003




Subsede repudia pacote de Bolsonaro e violência contra mulheres em semana de mobilizações

Ato unificado em Santos (crédito: Marcela Mattos).

 

Às vésperas do recesso judiciário, em um ano de enfrentamentos cotidianos a medidas governamentais que atacam direitos, a subsede do Sindicato na Baixada Santista articulou ao longo dos últimos dias mais uma série de mobilizações.

No último dia 21 o coordenador do departamento Jurídico, o advogado César Lignelli, realizou a terceira palestra este mês na região sobre os impactos do ‘Pacote de Maldades’ do governo Bolsonaro nas vidas dos servidores. Desta vez a conversa foi com os trabalhadores do Judiciário Federal no Fórum Trabalhista de São Vicente. Já tinham sido realizados diálogos para mobilização na JT em Santos e Praia Grande.

Confira aqui como as medidas do Plano ‘Mais Brasil’ impactam a sua vida

A culpa não é do servidor

Ato em São Vicente (Arquivo Sintrajud).

Na segunda-feira (25 de novembro) dirigentes do Sindicato e servidores participaram dos atos unitários convocados pela Frente Sindical Classista. As manifestações ocorreram em frente aos fóruns do judiciário estadual em Santos e na Praia Grande.

O ato em Santos ganhou repercussão na mídia local, inclusive com transmissão ao vivo em telejornal da região, e contou com a participação de servidores da JT da própria cidade e de Praia Grande.

Diversas categorias, centrais sindicais e movimentos sociais na Baixada prometem organizar uma campanha contra a responsabilização do funcionalismo pela recuperação das contas públicas num cenário no qual os governos isentam o empresariado das contribuições previdenciárias e impostos.

Mais uma vez, para aprovar uma nova ‘reforma’ trabalhista e extinguir a estabilidade no serviço público, com redução de salários, o governo tenta jogar a sociedade contra os servidores. A mesma tática foi usada na ‘reforma’ da Previdência que vai “economizar” cerca de R$ 800 bilhões em dez anos deixando de pagar benefícios ao funcionalismo, que teve a idade de aposentadoria e as exigências para conseguir um benefício aumentadas, e a trabalhadores que recebem até dois salários mínimos atuais.

Enquanto tira dos trabalhadores, as propostas de emendas constitucionais recém apresentadas pelo presidente da República e seu ministro da Economia, Paulo Guedes, destinam explicitamente todo o superávit alcançado pelas medidas ao pagamento de juros e serviços da dívida pública, o que já está previsto na Emenda Constitucional 95 (teto de gastos).

A EC95 foi aprovada em 2016 pelo governo Michel Temer (MDB), com voto favorável do então deputado Jair Bolsonaro nos dois turnos de votação, e congela o orçamento primário da União até 2036, mas assegura a remuneração da dívida do Estado brasileiro com investidores internacionais ou conterrâneos.

Pela vida das mulheres

Cinedebate.

Enquanto mobiliza contra o pacote de maldades do governo, o Sintrajud também realiza uma série de atividades nessa semana em homenagem ao Dia da Consciência Negra e pelos 21 dias de ativismo pelo fim das violências contra as mulheres.

No dia 21, a subsede também promoveu um cinedebate com exibição do documentário ‘Todas podem ser vítimas’. A ação discutiu como as violações aos direitos das mulheres ocorrem todos os dias de múltiplas formas. No Judiciário Federal, por exemplo, a participação da população negra entre servidores e magistrados é de menos de 20%, quando na sociedade brasileira negras e negros somam 56,8%. A exclusão social é a base de todas as violências baseadas em gênero e raça, e as mulheres e jovens negras e negros são as maiores vítimas.

No ano passado uma colega servidora da Justiça Federal em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, foi vítima de feminicídio cometido pelo homem com quem vivia – Mara Helena dos Reis hoje dá nome ao Coletivo de Mulheres do Sindicato. Em outubro deste ano uma juíza foi esfaqueada dentro do Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

“A atividade que discutiu o enfrentamento à violência contra as mulheres permitiu que tratássemos de como as violações aos nossos direitos são mais cotidianas e estão mais perto de nós do que muitas vezes percebemos. E os atos contra o pacote de Bolsonaro mostraram que as categorias não vão aceitar caladas mais esse avanço sobre os nossos direitos e os serviços públicos para destinar recursos ao pagamento da dívida”, avaliou a diretora do Sintrajud e oficiala de justiça aposentada da JT/Cubatão Lynira Rodrigues Sardinha.




Subsede da Baixada Santista completa 23 anos

A subsede do Sintrajud na Baixada Santista completa 23 anos nesta sexta-feira, 29 de novembro.

Subsede

Fundada em 1996, menos de um ano após a unificação dos sindicatos do Judiciário Federal que deu origem ao Sintrajud, a subsede agrega os servidores dos municípios de Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos e São Vicente, além de ser um local de integração desses servidores com os colegas do restante do estado.

Neste ano, por exemplo, o local recebeu pela primeira vez reuniões do Núcleo de Oficiais de Justiça (foto à direita).

As campanhas da categoria têm na subsede um espaço importante para organizar as atividades de mobilização na Baixada e fazer a articulação do Sintrajud com outros sindicatos e movimentos sociais da região. Assim surgiu a Frente Sindical Classista, movimento integrado pelo Sintrajud e sindicatos de diversas categorias, do setor público e da iniciativa privada, naqueles municípios (foto à esquerda).

Localizada em Santos, a subsede ocupou um imóvel na Praia do Embaré até 2013, quando  se transferiu para o endereço atual, um amplo sobrado na Vila Belmiro.

No próximo dia 14, a partir das 17 horas, a subsede da Baixada Santista realiza sua festa de fim de ano. O evento será no Estrela de Ouro Esporte Clube (Avenida Rei Alberto I, 372 – Ponta da Praia, em Santos).




Ato unificado em Santos denuncia ‘pacote de maldades’ de Bolsonaro no dia 25

 

 

Na próxima segunda-feira (25 de novembro) acontece um ato unificado contra o plano ‘Mais Brasil’ em Santos, convocado pela Frente Sindical Classista ao meio-dia, em frente ao fórum da comarca (na Praça José Bonifácio). A direção do Sindicato convoca a categoria na Baixada Santista a participar.

Com o mote “A culpa é do servidor?”, a atividade vai dialogar com a população como o pacote de maldades encaminhado pelo governo ao Senado na semana passada vai afetar também os direitos da sociedade. A precarização dos serviços públicos vai tornar ainda mais difícil o acesso a direitos previstos na Constituição.

As propostas de emendas constitucionais (PECs) 186, 187 e 188, que tramitam no Senado, eliminam uma série de direitos dos servidores que já estão na ativa: revisão geral anual de salários; pagamento de passivos trabalhistas; reajuste ou adequação de valores salariais e de benefícios; progressão e promoção nas carreiras, entre outros. Além de autorizar, por ato normativo dos poderes, a redução salarial e de jornada em até 25% e a diminuição de gastos com funções comissionadas e cargos em comissão em até 20%. Ainda neste mês o Planalto anunciou que pretende enviar à Câmara dos Deputados uma nova PEC, da ‘reforma’ administrativa – com a qual pretende acabar com a estabilidade no emprego para os novos servidores, entre outros ataques.

A subsede já realizou debates sobre o Plano ‘Mais Brasil’ nos fóruns trabalhistas de Praia Grande, Santos e São Vicente, com a presença do coordenador do departamento Jurídico do Sindicato, o advogado César Lignelli. Novas atividades serão agendadas nos outros locais de trabalho da Baixada.




Subsede dá continuidade a debates sobre PECs de Bolsonaro dia 21 em São Vicente

Manifestação contra a retirada dos diretos dos servidores em Santos, no dia 18 de novembro de 2018. Crédito: Marcella Matos

A subsede do Sindicato realiza novo debate sobre as propostas de emendas constitucionais que o governo Bolsonaro tenta aprovar no Senado. A próxima roda de conversa com o coordenador do deptº Jurídico do Sintrajud, o advogado César Lignelli, acontece nesta quinta-feira (21 de novembro), às 16 horas no Fórum Trabalhista de São Vicente.

No último dia 18, dirigentes do Sindicato estiveram dialogando com os servidores lotados nos fóruns trabalhistas de Santos e da Praia Grande. As atividades fazem parte da campanha contra o ‘Pacote de Maldades’ baixado pelo governo de Jair Bolsonaro, que será completado com a proposta de ‘reforma’administrativa, prevista para ser encaminhada à Câmara dos Deputados ainda neste mês.

As ações do Sintrajud contra o ‘Pacote de Maldades’ começaram no TRE já no dia seguinte à apresentação das PECs, no dia 8, o tema voltou a ser discutido no Café da Manhã com o Sindicato no Fórum Trabalhista da Barra Funda. No dia 13, servidores e dirigentes participaram do ato das centrais sindicais.

Nesta semana a diretoria visitou o Fórum da Justiça Federal em São José do Rio Preto. No dia 23 (sábado) o tema volta à pauta da assembleia geral que terá início às 10 horas, no auditório do Sindicato. Na segunda-feira (25 de novembro) acontece um ato unificado contra o plano ‘Mais Brasil’ em Santos, convocado pela Frente Sindical Classista ao meio-dia, em frente ao fórum da comarca (na Praça José Bonifácio) – a direção do Sindicato está convocando a categoria na região a participar. No dia 30 o Sindicato sedia um seminário do Fórum dos Trabalhadores do Setor Público no Estado de São Paulo, das 10h às 13 horas, e em 7 de dezembro acontece a reunião da diretoria da Fenajufe com representação dos sindicatos de base, em Brasília.

Clique na imagem e leia a análise técnica.

O conjunto de propostas de mudanças à Constituição que já tramitam no Senado elimina uma série de direitos dos servidores na ativa: revisão geral anual de salários; pagamento de passivos trabalhistas; reajuste ou adequação de valores salariais e de benefícios; progressão e promoção nas carreiras, entre outros. Além de autorizar, por ato normativo dos poderes, a redução salarial e de jornada em até 25% e a diminuição de gastos com funções comissionadas e cargos em comissão em até 20%. Se aprovadas, as mudanças do chamado Plano ‘Mais Brasil’ vão provocar mudanças inéditas desde a Carta Magna de 1988 na organização do Estado e das vidas dos servidores, constitucionalizando o ataque a direitos para garantia do pagamento de juros e serviços da dívida pública.

Já com a ‘reforma’ administrativa, que está sendo costurada com os deputados, o governo pretende acabar com a estabilidade no emprego e mudar as regras de proteção trabalhista para os futuros servidores públicos.

JT/São Vicente.

A diretora do Sindicato Lynira Rodrigues Sardinha, oficiala de justiça aposentada da JT/Cubatão, avalia que as atividades têm verificado uma forte indignação na categoria. “Alguns já estão a par da desgraça que será a aprovação dessa PECs. Não bastou a destruição da Previdência, agora querem avançar sobre nós servidores para desmontar o conjunto do Estado Social instituído com a Constituição de 1988. Mas os colegas já demonstram, além da indignação, a consciência de que esse tipo de projeto levou à conflagrações em outros países, como no Chile”, afirma.




Oficiais de justiça têm reunião dia 18 na subsede

Na próxima sexta-feira (18 de outubro), o Núcleo de Oficiais de Justiça do Sintrajud realiza a segunda reunião na subsede do Sindicato na Baixada Santista. A iniciativa das reuniões na subsede busca facilitar a participação dos colegas da região e aumentar a integração do segmento.

O Sindicato disponibiliza transporte para os sindicalizados que queiram participar. Basta informar nome, telefone e lotação até o dia 16 (quarta) às 17 horas pelo e-mail <sintrajud@sintrajud.org.br>. O transporte sairá da sede da entidade.

A reunião ganha ainda mais importância diante da nova ameaça de ataque à Justiça do Trabalho (na tentativa de articulação de uma emenda constitucional para extinguir o ramo) e do atentado a uma juíza dentro do Tribunal Regional Federal (o que evidenciou a insegurança vivida todos os dias pelos operadores da Justiça, especialmente os oficiais, que atuam sozinhos e nas ruas). Além disso, a reunião acontecerá no último dia do julgamento, no plenário virtual do STF, da incorporação dos quintos referentes ao período de 1998 a 2001. Será também um importante momento de mobilização contra a redução salarial.

Por isso, a direção do Sindicato convida todos os oficiais a participarem.

Confira abaixo a convocatória:

Companheiros/as Oficiais de Justiça,

O Núcleo de Oficiais de Justiça do SINTRAJUD tem o prazer de convidá-los/as a participar da reunião do segmento que acontecerá no dia 18/10/2019 (sexta-feira) às 14h30, na Sub Sede do Sintrajud, na Rua Adolfo Assis, 86 – Vila Belmiro, Santos/SP.

Essa reunião terá como pauta os seguintes temas:

1)   Mobilização e discussão de segurança/saúde dos Ojafs;

2)  Reforma da Previdência: informes e avaliação;

3) VPNI/GAE (Decisão do TCU) informes;

4) Fiscalização de cumprimento de pena;

5) Reajuste da IT;

6) Nomeação de Ojafs JF e aproveitamento do concurso TRT2;

7) Realização do COJAF;

8) Problemas da JF de Santos;

9) Outros assuntos de interesse dos Ojafs.

São Paulo, 08 de outubro de 2019.

Erlon Sampaio de Almeida

Coordenador do Núcleo dos  OJAFs

Neemias Ramos Freire

Coordenador do Núcleo dos  OJAFs

Lucas José Dantas Freitas

Diretor Executivo Sintrajud




JF: Sindicato cobra mais debate sobre o PJe

A direção do Sintrajud reiterou pedido de reunião com a presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, desembargadora Therezinha Cazerta. A expectativa é que a audiência aconteça antes que ela publique eventual ato de implantação da Rede de Apoio ao Processamento Judicial Eletrônico. O Sindicato reafirma a necessidade de observação dos pontos problemáticos que já foram apontados em requerimento sobre o relatório final da proposta.

O assunto deve ser debatido na próxima sessão do Conselho da Justiça Federal do Regional, marcada para 3 de outubro, e está no cronograma da JFSP o início da aplicação piloto do projeto no Fórum de Santos, a partir de fevereiro de 2020. Os servidores, no entanto, até o momento pouco foram ouvidos sobre o assunto. Além de uma consulta eletrônica e duas teleconferências que tiveram caráter mais informativo do que de diálogo, não houve nenhum processo de avaliação sobre os possíveis impactos da proposta.

“Pelo que sabemos, ainda não há um consenso nem mesmo entre os magistrados e as magistradas do Fórum de Santos, no que diz respeito à implementação e funcionamento do projeto. E nós, os servidores, desconhecemos totalmente quais são os pontos em que não há consenso, é preciso que tenhamos noção de quais serão os impactos reais do projeto, pois, mais do que uma reestruturação, trata-se de uma mudança de paradigma no funcionamento da Justiça Federal da Terceira Região, de acordo com a própria administração”, aponta o servidor do Fórum e diretor do Sintrajud Antônio Carlos Lauriano.

‘Voluntariado’

Nesta quinta-feira (26 de setembro) a desembargadora voltou a visitar o Fórum da Justiça Federal em Santos. No entanto, mais uma vez só conversou com magistrados. A JF/Santos é unidade ‘voluntária’ para testar a implementação da Rede de Apoio ao PJe.

“O problema é que o voluntariado deu-se a partir de manifestação dos juízes, não dos servidores. Ultimamente os colegas de Santos têm observado a ocorrência de reuniões de magistrados para discutir a Rede e temem serem surpreendidos com implantação do projeto sem nenhum debate. A própria presidente do Tribunal esteve em Santos para tratar do assunto e só se reuniu com magistrados, o que mostra que o debate não está sendo feito com o adequado envolvimento dia servidores”, ressaltou Gilberto Terra, diretor do Sintrajud e servidor da JF lotado no Fórum Previdenciário.

“Muitos serão deslocados para outras unidades, para atividades às quais não estão adaptados, com chance de redução da remuneração pela perda de FC. Além disso, podem de se sentir desprestigiados profissionalmente por serem deslocados para exercer atividades que não são apontadas no projeto como as mais prestigiadas pela Justiça Federal”, relata o diretor do Sindicato.

O Sindicato tem cobrado mais debate com os servidores, embora algumas das demandas apresentadas à administração tenham sido atendidas, como a reavaliação da alta concentração de funções comissionadas nas e-varas. Originalmente o projeto previa em cada e-vara (cível e previdenciária) a lotação de oito servidores com uma CJ-3 (diretor de secretaria), 3 FC-5 (oficial de gabinete e supervisores), 2 FC-4 e 1 FC-3. As Centrais de Processamento Eletrônico (CPEs) teriam quantidade de servidores e funções variáveis, a depender do número de e-varas abrangidas, na proporção de quatro servidores e três funções por e-vara, sendo uma FC-5, uma FC-3 e uma FC-2. Essa proporção não valeria para varas de competência plena e de execução fiscal, “que cederiam num primeiro momento um número [de servidores] proporcional ao acervo eletrônico”, segundo o projeto.

Após o requerimento apresentado pelo Sintrajud estão previstas três FC-3, por exemplo. No entanto, outros pontos questionados pelo  ainda dependem de avaliação da presidente do TRF, relatora da proposta que será levada à discussão no CJF3R.

Levamos ao vice-diretor do Foro a preocupação dos servidores com uma eventual implantação surpresa do projeto, com mudança abrupta na vida das pessoas, e reivindicamos que eventual ato de implantação seja submetido a discussão. Para nós o encerramento da discussão na primeira instância se deu de forma prematura, embora tenha sido assegurada a manifestação do Sindicato – que opinou a respeito do projeto e teve algumas das demandas atendidas – nada garante que a implantação vai melhorar as relações de trabalho”, aponta Gilberto.

Na última terça-feira, Gilberto, Lauriano e o coordenador jurídico do Sindicato, César Lignelli, além da assessora política Carla Clemente, estiveram reunidos com o vice-diretor do Foro e titular da Terceira Vara Federal de Santos, juiz Décio Gimenez.

O Sindicato teme que seja baixado um ato instituindo a reestruturação sem o necessário diálogo com os trabalhadores que vão ser responsáveis pelo funcionamento do projeto. “Para nós há diferença entre o relatório com as diretrizes gerais e o ato de implantação da Rede, mesmo o relatório não foi suficientemente discutido, portanto, a minuta de eventual ato implantação deve ser submetida a discussão”, ressalta o dirigente.

“Esperamos que a presidenta do tribunal atenda ao nosso pedido de reunião para discutir a rede PJE antes de publicar eventual ato de implantação”, conclui Gilberto.

Leia as propostas do Sintrajud, apresentadas no ano passado à administração.