Servidoras do TRT-2 montam equipe feminina de futsal e abrem vagas no time de vôlei

O sucesso feminino nas equipes esportivas do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região começa a fazer escola. Em menos de duas semanas de anúncios virtuais por WhatsApp e no site do Regional, 18 servidoras lotadas no Fórum Trabalhista Ruy Barbosa, na Sede ou atuando em teletrabalho se encontraram e vão iniciar na próxima semana treinos de futsal.

O objetivo primeiro é “socializar, integrar e nos divertirmos”, afirma Arianne Áddana Santiago, que deu o impulso inicial à busca por talentos do esporte na modalidade feminina (o Tribunal já tem uma equipe masculina que vem participando as Olimpíadas Nacionais da Justiça do Trabalho, mas as mulheres começam a se organizar neste ano). Mas a possibilidade de disputar um caneco nos jogos olímpicos da Justiça do Trabalho também não está descartada. “Ainda não existe a categoria de futsal feminino nas Olimpíadas, mas caso o nosso time dê certo podemos postular a criação e incentivar outros tribunais a montarem seus times”, respondeu Arianne à reportagem do Sindicato.

Servidora lotada na Secretaria de Assessoramento Jurídico aos Desembargadores, na sede do Tribunal, Arianne é boleira desde a infância. “Eu costumava jogar futsal na rua de casa, no interior, e na escola. Durante o ensino médio participei de competições e viajei com o time do colégio para jogos estaduais e nacionais. Mas após a entrada na faculdade e com os compromissos da vida adulta, deixei essa paixão de lado. Esse ano resolvi resgatar isso e fui em busca de um grupo de meninas. Encontrei o “Boleiras Futebol Feminino” e comecei a treinar. Daí veio a ideia de buscar um time no TRT, mas descobri que não havia. Incentivada pelos colegas, resolvi criar o grupo e divulgar”, conta.

Com quase dois times completos, as servidoras começarão os treinos semanais na próxima semana. Interessadas ainda podem se inscrever entrando em contato com Arianne pelo e-mail <arianneaddana@gmail.com>.

Vôlei também tem “inscrições” abertas

As campeãs do vôlei.

Bicampeã das ONJT, a equipe de vôlei feminino do TRT-2 procura servidoras e magistradas interessadas em participar do time. O grupo foi criado em 2018 e venceu as duas competições nacionais das quais participou. Integrado por 12 servidoras, “a ideia é aumentar o número de jogadoras para viabilizar treinos regulares”, informa Camila Duarte, servidora da 73ª Vara Trabalhista de Guarulhos.

As interessadas podem entrar em contato com Camila pelo e-mail <camila.duarte@trtsp.jus.br>. A equipe tem também uma página no Instagram: @volei_trtsp.

“Estamos tentando preparar uns projetos para os treinos acontecerem, tanto em parceria com o Sindicato, como com os convênios que o Tribunal tem, como nos Sescs, etc”, informa Camila. A diretoria do Sintrajud tem buscado atuar cada vez mais junto com os servidores e os sindicalizados, visando ampliar o incentivo às práticas esportivas, artísticas.




Justa Causa vence Luta de Passe por 2 a 1 e é campeão da 14ª Copa Sintrajud

Diretoras do Sintrajud, Cláudia VIlapiano e Luciana Carneiro, na entrega da taça aos campeões. (Fotos: Joca Duarte)

 

O Justa Causa venceu o Luta de Passe por 2 a 1 e é o campeão da XIV Copa Sintrajud. A final, disputada no último sábado, 7 de dezembro, repetiu o duelo pelo terceiro lugar do ano passado, quando o Justa Causa também venceu, por 4 a 3. Na primeira fase do campeonato deste ano as duas equipes voltaram a se encontrar, em partida que terminou empatada em 1 a 1.

A decisão deste sábado também foi marcada pelo equilíbrio e o placar estava novamente em 1 a 1 quando os times foram para o intervalo, após gols de Willian para o Luta de Passe e Neguinho para o Justa Causa. Na segunda etapa, apesar da pressão e do volume de jogo do Luta de Passe, o Justa Causa virou com gol de Rogério.

Formado por trabalhadores terceirizados do galpão do TRT, o Justa Causa participou pela segunda vez da Copa Sintrajud. No ano passado, havia ficado em terceiro lugar.

Na Copa deste ano, o terceiro lugar ficou com o Parque Belém (campeão de 2017), que levou também o prêmio Fair Play. Com nove gols cada, os artilheiros Saddam, Neguinho e Eliseu dividiram o troféu Chuteira de Ouro. O melhor goleiro foi Reinaldo, do Justa Causa.

Como acontece todos os anos, o churrasco de confraternização marcou a festa de encerramento da Copa.

O servidor do TRT Henrique Sales Costa, diretor do Sintrajud, destacou a lealdade das equipes, não só na final, mas em toda a competição.

Ele ressaltou ainda o sucesso do jogo de “masters” (jogadores acima de 40 anos) que antecedeu a final. A novidade foi introduzida neste ano, a fim de contemplar jogadores que não vinham mais conseguindo participar da Copa. “O jogo teve uma participação muito boa e com certeza no próximo ano conseguiremos fazer mais partidas para esse público”, disse Henrique.

Terminada a competição, os servidores podem agora jogar de forma mais descontraída com a retomada do Futebol do Judiciário, todas as quintas-feiras, a partir das 20 horas, no Playball Pompeia. Neste ano, os jogos ainda acontecem nos dias 12 e 19. Após a paradinha no recesso de festas natalinas, a bola volta a rolar no dia 9 de janeiro.

Veja mais fotos da final e da premiação.




Justa Causa e Luta de Passes disputam o título da Copa Sintrajud neste sábado, 7

 

Justa Causa e Luta de Passes são os finalistas da XIV Copa Sintrajud de Futebol Society e disputam o título no próximo sábado, 7 de dezembro, às 18h30, na quadra G-14 do Playball Pompeia.

Ambos os times confirmaram o favoritismo depois de terem goleado os rivais nos jogos de ida das semifinais, disputados na semana passada. Mas nem por isso a classificação foi fácil: nesta terça-feira (3), o Justa Causa e o Luta de Passes perderam os jogos de volta e só passaram à final graças ao saldo de gols.

A equipe do Dubbar quase devolveu o “chocolate” de 5 a 1 que levou do Luta de Passes na primeira partida e venceu o jogo de volta por 5 a 2. O Luta escapou da degola com o saldo de um gol.

Na outra semifinal, o Parque Belém derrotou o Justa Causa por 4 a 3, mas o resultado não foi suficiente para compensar sua derrota no jogo de ida, também por 5 a 1. A soma dos resultados ficou 8 a 5 para o Justa Causa.

Jogo de “masters”

No sábado acontece também a disputa do 3º lugar, entre o Parque Belém (campeão do ano passado) e o Dubbar. O jogo será às 17h30, antes da final.

Às 16h30 haverá um jogo de “masters” (atletas acima de 40 anos), aberto a quem quiser participar. Essa partida é a novidade da organização do campeonato neste ano.

“Queremos contemplar o pessoal que não tem mais conseguido jogar na Copa por causa da chegada de jogadores mais jovens”, afirmou Henrique Sales Costa, servidor do TRT e diretor do Sintrajud. “Estaremos distribuindo os coletes; é só chegar e jogar”, convidou.

Após as partidas, o tradicional churrasco de confraternização marcará o encerramento do campeonato.




Justa Causa e Luta de Passes vencem primeira rodada semifinal da Copa Sintrajud

Começaram nesta terça-feira, 26 de novembro, as semifinais da 14ª Copa Sintrajud de Futebol Society, na quadra G-12 do Playball Pompeia. O Justa Causa venceu o Parque Belém por 5 a 1 e o Luta de Passe cravou 5 contra o Dubbar, que também só fez um gol.

As semifinais serão disputadas em jogos de ida e volta – as partidas de volta estão marcadas para a próxima terça-feira, às 20h30 e 21h30.

No sábado, 7 de dezembro, acontecem as finais. A partir das 16 horas, haverá um jogo comemorativo, com atletas “master” (acima de 40 anos). Depois, entram em quadra os times que vão disputar o terceiro lugar e o título de campeão deste ano. O encerramento do maior campeonato de futebol do Judiciário terá ainda o tradicional churrasco de confraternização.

“Todas e todos os trabalhadores do Judiciário estão convidados a participar desse momento de integração e diversão. Vamos prestigiar os times nas finais e curtir um churrasco. Esperamos a categoria lá no sábado”, convida o diretor do Sintrajud Henrique Sales Costa.

A 14ª Copa Sintrajud começou em outubro e contou com a participação de oito equipes, reunindo servidores, advogados, juízes e trabalhadores terceirizados.

Veja mais fotos da 14ª Copa Sintrajud aqui e aqui.

Veja entrevistas, resultados dos jogos e outras informações sobre a Copa:

http://campeonatos.playball.com.br/Home/Campeonatos/2427

https://www.youtube.com/watch?v=6-vwfxbVtR4&t=218s

https://www.youtube.com/watch?v=GdlNkk3Gn94

https://www.youtube.com/watch?v=1j4dNrNtDsE




Presidente do TRT-2 recebe representantes da delegação à 18ª Olimpíada da JT

Da esq. à dir.: Renato, Ítalo, Cibele, Márcio, Thiago, a desembargadora Rilma Aparecida Hemetério, Henrique, a juíza Luciana, Reinaldo, Deborah e Wagner (crédito: Luciana Araujo).

Integrantes da delegação do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região na XVIII Olimpíada Nacional da Justiça do Trabalho foram recebidos hoje pela presidente do órgão, desembargadora Rilma Aparecida Hemetério. Estiveram no encontro representantes do Sintrajud, da associação dos oficiais (Aojustra) e das equipes de atletismo, vôlei feminino, natação, futevôlei, futebol e tênis de mesa. Nem todos os servidores e juízas que integraram o grupo que representou o TRT-2 nos jogos olímpicos deste ano puderam estar presentes por razões de trabalho.

O encontro foi breve, mas a presidente afirmou que no próximo ano estará assegurada a liberação de ponto aos atletas participantes. Até o momento essa é uma das únicas medidas de incentivo implementadas pelo Tribunal, que também assegura aos oficiais de justiça que participam dos jogos a redução do número de mandados a serem cumpridos na semana da disputa. Neste ano o TRT-2 também publicou um minimanual com as orientações para participação dos atletas.

A equipe trouxe 21 medalhas para o Regional, a segunda melhor participação desde que o TRT-2 formou sua primeira delegação aos jogos. Esta também foi a maior da história de participação do Tribunal nos jogos.

Servidores ouvidos pela reportagem sugeriram que os convênios já firmados pelo Tribunal com universidades e com o Serviço Social do Comércio (Sesc) pudessem contemplar o uso de quadras esportivas, pistas e piscinas nas dependências as instituições para os treinos das equipes. Também foi citada a necessidade de apoio da administração para o transporte ao local dos jogos, especialmente no ano que vem, quando a Olimpíada acontece em Manaus (AM), entre outras questões. “Outros tribunais fazem isso. Havia um ônibus do TRT-4 a disposição dos atletas deles em Blumenau [2018]”, frisou a servidora aposentada Cibele Marques Costa Messora, que trouxe para casa três medalhas de prata na natação.

“Nossa maior dificuldade é reunir o time, ter um espaço com a necessária logística para os treinos”, lembrou a juíza Luciana Carla Corrêa Bertocco, medalha de bronze no vôlei de areia master feminino junto com a servidora Andréa Silva Pegoraro e integrante da equipe bicampeã da modalidade em quadra.

O Sindicato buscará manter os diálogos com a direção do TRT-2 para viabilizar essas questões.

O diretor do Sintrajud Henrique Sales Costa, do time de futebol, avaliou positivamente a reunião. “Foi importante porque a presidente manifestou compromisso com o incentivo ao esporte. Há questões que os atletas demandam, como maior divulgação dos jogos, a manutenção da liberação do ponto e um maior estímulo às pessoas para participarem, uma campanha mesmo de conscientização das chefias e demais colegas para que todo mundo possa participar sabendo que está realmente amparado por um apoio institucional”, afirmou. Henrique ressaltou ainda “a importância da prática esportiva na vida do trabalhador e do trabalho em si, inclusive para a integração entre os servidores.”

Participaram da reunião os servidores Renato Menze Hayashida (coordenador da delegação), Ítalo Vinícius Lionel (bronze nos 100m livre de natação), Cibele Marques Costa Messora (prata nos 50m e 100m livre e nos 50m costas de natação), Márcio Arruda de Souza (ouro no futevôlei em dupla), Henrique Sales Costa (futebol), Thiago Duarte Gonçalves (futebol e presidente da associação de oficiais), a juíza Luciana Carla Corrêa Bertocco (bicampeã do volei feminino de quadra e bronze na dupla de areia), Reinaldo de Medeiros (bronze no atletismo 1500 e 5000 rasos e quarto lugar nos 100m costa de natação) , Deborah Clini (também da equipe bicampeã de vôlei) e Wagner Ambrósio (bronze no revezamento 4×400 misto de atletismo).

Confira abaixo a delegação do TRT-2 inscrita na 18ª Olimpíada Nacional da Justiça do Trabalho:

Natação
Cibele Marques Costa Messora
Clayton Massaaaki Hirose
Diógenes Boschetti Almeida
Ítalo Vinícius Lionel
Jennifer Satiko Ishii
Reinaldo de Medeiros
Scheilla Regina Brevidelli

Xadrez
Isaías Nunes Cavalcante
Javert Monteiro
Juliana Elise Doerlitz

Atletismo
Ana Paula Sabatoski
Jennifer Satiko Ishii
Reinaldo de Medeiros
Stéphanie Resinentti Barbosa
Wagner Ambrósio

Vôlei Feminino
Andréa Silva Pegoraro
Camila Duarte Pereira
Deborah Clini
Luciana Carla Corrêa Bertocco
Maria Cláudia Araújo Moura Nunes Santos
Sâmia Pereira Salomão
Syrlei Soares Martins de Holanda
Tânia Bedê Barbosa

Tênis de campo
Paulo César Schiavi Martins

Tênis de mesa
Nataly Joana Vieira Meissinger
Thiago Duarte Gonçalves

Ciclismo
Cláudio Kano

Futsal/Soçaite
Adriano Daciulis
Adriano Nantes Paim
Bruno Nagima Segawa
Diego Espanhol
Diego Pinto Barros
Eduardo Pereira Galindo
Frederico Monacci Cerutti
Gustavo Pereira da Cunha Neto
Henrique Sales Costa
Igor Damasceno de Lima
Luís Antônio Campana Soares
Mac Denison Buarque Lins Costa
Marcelo Henrique Freitas
Marcos Batista de Holanda
Pedro Lorenzi Breier
Ricardo Shinhiti Taura
Stefan de Cerqueira Lima e Chieppe Jesus
Thiago Duarte Gonçalves
Thiago Nunes dos Santos

Damas
José Maria de Souza

Dominó
José Maria de Souza
Juliana Elise Doerlitz
Reinaldo de Medeiros
Vera Cristina Soares Furis

Futevolei
Stefan de Cerqueira Lima e Chieppe Jesus
Márcio Arruda de Souza

Volei de Areia Feminino
Dupla 1: Maria Claudia Araujo Moura Nunes Santos e Tânia Bedê Barbosa

Dupla 2
Andrea Silva Pegoraro e Luciana Carla Corrêa Bertocco




Sintrajud terá aula aberta de capoeira neste sábado, 19

Quem ainda não conseguiu participar das aulas semanais de capoeira angola oferecidas pelo Sintrajud, terá uma chance imperdível.  Neste sábado, 19 de outubro, acontecerá uma aula aberta e gratuita com a participação de Mestre Faísca, que vive na França e está em uma curta passagem pelo Brasil, e os professores Egbó e Kayode, de Salvador.  A aula terá início às 10h, no auditório do Sintrajud (Rua Antônio de Godói, 88, 15º andar).

Desde julho, o Sintrajud oferece todas as quartas-feiras aulas de capoeira angola para servidores, ministradas pelo servidor do TRT Eduardo Galindo, que pratica a atividade desde 2007 e já foi instrutor em Salvador, na Academia de João Pequeno de Pastinha – CECA-RV. “A capoeira é uma atividade que trabalha a musicalidade, o desenvolvimento da condição física aeróbica e anaeróbica e ainda a valorização do conhecimento ancestral afro-brasileiro”, destaca Eduardo.

Os interessados em participar da aula aberta no sábado devem mandar um e-mail para <sociocultural@sintrajud.org.br> ou se inscrever pelo telefone (11) 3222-5833. Não é exigida nenhuma experiência prévia, nem condicionamento físico. Os instrutores orientam que os participantes usem camisa de manga curta, calça confortável, tênis de solado baixo e, principalmente, boa energia. “Nessa aula serão trabalhados o canto, a percussão e os movimentos, adaptados sempre à condição de cada pessoa”, afirmou o instrutor.

VIII Mostra de Artes

Além da aula aberta, os servidores que já são alunos terão aulas na quarta e na sexta-feira, 16 e 18 de outubro, ministradas também pelo Mestre Faísca e dos professores Egbó e Kayode. As aulas serão a preparação para apresentação do grupo de capoeira durante VIII Mostra de Artes no sábado, 19 de outubro, no Espaço Exitos, que fica na rua Dr. Sérgio Meira, 231 – Barra Funda, entre as avenidas Pacaembu e Angélica.

A mostra é um evento gratuito e aberto a todos os servidores da categoria sindicalizados. Cada associado que queira prestigiar os colegas que vão se apresentar pode levar até dois (02) acompanhantes. Adquira seu voucher aqui.

 




Equipe olímpica do TRT-2 volta com 21 medalhas e já se prepara rumo a Manaus 2020

A capitã Andréa em quadra, ao fundo à direita (Aquivo pessoal).

“Foi sensacional! Mas não foi fácil. A gente chegou como favoritas, por termos sido campeãs ano passado e porque nossa equipe se manteve, não mudou muito. Mas por trás de qualquer favoritismo, sempre tem aquela insegurança, o receio de perder. Aquele friozinho na barriga que dá o tempero para atleta, sabe? E a gente tinha isso a todo momento, uma ansiedade muito grande”. Assim Andréa Silva Pegoraro, servidora do TRT-2 e capitã bi-campeã olímpica dos Jogos Nacionais da Justiça do Trabalho no vôlei feminino, resume o que foi participar do campeonato neste ano.

A servidora, que esteve pela terceira vez na Olimpíada Nacional da Justiça do Trabalho, ocorrida de 23 a 27 de setembro em Belo Horizonte, é jogadora de meio e tem longa trajetória no esporte. Aos 11 anos de idade ela começou a atuar no voleibol no Palmeiras, onde hoje joga como atleta master. Mas para a oficiala de justiça no TRT-2, a experiência em quadra não reduziu o tamanho do desafio e nem a emoção do bicampeonato.

“Fomos desafiadas a cada jogo. As equipes femininas são muito bem niveladas tecnicamente. Então os embates são muito prazerosos. O jogo que considero necessário destacar foi o [que fizemos] contra o TST, digno de final de campeonato. As meninas entraram em quadra babando para ganhar e colocaram a gente para jogar que nem gente grande. Foi lindo, muito bacana, lotou o ginásio. Mas a qualidade técnica da nossa equipe é muito boa. E aí estamos nós campeãs de novo. Agora a chavinha já ligou: é rumo ao tri!”, afirma já fazendo planos.

Neste ano, Andréa também trouxe o bronze no vôlei de areia, junto com a juíza Luciana Carla Corrêa Bertocco, com quem joga há mais de uma década. “É outro jogo, né? Nada a ver com o de quadra. É um jogo mais ainda de inteligência e cabeça, que de força. Participei da 14ª olimpíada, em Goiânia, em 2015, somente como dupla de areia e fomos desclassificadas, embora tenha sido excelente. Ano passado novamente fomos desclassificadas, mas foi legal. Neste ano nem íamos participar, mas as meninas da equipe Master desistiram na última hora e fomos para o lúdico, sem expectativa. No fim, perdemos só um jogo, para a dupla que acabou sendo campeã, e ganhamos o bronze [na diferença de pontuação]. Foi sensacional!”, conta a servidora.

Natação

Além do bicampeonato no vôlei, a natação foi o outro grande destaque da delegação paulista: a modalidade onde a delegação mais obteve premiações. Ao todo, 10 medalhas das 21 trazidas de Belo Horizonte para São Paulo foram conquistadas debaixo d’água. Diógenes Boschetti voltou para casa com cinco medalhas e Jennifer Satiko Ishii com quatro.

Recordista nos 50 metros livre de 55 a 59 anos em 2018, a nadadora Scheilla Brevidelli neste ano não trouxe medalhas, mas merece destaque pelo fairplay. Citada na matéria anterior publicada pelo Sindicato, fez questão de enviar mensagem sugerindo que “nas próximas reportagens sobre a natação devemos exaltar nossos colegas que trouxeram prata e bronze, pois nas categorias de idade inferior o nível técnico aumenta muito e a competitividade também.”.

Socialização e papel do Sindicato

O jogador de futebol e diretor do Sintrajud Henrique Sales Costa, servidor lotado no Fórum Ruy Barbosa, destaca que os jogos são importantes pela “socialização de servidores de diferentes estados, que cresce a cada olimpíada. Depois, muitas vezes nos encontramos nas lutas nacionais. Ano que vem será em Manaus. Apesar da distância, promete ser uma das melhores olimpíadas, pois a maioria dos esportes acontecerá no mesmo complexo”, diz.

Para Henrique, “as vitórias da nossa delegação mostram a importância de investirmos no esporte também como política institucional. Os tribunais deveriam dar mais força às delegações, maior publicidade e estimular os espaços de integração de servidores através dos esportes. São Paulo inclusive tem potencial para ser uma das maiores delegações do país, mas ainda não é. No Sindicato temos feito esse debate nos últimos três anos e avançado numa política de apoio às equipes, que certamente pode e deve avançar mais”.

Representante mais experiente da delegação, o oficial de justiça aposentado José Maria de Sousa concorda. “É muito gratificante, muito bom participar. A gente conhece gente nova, faz amizades. Eu sempre quis participar, mas ficava com receio de voltar e ter um volume enorme de mandados para cumprir. Agora, este ano, com a conquista que obtivemos da liberação do ponto e suspensão dos mandados, no caso dos oficiais, ficou um pouco mais fácil. É um incentivo importante porque a gente traz medalhas para o Tribunal também”, afirma. José Maria ganhou o ouro na disputa de dominó. Foi o segundo ano em que ele participou da competição.

A torcida

Quem também voltou dos jogos olímpicos de 2019 merecendo medalhas foi a torcida. “Um espetáculo! Só vendo para acreditar. E nossa torcida é formada completamente pelos meninos do futebol e dos esportes individuais. Só que os meninos do futebol que fazem a maior bagunça e em todos os jogos eles foram o sétimo jogador”, comenta Andréa.

Para Stefan de Cerqueira Lima e Chieppe Jesus, campeão do futevôlei junto com Márcio Arruda de Souza, a torcida também trouxe energia fundamental para a disputa.  “Encaramos vários desafios, de ótimo nível técnico. Fomos em apenas uma dupla pela delegação de São Paulo e do início ao tivemos jogos duros. Especialmente a dupla do Rio de Janeiro, do TRT-1, contra a qual disputamos a final, num jogo emocionante, que foi ao terceiro set. Sem dúvida, o combustível, nosso estímulo para ter dado o máximo e conquistado essa medalha de ouro pro TRT-2 foi a nossa torcida incrível, contagiante, que dá força para qualquer atleta que esteja disputando alguma das modalidades. Foi uma experiência fantástica e ano que vem estaremos lá de novo”, afirma.

O mascote da delegação confirma a vibração positiva do entrosamento da delegação nos jogos. Servidor da Justiça Federal e diretor de base do Sintrajud, Tadeu Godoy pelo segundo ano consecutivo gozou suas férias durante os jogos olímpicos, e não se arrepende. Para ele, o incentivo à prática esportiva deveria ser política de gestão. “Eu sempre pratiquei esportes, a vida toda, e fui a várias competições. E nunca vi nada parecido na Justiça Federal. É incrível! A preparação dos atletas, a dedicação e a integração entre os TRTs de diversas localidades do Brasil. Fiz grandes amigos nesses jogos e reforcei algumas amizades antigas. Hoje em dia, nesse Judiciário da produção e das metas, a olimpíada da JT é uma luz no fim do túnel para o coleguismo, companheirismo, trabalho em equipe e tudo o mais que envolve a integração que somente o esporte traz. Acho que esse estímulo dos jogos olímpicos deve auxiliar muito na saúde, fazendo com que [os servidores que participam] fiquem longe de licenças médicas e atestados decorrentes de doenças”, relata.

A diretoria do Sintrajud expressa orgulho das conquistas da delegação paulista e reafirma o compromisso de buscar atuar cada vez mais junto com os servidores e os sindicalizados visando ampliar o incentivo às práticas esportivas, artísticas e de atenção integral à saúde dos trabalhadores que promovem a concretização do acesso à justiça no estado de São Paulo.

*Atualizado para inclusão do nome de Márcio Arruda de Souza na dupla do futevôlei às 7h26.

Medalhistas do TRT-2

O TRT da 2º região ficou em 16º lugar no quadro de medalhas, com 21 condecorações. São elas:

Parte da delegação paulista no final dos jogos olímpicos de 2019.

 

ERRAMOS: A matéria foi corrigida às 16h25 para correção do quadro de medalhas.

5 medalhas de ouro
Vôlei feminino – Andréa Silva Pegoraro, Camila Duarte Pereira, Deborah Clini, Luciana Carla Corrêa Bertocco, Maria Cláudia Araújo Moura Nunes Santos, Sâmia Pereira Salomão,  Syrlei Soares Martins de Holanda e Tânia Bedê Barbosa.
Ciclismo 40 a 49 anos – Cláudio Kano
Dominó individual – José Maria de Souza
Futevôlei livre – Márcio Arruda de Souza e Stefan de Cerqueira Lima e Chieppe Jesus
Natação 50m livre masculino até 34 anos – Diógenes Boschetti Almeida

9 medalhas de prata
Atletismo 1500m rasos feminino 40 a 44 anos – Jennifer Satiko Ishii
Atletismo 3000m rasos feminino 40 a 44 anos – Jennifer Satiko Ishii
Natação 50m livre feminino 40 a 44 anos – Jennifer Satiko Ishii
Natação 200m livre feminino 40 a 44 anos – Jennifer Satiko Ishii
Natação 50m borboleta masculino até 34 anos – Diógenes Boschetti Almeida
Natação 100m livre masculino até 34 anos – Diógenes Boschetti Almeida
Natação 50m livre feminino 60 anos ou mais – Cibele Marques Costa Messora
Natação 50m costas feminino 60 anos ou mais – Cibele Marques Costa Messora
Natação 100m livre feminino 60 anos ou mais – Cibele Marques Costa Messora

7 medalhas de bronze
Atletismo revezamento 4×400 misto – Jennifer Satiko Ishii, Reinaldo Medeiros, Stephanie Resinentti Barbosa e Wagner Ambrósio
Atletismo 1500 rasos masculino – Reinaldo de Medeiros
Atletismo 5000 rasos masculino – Reinaldo de Medeiros
Dominó individual – Vera Cristina Soares Furis
Natação 100m livre feminino 40 a 44 anos – Jennifer Satiko Ishii
Natação 100m livre masculino 35 a 39 anos – Ítalo Vinícius Lionel
Vôlei de areia master feminino – Andrea Silva Pegoraro e Luciana Carla Corrêa Bertocco




Servidoras e servidores garantem maior delegação da história na Olimpíada da JT

Têm início neste sábado (21 de setembro) os XVIII jogos olímpicos da Justiça do Trabalho. Esse ano o campeonato acontece em Belo Horizonte, até o dia 27, e o TRT-2 terá a maior delegação desde a primeira participação no evento, em 2012. Serão 46 representantes inscritos em 13 diferentes modalidades: atletismo, ciclismo, damas, dominó, futebol soçaite, futebol de salão, futevolei, natação, tênis de campo, tênis de mesa, vôlei de areia feminino, vôlei de quadra feminino e xadrez.

A Olimpíada Nacional da Justiça do Trabalho é organizada pela Associação Nacional dos Servidores do Judiciário Trabalhista (Anastra) e reúne equipes de TRTs de todo o país, além do Tribunal Superior do Trabalho, em 22 diferentes esportes: do dominó ao atletismo.

Campeãs femininas do vôlei são de SP

A equipe de ouro de 2018 no vôlei feminino é um dos destaques da delegação paulista e voltará às quadras com novas integrantes. O time foi montado em fevereiro do ano passado e reúne servidoras de diversos unidades da Segunda Região.

“Começamos a conversar sobre o desejo de montar uma equipe feminina de vôlei do TRT-2 e, quem sabe, conseguir levar esse time para disputar as Olimpíadas da Justiça do Trabalho em setembro de 2018. Começamos uma busca desenfreada para localizar as colegas que se interessavam por vôlei e também para “convencê-las” a se programarem para ir aos jogos. Aos poucos conseguimos um número bom de pessoas, enfrentamos problemas na liberação das juízas por conta da antiga Corregedoria, mas conseguimos. Não tivemos muito tempo para nos organizarmos para treinar. O time completo só conseguiu se reunir uma única vez, num amistoso em Pirituba, faltando sete dias para o início das Olimpíadas”, conta Camila Duarte Pereira, servidora lotada no Fórum Trabalhista Ruy Barbosa.

Na foto do alto, da esq. à dir.: Luciana, Sâmia, Camila, Andréa, Maria e Tânia. Abaixo: Deborah, Syrlei, Maria Claudia, Camila, Luciana, Tânia, Joelma (que não irá a BH) e Andréa.

A falta de treino, no entanto, não comprometeu o entrosamento da equipe que deixou sua marca na competição com o ouro invicto e agora retorna com disposição de repetir o feito. Na faixa ao lado, o lema mostra que a meta é alta. “Se não for pra caôsar, a gente nem vem! #RumoAoPódio #Caôsação #ONJT”. A torcida por aqui será grande.

“Enfrentamos adversárias fortes em todos os jogos, mas contamos com o apoio da torcida da delegação em todos os jogos. Quando ganhamos a final contra o time do TRT/Ceará a torcida invadiu a quadra e comemorou junto com a gente a vitória emocionante”, relata Camila Duarte.

No ano passado, 13 servidoras integraram a delegação feminina, sendo 9 do time de vôlei. Em 2019 são 16 mulheres inscritas e 8 no vôlei. “Mas precisamos de mais participantes”, ressalta Camila.

Recordes paulistas

São de servidoras do TRT-2 também os recordes históricos da natação feminina. Scheilla Regina Brevidelli bateu a marca de 57.01 no ano passado nos 50 metros livre de 55 a 59 anos. Cibele Marques Messora atingiu 1:02.45 na mesma modalidade e 2:35.43 nos 100m livre acima de 60 anos. E Carolina Quadrado Ilha cravou 3:16.21 nos 200m libre de 35 a 39 anos. Todas as marcas foram atingidas no ano passado.

No atletismo masculino o TRT-2 bateu o recorde com Léo Aparecido Ferreira da Silva, que emplacou seu nome na história da competição em 2015 com as melhores marcas nos 100m e nos 200m rasos de 40 a 44 anos.

Camila defende que haja mais divulgação dos jogos olímpicos, que os servidores sejam orientados sobre o caráter da competição, como participar e os custos, garantia da liberação do ponto para todos os atletas regularmente inscritos – como critério de incentivo ao esporte – e estrutura de apoio. No ano passado, o time campeão viajou sem técnico e as servidoras levaram as suas próprias bolas para treino e aquecimento.

“Ainda é necessário mais apoio dos Tribunais para a formação de equipes, afinal nas Olimpíadas vamos representando a instituição. Mas é importante também que os servidores se mobilizem e se organizem para que tenhamos competitividade”, conta.

Para este ano o Sintrajud contribuiu no patrocínio da equipe com o fornecimento de bolas de futebol, coletes, um mês de aluguel de quadra para a equipe do futebol masculino e o pagamento das inscrições de todos os esportistas servidores sindicalizados. “É uma função importante do Sindicato que também, além da integração entre os colegas, garante também a necessária integração com a entidade representativa da categoria. Neste ano, 90% do time de futebol masculino é filiado, e esperamos que o número de sindicalizados aumente nas demais modalidades”, relata Henrique Sales Costa, servidor do TRT e diretor do Sindicato que também estará entre os atletas que vão disputar um lugar ao sol, ou no pódio, no soçaite e no futsal dos meninos.

Confira abaixo a delegação do TRT-2:

Natação
Cibele Marques Costa Messora
Clayton Massaaaki Hirose
Diógenes Boschetti Almeida
Ítalo Vinícius Lionel
Jennifer Satiko Ishii
Reinaldo de Medeiros
Scheilla Regina Brevidelli

Xadrez
Isaías Nunes Cavalcante
Javert Monteiro
Juliana Elise Doerlitz

Atletismo
Ana Paula Sabatoski
Jennifer Satiko Ishii
Reinaldo de Medeiros
Stéphanie Resinentti Barbosa
Wagner Ambrósio

Vôlei Feminino
Andréa Silva Pegoraro
Camila Duarte Pereira
Deborah Clini
Luciana Carla Corrêa Bertocco
Maria Cláudia Araújo Moura Nunes Santos
Sâmia Pereira Salomão
Syrlei Soares Martins de Holanda
Tânia Bedê Barbosa

Tênis de campo
Paulo César Schiavi Martins

Tênis de mesa
Nataly Joana Vieira Meissinger
Thiago Duarte Gonçalves

Ciclismo
Cláudio Kano

Futsal/Soçaite
Adriano Daciulis
Adriano Nantes Paim
Bruno Nagima Segawa
Diego Espanhol
Diego Pinto Barros
Eduardo Pereira Galindo
Frederico Monacci Cerutti
Gustavo Pereira da Cunha Neto
Henrique Sales Costa
Igor Damasceno de Lima
Luís Antônio Campana Soares
Mac Denison Buarque Lins Costa
Marcelo Henrique Freitas
Marcos Batista de Holanda
Pedro Lorenzi Breier
Ricardo Shinhiti Taura
Stefan de Cerqueira Lima e Chieppe Jesus
Thiago Duarte Gonçalves
Thiago Nunes dos Santos

Damas
José Maria de Souza

Dominó
José Maria de Souza
Juliana Elise Doerlitz
Reinaldo de Medeiros
Vera Cristina Soares Furis

Futevolei
Stefan de Cerqueira Lima e Chieppe Jesus
Márcio Arruda de Souza

Volei de Areia Feminino
Dupla 1: Maria Claudia Araujo Moura Nunes Santos e Tânia Bedê Barbosa

Dupla 2
Andrea Silva Pegoraro e Luciana Carla Corrêa Bertocco




Inscrições para a 14ª Copa Sintrajud vão até 29 de setembro

Até o próximo dia 29 de setembro, os atletas do Judiciário Federal podem se inscrever para a XIV Copa Sintrajud de Futebol Society.

O campeonato terá início na segunda quinzena de outubro e vai até o início de dezembro, com participação aberta a servidores, magistrados, procuradores, advogados, estagiários, trabalhadores terceirizados e times convidados.

As inscrições são gratuitas para sindicalizados. Trabalhadores do Judiciário Federal não sindicalizados pagam R$ 100. Aos advogados, juízes e procuradores será cobrado R$ 120 e os terceirizados e estagiários pagam R$ 50.

Os responsáveis pelas equipes podem inscrever os times diretamente na ficha abaixo. É necessário anexar à ficha de inscrição o comprovante de pagamento das taxas de participação e cópia digitalizada da carteira funcional, crachá ou carteira da OAB.

Cada time deverá inscrever no mínimo 10 jogadores e não há um número máximo. Se você não tem um time, faça a inscrição individual e a comissão organizadora se encarregará de incluí-lo em uma das equipes.

A final terá o tradicional churrasco de confraternização. O torneio terá ainda algumas novidades: servidoras que quiserem montar time terão espaço na agenda do dia para partidas femininas. Será aberta também a possibilidade de um joguinho das crianças e adolescentes e uma partida master, entre times da velha guarda.

 

PREENCHA AQUI A FICHA DE INSCRIÇÃO

 

Nome da Equipe:

Nome completo do representante da equipe:

Telefone (com DDD):
Celular (com DDD):
Forma de pagamento (Informe também no e-mail: sociocultural@sintrajud.org.br):
DinheiroChequeDepósito

Valor total devido (em R$):

Dados dos atletas (obrigatório 10 atletas):
Legenda: SIND = Sindicalizado / Ñ/SIND = Não Sindicalizado / TERC/EST = Terceirizado/Estagiário / JUIZ/PROC = Juiz/Procurador

1 - Nome do atleta:

RG (atleta 1):
Tribunal (atleta 1):
Condições do atleta 1:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

2 - Nome do atleta:

RG (atleta 2):
Tribunal (atleta 2):
Condições do atleta 2:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

3 - Nome do atleta:

RG (atleta 3):
Tribunal (atleta 3):
Condições do atleta 3:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

4 - Nome do atleta:

RG (atleta 4):
Tribunal (atleta 4):
Condições do atleta 4:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

5 - Nome do atleta:

RG (atleta 5):
Tribunal (atleta 5):
Condições do atleta 5:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

6 - Nome do atleta:

RG (atleta 6):
Tribunal (atleta 6):
Condições do atleta 6:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

7 - Nome do atleta:

RG (atleta 7):
Tribunal (atleta 7):
Condições do atleta 7:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

8 - Nome do atleta:

RG (atleta 8):
Tribunal (atleta 8):
Condições do atleta 8:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

9 - Nome do atleta:

RG (atleta 9):
Tribunal (atleta 9):
Condições do atleta 9:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

10 - Nome do atleta:

RG (atleta 10):
Tribunal (atleta 10):
Condições do atleta 10:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

11 - Nome do atleta:

RG (atleta 11):
Tribunal (atleta 11):
Condições do atleta 11:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

12 - Nome do atleta:

RG (atleta 12):
Tribunal (atleta 12):
Condições do atleta 12:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

13 - Nome do atleta:

RG (atleta 13):
Tribunal (atleta 13):
Condições do atleta 13:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

14 - Nome do atleta:

RG (atleta 14):
Tribunal (atleta 14):
Condições do atleta 14:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

15 - Nome do atleta:

RG (atleta 15):
Tribunal (atleta 15):
Condições do atleta 15:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

16 - Nome do atleta:

RG (atleta 16):
Tribunal (atleta 16):
Condições do atleta 16:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

17 - Nome do atleta:

RG (atleta 17):
Tribunal (atleta 17):
Condições do atleta 17:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

18 - Nome do atleta:

RG (atleta 18):
Tribunal (atleta 18):
Condições do atleta 18:
SINDÑ/SINDTERC/ESTJUIZ/PROC/ADV

Envie aqui os documentos dos atletas (em .jpg ou em .pdf):




Servidoras marcam presença em aula de defesa pessoal e Clube de Corrida

Crédito: Joca Duarte

 

Encerrando as atividades de homenagem ao 25 de Julho: Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha e de Tereza de Benguela, o Coletivo de Mulheres do Sintrajud – Mara Helena dos Reis realizou uma edição especial Clube de Corrida e Caminhada, voltado para elas.

A atividade aconteceu no último domingo, 27 de julho,  no Elevado João Goulart (o ‘Minhocão’), no Centro da capital.  Além da já tradicional corrida e caminhada, orientadas pelo educador físico Alex Raval Bertozzi, também aconteceu uma aula de defesa pessoal, com a instrutora Juliana Bueno Garcia, lutadora de jiu-jitsu e parte do Programa Women Empowered que é específico e exclusivo para mulheres contra agressão sexual.

Crédito: Joca Duarte

A aula teve a participação de servidoras de todas as idades, da ativa e aposentadas, que aprenderam movimentos específicos para defender-se em cenários de risco e conversaram sobre formas de reconhecer e reagir a situações de assédio.”Foi uma experiência muito impactante, porque tivemos a oportunidade de refletir de forma lúdica sobre as mais variadas formas de assédio que sofremos. Além da prática, a didática da instrutora permite que a gente converse sobre este assunto, que é muito sério, de maneira leve, fazendo com que a gente reflita, ria, se revolte e se empodere”, afirmou Camila Pereira, servidora do TRT em Barueri e integrante do Coletivo de Mulheres. “Saímos da aula refletindo sobre alguns cenários de riscos que já vivemos e analisando atitudes que, agora, poderemos tomar”, concluiu Camila – proponente da aula e que ajudou a organizar a vinda da instrutora.

Para servidora aposentada Fausta Fernandes, diretora do Sintrajud, também do coletivo de Mulheres, a aula foi um momento de fortalecimento e interação entre as servidoras. “Aprendemos que é possível nos manter altivas e em alertas sempre, e a nos defendermos no  caso de um possível agressor, mesmo que ele seja mais alto e mais forte, mas o mais importante é que foi um momento de fortalecimento da rede de apoio entre nós”, afirmou.

Crédito: Joca Duarte

Após a aula de defesa pessoal, as servidoras fizeram, além da corrida e caminhada, um circuito funcional (combinação de exercícios e movimentos comuns ao dia-a-dia que contribui para a perda de peso e definição muscular).

Criado durante o 1º Encontro de Mulheres do Sintrajud, realizado em 28 de outubro de 2017, o Coletivo reúne-se a cada dois meses para discutir as questões específicas das mulheres, principalmente das que trabalham ou trabalharam no Judiciário.