Atos no DF reafirmam que pressão vai continuar até PEC 32 ser descartada


23/11/2021 - Helcio Duarte Filho
A 11ª caravana nacional ocorre na semana seguinte às declarações de Arthur Lira admitindo dificuldade para votar 'reforma' administrativa.

Servidores ao final do ato desta terça, no aeroporto JK, em Brasília (Fotos: Valcir Araújo)

Servidoras e servidores públicos estão em Brasília na décima primeira semana consecutiva de atos presenciais em defesa dos serviços públicos e pela rejeição da ‘reforma’ administrativa (PEC 32/2020) – que ocorre poucos dias após o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), admitir pela primeira vez ter dificuldades para levar a proposta a voto no Plenário este ano. Delegação do Sintrajud, que esteve representado ao longo de toda essa sequência de atos presenciais desde o dia 14 de setembro, participa das atividades.

A mobilização desta semana reafirma que a luta vai continuar e que é preciso mantê-la até que a ‘PEC da Rachadinha’ seja descartada ou mesmo arquivada. Pela manhã desta terça-feira, 23 de novembro de 2021, uma mobilização no desembarque do aeroporto voltou a ‘recepcionar’ parlamentares.

“Estamos mais uma vez no Aeroporto Internacional de Brasília fazendo a nossa recepção a deputadas e deputados para que votem contra a PEC 32, a PEC da Rachadinha”, informou a servidora Luciana Carneiro (foto), que integra a delegação do sindicato, ao lado de trabalhadores de outras entidades do PJU e do MPU e do conjunto do funcionalismo. À tarde, em frente a uma das entradas da Câmara, no Anexo II, ocorreu a já tradicional vigília contra a PEC 32.

A dirigente sindical disse que, em paralelo à ‘reforma’ administrativa, a mobilização também defende a rejeição da PEC 23, dos Precatórios, denominada PEC do Calote pelo movimento, que tramita no Senado Federal. “As duas PECs são face da mesma moeda e merecem ser rechaçadas pela sociedade”, disse.

O servidor Fabiano dos Santos, diretor do Sintrajud e da federação nacional (Fenajufe), também criticou a PEC 23. “Com a PEC do Calote, [o governo] tenta enganar a população dizendo que precisa tirar dinheiro dos precatórios, que são direitos já assegurados na Justiça, com decisões com trânsito em julgado. Não precisa dar calote em precatórios para [garantir o auxílio social]”, afirmou.

Lira

Na declaração que deu a jornalistas no dia 18 de novembro, Arthur Lira lembrou que a proposta está pronta para ser apreciada no Plenário, porém reconheceu haver dificuldade para votá-la, mas sem descartar a ideia de levar adiante a ‘reforma’. “Com a pouca mobilização de quem quer a PEC e com o pálido apoio do governo, a gente não tem como trazer uma matéria dessa à pauta. Ela está pronta para o plenário a qualquer momento”, disse a jornalistas, após reunião com líderes partidários que tratou das pautas a serem apreciadas.

Programação

A semana em Brasília está apenas começando. Nesta quarta (24), a partir das 9 horas, o funcionalismo se reúne no Espaço do Servidor, na Esplanada dos Ministérios, de onde vão caminhar até o Congresso Nacional, para realização de um ato pela rejeição das PECs 32 e 23. À tarde, a partir das 14 horas, haverá nova vigília na Câmara. Na quinta-feira (25), os servidores se concentram na entrada do Anexo II para vigília e visitas aos gabinetes de deputados e deputadas.

O diretor do Sintrajud e servidor do TRT-2 Ismael Souza fala durante o ato realizado em frente à Câmara, nesta terça.

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas