Atos em Brasília associam Guedes à ‘PEC da Rachadinha’ e cobram resposta a escândalo do ‘paraíso fiscal’


05/10/2021 - Helcio Duarte Filho
Delegação do Sintrajud participou de mais uma 'recepção a parlamentares', na qual a associação da 'reforma' com o escândalo envolvendo o ministro foi inevitável; à tarde houve a primeira vigília desta semana na Câmara e conversas com parlamentares.

Delegação de São Paulo no aeroporto (crédito das imagens: Valcir Araújo).

Na talvez mais movimentada mobilização das servidoras e servidores contra a PEC 32 no Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, o ministro Paulo Guedes (Economia) foi um dos alvos centrais do protesto que recepcionava parlamentares que chegavam à capital federal, a partir das 7 horas da manhã desta terça-feira, 5 de outubro.

Presente em todas as abordagens no Aeroporto JK nas últimas três semanas, “Paulo Guedes” foi o principal alvo de denúncias na manhã desta terça-feira, 05, em razão do escândalo de sua empresa num paraíso fiscal (crédito das imagens: Valcir Oliveira).

A ‘deferência’, com direito ao já conhecido manifestante ‘vestido’ com uma fantasia que reproduz o rosto do ministro (foto), foi reflexo direto da recém-divulgada denúncia de que o responsável por ditar a política econômica no Brasil não tem confiança em manter o seu dinheiro no país – remetendo em segredo sua fortuna para um paraíso fiscal no Caribe.

“Paulo Guedes, seu fascistinha, a sua PEC tem cheiro de rachadinha’, cantaram os servidores em diversos momentos, na atividade realizada pela campanha contra a ‘reforma’ administrativa na manhã desta terça-feira (5). “Fora Paulo Guedes, é você quem é um privilegiado, é você quem é um parasita, é você quem destrói o Brasil”, disse a servidora Luciana Carneiro, da direção do Sintrajud, em mensagem gravada ainda do Aeroporto, referindo-se a quando o principal ministro do presidente Jair Bolsonaro chamou os servidores de ‘parasitas’.

A dirigente sindical integra a delegação do Sintrajud que reúne esta semana 18 servidoras e servidores em Brasília. “A nossa convocação para que a nossa categoria, todas as categorias do funcionalismo público, se coloquem na luta contra a PEC 32 está surtindo muito efeito e as pessoas estão se organizando e se mobilizando. Nós derrotaremos essa PEC, derrotaremos Arthur Lira, derrotaremos Bolsonaro”, afirmou Luciana.

A servidora Priscila Sertek, do TRT-2, que também está em Brasília, avaliou ser fundamental manter essa pressão num momento em que o governo encontra dificuldades para pôr a proposta em votação no Plenário. “Fizeram muito barulho, dois grandes corredores recepcionando os parlamentares, muitos cartazes e palavras de ordem. A mobilização está crescendo a cada dia. Não podemos perder de vista as articulações que estão ocorrendo e, embora ainda não tenha data para votação, nossa categoria precisa estar focada e mobilizada”, disse à reportagem.

Para Flávio Conrado Junior, aposentado da Justiça Militar e mais um servidor da delegação do Sintrajud, essas atividades que buscam sensibilizar os parlamentares são muito importantes. “Quando recepcionamos os parlamentares com banda de música, batucada, faixas, palavras de ordem, o deputado começa a entender que não vai ser tão simples aprovar a reforma”, analisou.

Para ele, o governo sabe que não tem os votos e está ‘procrastinando a votação’ e isso deve motivar ainda mais a categoria a participar desse movimento em defesa dos serviços públicos. “Nossa atividade não se resume à recepção dos parlamentares. Há uma vigília na Câmara e vamos aos gabinetes, levando material. É uma luta árdua que está surtindo efeito, fora a mobilização nas redes sociais dos parlamentares. São 513 parlamentares contra milhares de servidores e essa luta nós vamos ganhar”, afirmou Conrado.

Coordenador da Fenajufe e do Sintrajud, Fabiano dos Santos avalia que o movimento segue crescendo e surtindo efeito. “Foi uma das maiores mobilizações que nós fizemos no aeroporto contra a PEC 32. E nossa mobilização está fazendo com que o governo não consiga os 308 votos que ele precisa para a aprovação dessa PEC. Vamos intensificar a mobilização, o Sintrajud está com uma boa delegação aqui e vai ficar firme, com o conjunto do funcionalismo contra a PEC 32, nós vamos até a vitória”, disse o servidor, em mensagem à categoria gravada em vídeo, também do aeroporto.

‘É necessário sair da zona de conforto’

“O corredor formado no aeroporto despertou as pessoas sobre o que é a PEC 32. Muitos se manifestaram a favor durante o desembarque”, observa Geremias Ferreira, da Justiça Federal em Campinas. À reportagem, ele disse que a participação na caravana a Brasília também o fez ver o quanto é importante a organização sindical e a atuação coletiva em defesa de direitos que estão sendo destruídos.

“Temos a inércia como pessoa e servidor de que alguém faz a luta por nós. Ter vindo me mostrou como cada pessoa endossa a ‘guerra’ contra a reforma. É necessário sair da zona de conforto e ir a campo. Vislumbrar o engajamento das centrais, a energia aplicada na manifestação, nos materiais de campanhas, no jingle, é surreal. A rapidez e expertise do Sintrajud em preparar a caravana e o apoio me surpreendeu, não tinha noção da operacionalidade do Sindicato”, disse. “Tive um despertar do espírito coletivo pra lutar – seja presencial ou online – por um mudança”, constatou, mencionando que compartilhar essa luta com o aposentado Márcio Lóis, do TRE, o decano da caravana, aos 84 anos, é uma lição de vida. “Mostra como uma luta une gerações”, finalizou Geremias.

‘Se votar, não volta!’

À tarde os servidores permaneceram em frente à Câmara, em vigília, cantando palavras de ordem que mais uma vez cobravam do Legislativo (que tem o papel de fiscalizar o Executivo) resposta ao mais novo escândalo do governo Jair Bolsonaro: a denúncia revelada no último domingo pela Revista piauí de que o ministro Paulo Guedes ganhou ao menos R$ 14 milhões aplicando dinheiro em uma empresa offshore no Caribe, o que é proibido.

Até quinta-feira desta semana haverá vigílias em frente à Casa Legislativa todas as tardes.

Do lado de dentro da Câmara, apesar da forte restrição à entrada no Palácio do Congresso, que afeta até mesmo o trabalho da imprensa, ferindo a legislação brasileira que assegura as prerrogativas profissionais, parte da delegação foi recebida em reuniões pelos deputados federais Alencar Santana Braga (PT-SP) e Roberto Lucena (Podemos-SP).

O deputado Alencar Braga segura o cartaz do Sintrajud contra a PEC (Arquivo Sintrajud).

 

O deputado Roberto de Lucena conversa com dirigentes do Sindicato (Arquivo Sintrajud).

 

Confira o informe do diretor Henrique Sales e da diretora de base Cátia Machado, servidora da JF em Bauru, sobre as mobilizações desta terça-feira:

 

View this post on Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Sintrajud (@sintrajud)

* Colaborou: Luciana Araujo

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas