Ato na Baixada reafirma que luta contra reforma não termina com recuo do governo

A manifestação ocorrida na noite de ontem, 19, na cidade de Santos reafirmou a disposição de luta dos trabalhadores e servidores públicos contra as mudanças na legislação previdenciária. A Praça Independência também assistiu à comemoração dos manifestantes diante da importante vitória – ainda que parcial – que representa o recuo do governo ao retirar de […]

A manifestação ocorrida na noite de ontem, 19, na cidade de Santos reafirmou a disposição de luta dos trabalhadores e servidores públicos contra as mudanças na legislação previdenciária. A Praça Independência também assistiu à comemoração dos manifestantes diante da importante vitória – ainda que parcial – que representa o recuo do governo ao retirar de pauta a emenda aglutinativa à PEC 287/2016, diante da derrota em angariar os 308 votos necessários e do decreto de intervenção militar no Rio de Janeiro.

Para Lynira Rodrigues, servidora da JT em Cubatão e diretora do Sintrajud, “a classe trabalhadora reagiu e continuará reagindo à altura dos ataques do capital financeiro e do Governo Temer, que está a serviço desse primeiro. A Previdência Pública tem uma história de quase cem anos, e, não há que se falar em retrocessos maldosos e diminuição de direitos.”

O diretor da Fenajufe e servidor da JF/Santos, Adilson Rodrigues, destacou que é hora de “parabenizar todos que ajudaram a defender o direito de aposentadoria da classe e, nas ruas e nas redes, derrotaram a contrarreforma do Temer. A luta fez a diferença e foi decisiva para contrapor todas as mentiras e manipulações utilizadas pelo governo, elite empresarial, banqueiros e mídia atrelada, que tentaram desmoralizar os servidores e desmontar a previdência pública e universal.”

Embora o governo ainda não tenha oficialmente desistido da reforma, e já tenha anunciado à mídia a intenção de aprovar mudanças que não impliquem em alterações constitucionais, mas mantêm os ataques a direitos, o significado do dia de ontem foi muito simbólico. O fato do governo anunciar o recuo da votação da PEC 287-A nesta semana, em meio às mobilizações nacionais contra a reforma, deu novo fôlego à luta, que segue firme.

“O Fórum em Defesa da Previdência fica muito satisfeito com os resultados das manifestações de ontem, já que muitos se integraram à luta, bem além daquelas entidades que se uniram inicialmente. Ainda esta semana faremos uma nova reunião para avaliação e para traçar novas estratégias”, ressalta Lynira.

 

 

image_print
Fechar Menu

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas