Tribunal buscou solução para o calor excessivo do prédio, mas servidores e Sindicato continuarão acompanhando efetivação de ajustes necessários ao  funcionamento do novo sistema.

Após dois meses de mobilização dos servidores e do Sintrajud, o TRT-2 concluiu as obras no sistema de refrigeração do Fórum Trabalhista de Barueri, que de tão quente vinha sendo chamado pela categoria de “Fórum Bola de Fogo”.

Os diretores do Sindicato Fabiano dos Santos e Gilberto Terra visitaram o local nesta quarta-feira, 10 de abril, conversaram com os servidores e conduziram uma assembleia para avaliar as novas condições de trabalho do prédio.

Foto: Luci Silva

“Observamos que o sistema de refrigeração está funcionando, mas com alguns problemas”, disse Fabiano. “Segundo a empresa responsável pelo novo sistema, esse é justamente o período para ajustar a quantidade de ar conforme o número de pessoas de cada ambiente.”

Entre os problemas observados, está o barulho provocado pelo equipamento de refrigeração no 4º andar, onde funciona a Central de Conciliação (Cejusc).

“Nossa mobilização fez a Administração do Tribunal se movimentar [para realizar a obra], mas é necessário continuar observando o funcionamento do novo sistema”, avaliou Fabiano.

Por deliberação da assembleia, o Sindicato voltará ao Fórum dentro de duas semanas, para uma avaliação mais precisa após os ajustes que estão sendo realizados pela empresa.  O plano apresentado pela administração do TRT previa a conclusão da obra em 8 de abril – o que foi cumprido – seguida por uma etapa de ajustes a serem concluídos até o início de maio.

O Fórum de Barueri começou a apresentar problemas na refrigeração dois meses após ser inaugurado, em maio de 2016. Depois de levar várias reclamações à Administração do TRT sem obter uma resposta satisfatória, os servidores intensificaram a mobilização neste ano, quando as altas temperaturas do verão tornaram o ambiente quase insalubre.

Eles fizeram assembleias, protestos, reuniões com o Sintrajud e com a administração do Tribunal. No final de fevereiro, chegaram a fazer uma paralisação de 24 horas, em protesto contra a postura da administração nas negociações.

Assédio

Na assembleia desta quarta-feira, os diretores do Sintrajud também informaram aos servidores sobre a intervenção feita pelo Sindicato após a entidade receber denúncias de assédio moral no Fórum de Barueri.

“Tivemos uma longa conversa com o juiz [acusado de assédio], que respeitou a abordagem do Sindicato; foi um diálogo muito franco, inclusive com o diretor da vara”, relatou o diretor do Sintrajud Gilberto Terra. “O Sindicato espera que o ambiente de trabalho nessa vara melhore”, afirmou.

Os diretores do Sintrajud também propuseram aos servidores de Barueri a realização de uma palestra sobre assédio moral com o psicólogo Daniel Luca, assessor do Sindicato. Eles também destacaram a importância de os servidores ficarem atentos a eventuais situações de assédio e procurarem o apoio do Sintrajud.

Reforma da Previdência

Também nesta quarta-feira, o Sindicato fez circular entre os servidores de Barueri o abaixo-assinado contra a ‘reforma’ da Previdência, que vem recebendo assinaturas em vários locais de trabalho e eventos da categoria.

Os servidores se mostraram interessados em continuar a debater o tema e os diretores do Sintrajud sugeriram a realização, no Fórum, de uma palestra sobre o tema com César Lignelli, do Departamento Jurídico do Sindicato. O advogado vem realizando uma série de apresentações sobre a proposta do governo, que ameaça as aposentadorias dos trabalhadores.

Fechar Menu

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas