Agressividade de deputado governista contra servidores ‘expressa’ a PEC 32, diz servidora


20/10/2021 - Helcio Duarte Filho
Delegação do Sintrajud está em Brasília contra a 'reforma', que teve ato no aeroporto, Câmara e Praça dos Três Poderes, nesta terça, e volta às sedes dos poderes republicanos nesta quarta, com performances denunciando o 'genocida'.

O deputado Vinícius Poit (Novo-SP), sem máscara, avança e vocifera contra servidoras e servidores no saguão do aeroporto de Brasília (Fotos: Valcir Araújo).

O descontrole do deputado federal Vinícius Poit (Novo-SP), no Aeroporto de Brasília, diante da recepção a parlamentares por parte de servidores contrários à PEC 32, não se resume a mais uma demonstração de que esta campanha está incomodando parlamentares favoráveis ao projeto e incidindo sobre quem ainda se coloca entre os indecisos. A agressividade também expressa o que representa a ‘reforma’ administrativa, apontada pelo movimento como uma proposta de perfil autoritário e que abrirá caminho para assédio moral e demissões de quem não ‘for confiável’.

É o que avalia a servidora Anna Karenina, da diretoria do Sintrajud, que participava do ato na manhã desta terça-feira (19), na capital federal. “Ele começou com grosseria vindo para cima dos servidores. Quem causou o tumulto foi ele, não fomos nós. Foi uma atitude extremamente grosseira, uma ato evidente de desrespeito aos trabalhadores. A gente já vê o que espera por nós caso essa PEC passe: desrespeito, agressividade, falta de cordialidade e ataque a trabalhadores, que estavam ali reivindicando uma pauta que é extremamente legítima e necessária de ser defendida”, disse à reportagem.

Irritado, o parlamentar passou pelos manifestantes fazendo aquele gesto bolsonarista da ‘arminha’ com os dedos. Em seguida, voltou para discutir com os servidores. Acabou se descontrolando e agindo com agressividade, boa parte do tempo sem a máscara de uso obrigatório no local. Acabou contido pela Polícia Militar do Distrito Federal, que o retirou dali. “Ele partiu para cima do pessoal e se descontrolou mesmo. Ficava a toda hora tirando a máscara. Até que chegou uma hora que a polícia, que estava ali tentando resguardar ele, quando na verdade era ele que estava indo para cima dos servidores, teve que retirá-lo, descontrolado, do ambiente. Ele perdeu a linha, perdeu o controle e precisou ser conduzido para fora pela polícia”, resume o servidor Fabiano dos Santos, da direção do Sintrajud e da coordenação da federação nacional da categoria (Fenajufe).

Quando o deputado apareceu na saída do desembarque, a maioria não sabia quem ele era. Tampouco que já era conhecido dos trabalhadores – em julho de 2019, ele também discutiu, na Câmara, com manifestantes contrários à ‘reforma’ da Previdência. A assessoria do parlamentar gravou a cena e ele postou o vídeo em seu canal no YouTube, onde menciona que foi abordado por manifestantes “da CUT” e de outros sindicatos, como “o Sintrajud e a Fenajufe”. Desta vez, Vinícius Poit não postou nada sobre o ocorrido nas suas contas nas redes sociais. Ele foi um dos sete deputados do Novo que integraram, de forma escancaradamente desproporcional e no dia da votação do relatório, a comissão especial da PEC 32. Porém, como suplente, não chegou a votar na proposta. O Novo não se declara da base governista, porém é um dos partidos que mais vota com Bolsonaro.

A atividade de ‘recepção’ aos parlamentares marcou o início da sexta semana seguida de mobilização do funcionalismo em Brasília. “O dia foi muito produtivo, apesar do cansaço. Acordamos às 5h30min, tomamos café e fomos direto para o aeroporto a fim de fazermos as manifestações contra a PEC 32 no desembarque dos deputados. No local, vários servidores públicos de diversos locais do Brasil protestaram. Tudo bem organizado”, relata a servidora Stela Maris Rubinstein, do TRT-2, que integra a delegação do Sintrajud que está em Brasília com 16 servidores.

Ato e visita a parlamentares

A jornada de terça teve ainda o ato-vigília em frente a uma das entradas da Câmara dos Deputados e conversas com parlamentares que receberam os servidores de forma mais civilizada. A delegação do Sintrajud deu sequência às visitas a deputados de São Paulo. Esteve, por exemplo, com Roberto Alves (Republicanos-SP) para expor os argumentos contrários à proposta que ameaça os serviços públicos. “Ele nos disse que essa PEC não será votada este ano, que nossa luta tem sido boa e importante, mas que seguirá a orientação que for tomada pelo partido. Disse que se o partido votar a favor da PEC, ele vota a favor da PEC, mas se houver liberação, ele vota contra a PEC”, informa a servidora Luciana Carneiro, da direção do Sintrajud.

A dirigente sindical ressalta, porém, que embora não haja previsão de data para possível votação da proposta, é preciso manter a pressão: o presidente da Câmara, Arthur Lira, segue articulando o apoio de parlamentares e a qualquer momento pode colocar a matéria em pauta.

Na entrada da Câmara, a manifestação reuniu representações de sindicatos e voltou a fazer muito barulho. “[Éramos] muitos manifestantes de vários locais, com faixas e bandeiras. Alguns dirigentes sindicais, servidores e deputados discursaram no ato”, relata Stela, que participa pela primeira vez das caravanas organizadas pelo Sintrajud. “Avalio que é de extrema importância a participação do máximo de servidores ativos e aposentados presencialmente em Brasília. E sugiro que seja mais incentivada e divulgada a urgência da integração e participação efetiva de todos, as caravanas têm um papel fundamental para a garantia de nossos direitos”, disse, destacando o papel desempenhado pelos aposentados nesta luta.

Delegação do Sintrajud nesta semana em Brasília.

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Generic selectors
Apenas termos exatos
Buscar nos títulos
Buscar nos conteúdos
Buscar em Publicações
Buscar nas páginas