28 de abril: Greve Geral vai parar o Brasil

A dois dias da Greve Geral contra os ataques de Temer, categorias de trabalhadores de todo o país já aprovaram a paralisação total nesta sexta-feira, 28.  A greve contra a reforma trabalhista e previdenciária já conta com a adesão em São Paulo dos trabalhadores metroviários, metalúrgicos, professores, bancários, químicos, rodoviários, estão entre outros.

Os trabalhadores do Judiciário Federal de São Paulo também aprovaram a participação da greve geral na assembleia geral que aconteceu no dia 26 de março, em Itapecerica da Serra, durante o Congresso da categoria.

Para marcar a data que vai parar o país, na sexta-feira, 28, a CSP Conlutas vai realizar uma manifestação a partir das 14h, no Vão do Masp, na Avenida Paulista. Os servidores do Judiciário Federal de São Paulo participam de uma concentração também, às 14h, frente ao Fórum Pedro Lessa, e depois somarão forças ao ato chamado pela CSP Conlutas.

Para Lynira Sardinha, diretora do Sintrajud e oficial de justiça da JT Cubatão, diante dos ataques que ameaçam retirar os direitos dos trabalhadores, torna-se imprescindível a construção da greve geral no dia 28 de abril. “Temos que enfrentar estas reformas e não mais permitir que mais direitos sejam retirados, por isso participar do dia 28  torna-se imperioso, caso contrário Temer poderá nos transformar em escravos e o país regredir séculos”, declarou.

O Brasil vai parar

Os trabalhadores do transporte da Grande São Paulo e Litoral Paulista decidiram que vão parar tudo dia 28. No caso do Metrô em São Paulo, devem ser paralisadas as linhas: 1 Azul (Jabaquara/Tucuruvi), 2 Verde (Vila Madalena/Vila Prudente), 3 Vermelha (Corinthians Itaquera / Palmeiras Barra Funda), 5 Lilás (Capão Redondo/Adolfo Pinheiro) e o monotrilho da linha 15-Prata (Vila Prudente/Oratório).

Na CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, já estão confirmadas a paralisação  das linhas 7-Rubi (Jundiaí – Francisco Morato – Luz), 10-Turquesa (Rio Grande da Serra – Santo André – Brás), 11 Coral (Luz – Mogi das Cruzes/Estudantes) e 12-Safira (Brás – Poá/Calmon Viana).

Os motoristas e cobradores de ônibus da capital paulista e da região do ABC também vão paralisar as atividades durante todo o dia 28 de abril. Também confirmaram adesão ao dia de paralisações, motoristas e cobradores de ônibus de  Guarulhos, Itaquaquecetuba, Arujá, Poá, Ferraz de Vasconcelos, Osasco, Embu das Artes, Embu-Guaçu, São Lourenço da Serra, Itapecerica da Serra, Juquitiba, Vargem Grande Paulista e Taboão da Serra.

No litoral paulista, devem paralisar as atividades os motoristas e cobradores de ônibus em Santos, São Vicente, Guarujá, Bertioga, Itanhaém, Peruíbe, Mongaguá, Cubatão e Praia Grande.

Veja as categorias de São Paulo que vão parar neste dia 28!

Sintrajud – Judiciário Federal

Metroviários

Metalúrgicos ABC

Metalúrgicos SP

Trabalhadores da USP

Aeroviários Guarulhos

Professores Estaduais Educadores Municipais

Professores da rede privada

Professores Municipais de Suzano

Sintaema – Trabalhadores da Sabesp, Cetesb e Fundação Florestal

Eletricitários

 Bancários

Portuários de Santos

Rodoviários de Santos

Correios SP

Sindsef – Servidores Federais

Sinsprev – Previdência

Judiciário Estadual

Químicos SP e SJC

Sindicato da Alimentação de SP e SJC

Rodoviários de São Paulo, ABC, Santos, Guarulhos, Osasco, Campinas e Vale do Paraíba

Vigilantes de SP

Servidores Municipais de SP

Sindicato da Construção Civil

Petroleiros do Litoral Paulista

Sindimoto – Motociclistas, Mototaxi, mensageiros