SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL NO ESTADO DE SÃO PAULO
links do site antigo do Sintrajud

Notícias do site antigo

10/2/2017

Reunião com presidente do TRT-2 discute horas extras e outros assuntos

Respostas aos requerimentos do Sindicato sobre as outras pautas serão discutidas no próximo encontro

 

Nesta sexta-feira, 10, representantes do Sintrajud tiveram mais uma reunião mensal com o desembargador presidente do TRT-2, Wilson Fernandes. Participaram do encontro a diretora do Sindicato, Lynira Sardinha, Oficial de Justiça da JT Cubatão, os servidores Fabiano dos Santos, da JT Barra Funda, Marcus Vergne e Henrique Sales, da JT Barra Funda, Claudia Morais, oficial de Justiça da JT Barra Funda, e Márcio Castro; além do advogado Cesar Lignelli, do departamento jurídico do Sintrajud.

Já no inicio da reunião, os servidores lembraram a importância do canal de comunicação criado com a presidência do Tribunal e a suspensão do expediente na Quarta-Feira de Cinzas, 1º de março. A suspensão atendeu ao requerimento do Sintrajud que havia sido discutido na reunião anterior. “Resolvemos rapidamente a questão da quarta-feira de cinzas para que os servidores pudessem se programar com antecedência, só foi o tempo de verificarmos as audiências programadas, vimos que não causaria prejuízos”, afirmou o desembargador Wilson Fernandes.

“O atendimento deste pedido demonstra uma mudança de comportamento da presidência do Tribunal perante ao Sindicato, com muito mais diálogo”, afirmou Henrique Sales, servidor da JT e diretor de base.

Horas Extras

Desta vez, a principal reivindicação tratada durante a reunião foi o pagamento de horas extras para os servidores. Devido a grande demanda de trabalho, muitos servidores acabam tendo que realizar trabalho em horas extraordinárias que nem estão sendo pagas e nem virando banco de horas. “Muitos de nos acaba ficando além do horário porque a demanda é muito grande e exige isso de nós”, afirmou o servidor da JT Guarulhos Márcio Castro.

O Sintrajud já encaminhou um requerimento para solicitar os valores pagos nos últimos anos de horas extras para os servidores, para saber quanto isto representa no orçamento geral do Tribunal. “O ideal seria que ninguém precisasse fazer hora extra, mas não é nossa realidade, precisamos pensar numa mediação para pagamento das horas, autorizadas pela chefia imediata”, declarou Marcus Vergne, servidor da JT e diretor de base do Sintrajud.

O Presidente do TRT-2 afirmou que, por hora, não há regulamentação para horas extraordinárias, portanto, nenhum diretor de vara pode pedir para os servidores ficarem além do seu horário, pois é uma prática irregular. No entanto, a partir dos dados solicitados no Sintrajud, o desembargador analisará quanto isto representa no orçamento do Tribunal para saber se é possível encaixar no orçamento. O tema voltará a ser debatido na próxima reunião, que acontecerá no dia 10 de março.

Orçamento do TRT-2

Durante a reunião, Wilson Fernandes informou aos servidores que já começou a se reuniu com os proprietários dos imóveis onde funcionam os fóruns e que são alugados. O objetivo é reduzir o valor pago de aluguéis. “Acho que é um momento propício para discutir a redução dos valores, e já conseguimos diminuir o valor de pelo menos um aluguel”, afirmou o desembargador.

Já sobre contratação de novos servidores, o Presidente do TRT-2 afirmou que poderá haver possibilidade de novas nomeações no segundo semestre. O servidor Márcio Castro sugeriu o aproveitamento dos aprovados no último concurso, colocando a disponibilidade de outros tribunais no primeiro semestre. Wilson Fernandes não se opôs à proposta.

Baixada Santista

Ainda na reunião, a diretora do Sintrajud e oficial de justiça da JT Cubatão, Lynira Sardinha, falou dos problemas de estrutura da JT de Cubatão. “Atualmente o prédio de Cubatão está sendo atacado por pombos que estão fazendo morada lá e isto traz problemas para a nossa saúde”, afirmou. “Outra questão é que, com a instalação do pontilhão próximo ao prédio, o acesso ao fórum está mais difícil por conta do trânsito intenso, e o portão de acesso dos servidores fica em um local perigoso”, declarou Lynira.

O Sindicato protocolou um requerimento solicitando a mudança do local do portão de acesso dos servidores e medidas contra a proliferação de pombos no prédio. Outra reivindicação é autorização para confeccionar murais nos prédios dos fóruns na Baixada Santista para a divulgação dos materiais do Sindicato. “É mais uma forma de levar informações do Sindicato para os servidores”, ressaltou a servidora. O presidente se comprometeu a analisar os requerimentos.

Outros Pedidos

Quanto aos outros requerimentos já enviados pelo sindicato para a presidência, relativos a liberação dos diretores executivos e de base para passar nos setores, licença paternidade, elevador privativo no Fórum Barra Funda e  regulamentação da liberação para consultas médicas, o desembargador irá apresentar uma resposta na próxima reunião.




Voltar